domingo, janeiro 20, 2013

feup, take dois

Mais uma vez alguém da FEUP, faculdade de engenharia da universidade do Porto, voltou a dizer disparates na televisão... será que não aprendem?!
Desta vez foi sobre uma peça, que passou no telejornal da RTP, sobre a queda das vendas de veículos eléctricos. As causas da queda nas vendas não são relevantes no contexto do que o indivíduo em questão disse (fim dos benefícios fiscais, falta de postos de abastecimento... ), o que o indivíduo disse foi "um 1500 ou um 1600 a gasóleo gasta na ordem dos oito a dez euros por 100 quilómetros, enquanto o eléctrico gasta um euro" (só um pequeno à parte, 10€ gastava o meu e era um 1600 a gasolina!).

Não desfazendo nas contas sobre o veículo do carro eléctrico (não vou argumentar nas despesas do eléctrico porque não faço ideia da despesa, mas continuo a achar ridículo batalharem na mobilidade eléctrica num país que não está minimamente estruturado para a ter), as contas aos motores de ciclo Diesel estão nitidamente mal feitas!
Se um pequeno Diesel gastar na ordem dos 5 litros para percorrer 100 quilómetro (e conheço bastantes automobilistas a fazer menos que isso), ao preço actual de referência da Golp (perdão! Galp) de 1,474€ por litro dá uma despesa de 7,37€... contas bem feitas portanto. Posso ainda acrescentar que há híbridos japoneses a fazer cerca de 3,5 litros para os mesmos 100 quilómetros, o que daria uma despesa de 5,79€.
Mais? Seja! Um Nissan Leaf custa 35.990€ (1€/100km), um Auris híbrido custa 25.675€ (5l/100km ou 8,27€/100km). Assim de repente são mais de 10 mil euros de diferença dentro de carros da mesma classe, o que dá para fazer mais 141.884km com o Auris híbrido até a despesa de aquisição ser diluída com as deslocações... errrr... como as nossas cidades estão bem pensadas para estas "modernices", é normal fazer cerca de 50 quilómetros por dia no trajecto casa-trabalho-casa onde os quilómetros "grátis" do Auris, em comparação com o Leaf, davam para circular sete anos e nove meses, coisa de pouca monta!
Enviar um comentário