sábado, dezembro 29, 2007

futebol

Longe de mim falar de algo tão banal como o futebol... aliás, eu nem sequer sigo os jogos! E há quem diga que por essa mesma razão, as minhas segundas-feiras são sempre melhores de as dos restantes habitantes deste país. No entanto, acho que já começo a perceber qual o real interesse deste desporto... o interesse é incentivar o consumismo!
Ora vejamos, a maioria dos jogos dão em canal fechado, aos quais apenas se acede por via de pagamento de uma mensalidade de valor algo elevado. De forma a evitar esta mensalidade, o espectador pode simplesmente encaminhar-se em direcção ao café mais próximo numa tarde/noite de jogo, visto que todos os cafés têm televisão por cabo. Ao fazê-lo, é dado adquirido que irá consumir um qualquer género disponível no estabelecimento (nem que seja só um café), e no caso de conhecer outros elementos presentes no estabelecimento, logicamente a despesa será maior (cervejas e condutos). Ao fim do encontro, seguem-se as discussões, mais ou menos acesas, sobre os lances polémicos (até os árbitros ajudam como podem), seguindo-se o pedido da totalidade da despesa... eis que a conta chega. E é precisamente aqui, que as notas mudam de mãos fazendo a incrível máquina da economia (e impostos) funcionar. O dono do café cobra aos adeptos de forma a poder pagar aos seus fornecedores (quer da cerveja, quer do serviço de televisão), os tipos da cervejeira pagam aos que semeiam o cereal para produção de cerveja enquanto a empresa que disponibiliza o serviço de televisão paga aos clubes, os que semeiam o cereal pagam aos que vendem sementes e adubos, os clubes pagam aos jogadores, os vendedores de sementes podem então pagar nos cafés para ver o futebol enquanto os jogadores gastam o dinheiro em cerveja, e eis que se fecha o círculo (e claro está que há sempre a parte dos impostos que vão sendo cobrados ao longo do círculo).
Na minha opinião, deveria ser absolutamente proibido a transmissão de jogos de futebol em canal aberto, não que me queixe de apanhar monumentais secas porque não dá nada de jeito na televisão, mas porque assim se fomentava ainda mais a economia.

terça-feira, dezembro 18, 2007

frio? qual frio?

Onde é que eu fiz a fogueira? Será neve aquilo branco sobre a erva?

sexta-feira, novembro 30, 2007

acabou-se

Era uma quarta-feira, e chegando-se à lareira enquanto todos os presentes estavam numa ruidosa cavaqueira, ali, quase a seu lado, meteu o mão no bolso e tirou dele uma caixa parcialmente azul, estava meio cheia, levou um daqueles cilindros brancos à boca e acendeu-o. Pensava em algo imemorável como a razão de ter começado, e bafo atrás de bafo, foi reduzindo o companheiro...
Era noite, uma noite fria, e o lume estava mortiço... de novo chegou ao bolso, voltou a abrir a caixa, fechou-a e atirou-a de seguida para as brasas... havia agora labaredas visíveis... expeliu o ar dos pulmões e pensou "acabou-se!"...

segunda-feira, novembro 26, 2007

cd

Para celebrar o quarto de século desse tão famoso (e prático) "donut de plástico" que levou a música a entrar na era "digital" (agradeçam à phillips e à sony), peguei num deles que para ali tinha... cors?! Mas que raio faz isto cá em casa? Peculiar... no entanto é circular como os outros... deve funcionar... play... ahhh... já percebi a verdadeira vocação da música dos cors... é óptima para fazer com que o tempo estique, enquanto se põe as tarefas domésticas em dia!

sábado, novembro 24, 2007

futebol

... e o benfica marcou um golo para a taça. Como é que eu sei, se nem ligo a futebol? O prédio estremeceu! O que vale é que quando o benfica joga, a criminalidade desce.

quinta-feira, novembro 22, 2007

céu vs inferno

Há toda uma paleta de piadas sobre o Céu e o Inferno... são tantas as piadas que, até já as fazem com a personagem do nosso primeiro. Mas não são as piadas que me levam a pensar nisto, é o próprio conceito e a forma como é abordado. Ora vejamos...
O Céu todos sabem onde fica, ou seja, por cima das nossas cabeças... já o Inferno, em antagonismo ficará debaixo dos nossos pés... isto é um conceito empiricamente aceite desde tempos há muito passados (a pureza/perfeição acima das nossas cabeças, como algo inalcancável em vida, em contraposição com o impuro/desprezível que deve ser pisado afastando-o). Isto foi certamente uma ideia gerada antes de se saber que a Terra era redonda, pois actualmente sabemos que debaixo dos nossos pés, se fosse possível seguirmos em linha recta desde o ponto onde estamos, passando pelo centro da Terra e mantendo a direcção, chegaríamos ao outro lado da Terra... ora... se o outro lado da Terra está debaixo dos nossos pés... será aí o Inferno?
Mais! Por cima das cabeças das pessoas que estão do outro lado, encontramos... céu! E eis que uma nova questão se põe... se esse céu está por cima da cabeça dessas pessoas, e ao mesmo tempo debaixo dos nossos pés, será o nosso Inferno o Céu deles? E vice-versa? Ou será que podemos chegar à conclusão que o Céu é o Inferno?
Livra! Agora percebo o porquê do que fizeram ao Galileo... o homem pôs todas as religiões em cheque!

segunda-feira, novembro 19, 2007

(finalmente) mais um dia de chuva

Não havia uma "razão" qualquer para a existência de dias de chuva com vento? Qualquer coisa a ver com "chapéus de chuva" numa língua estrangeira... hmmm... que poderia ser? Ah! Seria o comparativo entre um fiat uno branco e um frigorífico certamente! Ou não...

supermercado

Numa comum visita ao supermercado (para variar um pouco na rotina), deparei com uma curiosa embalagem de cartão... tinha escrito a letras pretas estilizadas e em itálico "vinho escolhido cuidadosamente para si".... que agradável! Um produto para as massas com dedicatória particular... é sempre bom saber que alguém sabe os meus gostos, apesar de não gostar de vinho... é que a caixa estava vazia.

equidiformes

Quadrúpede, mamífero, de altura variável e com natural propensão ao disparate. Pois, qual de vós que não tenha um "ódio de estimação" que atire a primeira pedra... qual de vós que não se tenha negado a um, um só que seja, que atire a primeira pedra! Atirei um calhau da calçada... e logo dois vieram em minha direcção... atiro outro, e de volta vêm mais... a continuar assim, não tarda faço uma casa de xisto.
Considerais-me um comum entre nobres? Ahahahah! Pois devíeis vós, caro nobre, saber e nunca revelar tudo quanto sabeis fazer, tal como faço, pois assim posso viver no negrume e fazer pela minha vida. Bem haja à confusão e ao ego dos outros.

calmaria

Em tempos de instabilidade, todas as orelhas, todos os olhos, andam atentos. Perscrutando atentamente tudo e todos em redor. O homem do casaco novo não morde, o rosnador não provoca ninguém, e o lacaio não apunhala pelas costas... não vos deixais levar pela aparente acalmia nobres das botas altas! Pois a tempestade se aproxima, parece que amanhã já vai chover...

sexta-feira, novembro 09, 2007

há dias

Sorrisos alegres... perguntam a medo, num medo ansioso "posso fazer uma festinha?", tomara eles "festinhas" todo o dia. E mãos de dedos pequenos logo se perdem num pêlo curto e macio. O sorriso é agora, para além de alegre. É de uma alegria nervosa pelo toque, uma dualidade de sentimentos-sentidos... sorrir de volta, e seguir caminho.

quarta-feira, outubro 24, 2007

-20% de...

... gordura?
Por causa das estatísticas?
... roupa?
Por causa da subida do custo de vida?
... celulite?
Por causa dos cremes?
... idade?
Por causa da cirurgia estética?
Ah! Tão ali umas letrinhas...

sexta-feira, outubro 19, 2007

tds

Engasgado! Diabrete dos quintos que me pregou um cagaço filho-da-mãe! Cof... cof... chooooco! Luzes amarelas irritantes e problemáticas... o que vale é que acabou por não ser nada... vai assustar o demónio!

domingo, outubro 14, 2007

ordinário

Descobri hoje, que não sendo careca, sou um familiar próximo de um suíno... isto porque, alegadamente, tive uma conversa sobre mulheres, com alguém que era careca e igualmente familiar de suínos, e na presença de uma "mulher", que de tão pura, e casta, tinha os ouvidos de cristal! A "menina" ofendeu-se... e fez questão do partilhar a sua ofensa com quem a quis ouvir... coitada anda à procura de poiso para o inverno, porque já é tarde para fazer o ninho, e os currais parecem palácios!

sábado, outubro 13, 2007

guerrinhas iv

E nuvens carregadas se erguem no horizonte, como que querendo devorar o mundo com uma escuridão (ou falta de visão) imensa... do alto do seu trono, o novo rei, ordena aos seus nobre - Metereis todas províncias do reino em ordem! Até mesmo as mais distantes e perdidas no mato! - e assim se fez... céleres foram os nobres superiores na deslocação para colocar ordem nos restantes nobres, e não tardou em haver retorno e repercursões sobre tais deligências... e o povo encolheu-se e estremeceu!

quarta-feira, outubro 03, 2007

guerrinhas iii

E disse a entidade suprema do fundo do gabinete distante em tempos idos...

- Ou andais de cavalo, ou andais a pé!

E foi dia santo!

guerrinhas ii

Muita guerra pode gerar um simples pequeno-almoço. Desde que alguém se lembre de ir fazer queixinhas de barriga cheia (porque já havia tomado o seu)...
Tudo começa algures num ponto temporal algo distante, rodeado de invejas e da mais pura vontade de ser maldoso alguém decide, do alto dos seus neurónios, que "quem usa botas altas" não poderá tomar pequeno-almoço (nem beber café), só porque acha que pode! Do alto da sua sapiência ter-se-á esquecido que quem manda ainda estava acima de si. E não tardou ao cavaleiro adormecido no "distante gabinete" saber das novas.
- Vocês dão cabo de mim! - terá dito, e acrescentado - Eu nunca disse isso! - informada que foi a restante corte mal-cheirosa, ficaram os cabeçudos por saber o disposto pela entidade suprema.
Pesados papéis foram mexidos e pulvilhados com letras bem desenhadas a laser, e encaminhados para o gabinete no dia seguinte, pois a obscuridade tornava a toldar as mentes dos sapientes... e diz a entidade suprema - O despacho dado é válido para todos! E eu que saiba de alguém que aqui (apontando para a cadeira do poder) faça diferenciação entre elementos! - e a corja de abutres tremeu ele quando proferiu - Não hesitarei em o tirar da cadeira! - os súbditos agradeceram... e sonharam com um mundo em que quem usa o chicote agora, possa vir a ser chicoteado no futuro por quem partilha o seu desejo de apunhalar a entidade suprema.

guerrinhas i

- Então quais são as diretrizes para hoje?
- Já disse ao outro colega, ele depois dá-te as ordens.
- E porque é que não as dizes directamente?
- Porque não estavas lá dentro.
- Mas podes repetir...
- Ele depois transmite-te as ordens.
- Mas tens algum problema em repetir, ou é mesmo só falta de respeito?
- Não entres por aí.
- Mas tens algum problema?
- Não entres por aí!
- Ok, é mesmo falta de respeito! Até logo.

quarta-feira, setembro 26, 2007

proibido

Sou contra a deturpação da sinalização... abro excepção ao ridículo!

cml

Consta que, o anterior presidente carmona rodrigues, colocou a descoberto um imenso buraco financeiro (já não bastavam todos os outros)... o josé sá fernandes, agora muito bem sentado na sua poltrona fumando as suas "brocas" fica caladinho com o tachinho que lhe deram, e caladinho vai ficar porque grande parte do buraco é de sua autoria (ou já se esqueceram que foi este palhaço que encalhou as obras do túnel do marquês?)... o vadio do santana lopes está aposentado (actualmente com 49 anos, quando o comum dos mortais tem que arranhar até aos 65) foi o especialista no "arrebentar dinheiro", aliás, consta que foi o único presidente a ocupar a residência em monsanto como sua, visto que tem muito pouco jeito até para gerir o que é seu, quanto mais para gerir o que não lhe custa a ganhar!
No meio de meio desta gente toda, falemos do presidente antónio costa... veio com uma série de ideias que enganou lisboetas suficientes para chegar ao poleiro, chegado lá... a conversa mudou. Agora preparam-se cortes, nas horas, nos subsídios, nos concursos, em tudo o que tem directamente a ver com os funcionários e ainda recorrer à alienação de património (começo a duvidar que a instituição ainda tenha tal coisa)... senhor presidente, abra os olhos! Evite ser um imbecil, porque é evidente que vai cair no mesmo erro de todos os políticos! Vai pedir mais sacrifícios a quem já é sacrificado! Faça um favor a si mesmo, seja minimamente inteligente, e não prejudique nem os munícipes, nem os funcionários!

Nota: Dá próxima vez, podem ter certeza absoluta que quando for para "fechar a loja", fecha e acabou! Quero lá saber do "senhor presidente"!

sábado, setembro 22, 2007

mcrae

Agora que já todo o mundo está um pouco mais conformado...

O homem foi... fica a Lenda.

sábado, setembro 08, 2007

confirmação

You Should Drive a Blue Car

You're the type of driver who isn't hung up on the what car you drive.
You don't need a flashy car to show off your wealth or style.
Instead, you go for value and reliability. You're quite practical.
You're a great driver, but you don't show off. Part of your skill is not standing out on the road.


You Should Drive a Red Car

You're the type of driver who isn't afraid to be the fastest on the road.
You have a lot of energy built up, and you tend to get your adrenaline fix from driving.
Moving at hyper speed, you tend to be annoyed with slow drivers and slow people.
Life's too short to be slowed down by someone else!


Razão ou Emoção?
Expontâneo
ou Calculista?
Casado ou Solteiro?

O pior inimigo do automobilista é o Ego.

sexta-feira, setembro 07, 2007

domingo, setembro 02, 2007

gato

Se os computadores têm ratos que desaparecem misteriosamente, é natural que o culpado seja o seu predador natural... o gato de escritório!
Muitas vezes não passando apenas de um dos assistentes do office para casos quase perdidos... porque se conseguem transformar um irritante clip num gato, já não são casos totalmente perdidos... este, pelo contrário é de carne, osso e pêlo (mais pêlo e osso do que carne). Descansado da vida de volta de papéis (dezenas!... ok, era um caderno, uma pasta branca e uma folha solta) e aparece-me este intruso... miava como se o estivessem a matar! E logo à porta! Que péssima imagem que isto transmite às (eventuais) pessoas que passam... correr com ele dali só por miar e estar de olhos fixos numa sandes meio comida não era justificação... será que leite com chocolate será adequado para gatos? Não se queixou... mas caso mude de opinião e decida reclamar:

Serviço de Informação ao Consumidor
Número Verde
800 20 32 29
Apartado 1566-4108-001 Porto


Powered by ScribeFire.

domingo, agosto 26, 2007

xeque!

Compreendo... pensando melhor, vejo que fiquei numa posição algo fragilizada. Não é nada comigo, até é pelo efeito avalanche, assim se embrulha e envia para parte remota e desconhecida, não contemplada no mapa, ou no gps, uma parte considerável das fundações.
Qual foi a razão? Escape. O que coincide em parte, um passatempo, uma não obrigação, uma forma algo refinada de aliviar tensões, algo semelhante a um tratamento térmico, simples, eficaz e despreocupado, uma fórmula ou método quase ideal, quase perfeito, quase anónimo de dizer a verdade que não se aceita, ou não aceitam, uma refinada discussão com a qual se encerra um assunto, até à próxima.

Powered by ScribeFire.

quarta-feira, agosto 15, 2007

está a chover

É agosto, chove sem parar, há dias tive direito a um telefonema, viram-me algures... Mau! Queres ver que vão dançar lagostas?! ;)

e agora no tdi

Sem d... sem t... i!
Só sobra o i de ti?

foda-se

A palavra do "efe"... tudo começou com uma palavra dessas e seguida de um sou surdo, que despoletaram uma reacção em cadeia de tal forma violenta, que mesas levaram palmadas e coisas saltaram sem cair para o chão. Emprenhar pelos ouvidos, resulta nisto, conversas entre dentes dentro de um ambiente reduzido e móvel, de forma a que o terceiro elemento não oiça... facto é, que o terceiro elemento foi chamado a intervir pois era testemunha ocular e audictiva da imensa parvoice que se passou. Sou surdo, tens que falar mais alto, e, tás a faltar-me ao respeito à frente do terceiro... tudo coisas que parecem bem. De um não esperava mais do que a brincadeira, do outro, esperava um pouco menos de trombas... vais ter que dizer o que se passou, foda-se, eu, não tenho nada a ver com isso, são grandinhos que se entendam!

domingo, agosto 12, 2007

direcção errada

É uma analogia com "ver o nascer do sol na praia"...

sábado, agosto 04, 2007

outbound

Depois de uma noite longa, seguida de uma noite ainda mais longa, a última coisa que queria era ser acordado por um telefonema, que não era para mim! Devia ter tirado a pilha ao telefone!
Relutante, lá fui atender o telefone, fosse quem fosse ia pagar por ter-me acordado! O telefonema era para o dono da casa, era sobre um inquérito que havia respondido sobre qualquer coisa relacionada com medicina... do outro lado, em outbound, estava alguém que estava a trabalhar a um fim-de-semana, não pagou, afinal de contas, estava a trabalhar ainda eu dormia, considerei o facto e limitei-me às respostas que me eram pedidas. Mas do lado de lá, precisavam de algo, precisavam de alguém que lhe desse ouvidos por uns instantes, já estava acordado, não fazia diferença, desabafou, falou-me de sopeiras, de ares-condicionados e do regresso à escravatura, dei-lhe uma frase sobre inteligência e tomar decisões... acho que está na altura de tomar as minhas!

quinta-feira, julho 19, 2007

estrelas atribuidas aos hospitais

Desengane-se quem julga que isto serve para "qualificar" os serviços de saúde... estas estrelas, têm outro propósito!

No Verão, temos mais camas para os turistas, já no Inverno, temos mais camas para os doentes...

sábado, julho 14, 2007

demonstração

A suprema prova de que o nosso sistema de ensino está devidamente estruturado para encaminhar os alunos para um curso em que se enquadrem (e para um de futuro, porque não?)...

- E não entregaste a tua candidatura pela internet porquê?
- Porque era muito complicado...
- E queres ir para que curso?
- Engenharia informática!

quinta-feira, julho 12, 2007

fui a-va-li-ado

O dia das avaliações, é exactamente igual aos outros, apenas variando em que todos os colaboradores, um por um, são chamados ao gabinete do Chefe, onde lhes é apresentado um papel onde constam quadros e linhas, espaços para colocar datas e assinaturas.
O meu papel, num desses espaços tinha escrito "bom"... vasculhando melhor o papel, pude observar que, a minha nota em todos os campos avaliáveis era oito (8).
Data, assinatura, bom dia e um queijo da serra...

Agora que penso nisso... que diabo fiz eu para merecer a nota?
Nada!
Tentei ser bom profissional?
Sim!
Deixaram-me ser bom profissional?
Não!
Mas então... que foi que levou o Chefe a atribuir-me aquela nota?
Pssssh!



Glossário:
  • colaborador - forma pomposa utilizada nos media para dizer "ele trabalha para mim, eu sou dono da vida dele"
  • gabinete - sala de maior ou menor dimensão que nenhum trabalhador quer conhecer, diz-se estar repleta de troféus e de máquinas de tortura capazes de arrancar a mentira mais verdadeira de qualquer um
  • Chefe - ser de imensa sapiência nas artes de delegar competências
  • papel - é o instrumento de trabalho mais desenvolvido de qualquer funcionário público, quem não conhece, de cor, os dois lados do papel, nunca será ninguém
  • quadros e linhas - têm a finalidade de dar diferentes aspectos e funções ao papel

razão para um sorriso


Obrigado! ;)

segunda-feira, julho 09, 2007

voltinha

Era costume, quando estava com a neura, ou quando tinha algum assunto que me perturbava, sair e conduzir. Conduzia até ficar farto... o que geralmente coincidia, ou com uma solução encontrada para o que me preocupava, ou simplesmente com um chegar a casa a assobiar como se nada fosse... estava com o quê? Neura? Eu?! Não!
Bem, em abono da verdade devo admitir que este meu costume me custou, de certeza, alguns anos de vida dados os sustos que fui apanhando... muros que aparecem do nada, rajadas de vento capazes de desviar-me dois metros do caminho que levava, velocidades proporcionais à neura, passeios e valas capazes de me catapultar para órbita... já apanhei tantos sustos que não lhes tenho conta! Mas voltei sempre... agora isto? Isto nunca me tinha acontecido!... Chegar a casa com a perfeita noção que não há estrada longa o suficiente, nem velocímetro capaz de registar uma velocidade capaz de me aliviar... é a primeira vez!

quase acidente

Catalogado como um "quase acidente" será...
  • desviar à última da hora a trajectória do automóvel e não acertar num cão,
  • deixar cair as chaves de casa dentro do elevador e elas não sairem da cabine,
  • receber um telefonema com más notícias que era para outra pessoa com o mesmo nome,
  • chumbar num exame ir à revisão de prova e passar,
  • ir a um casamento e ter "passado" com a noiva quando se é convidado do noivo,
  • estar bêbado e só dizer verdades e quase levar "na tromba" por isso,
  • cair dentro de uma fonte quando o telemóvel novo está dentro do carro,
  • deixar uma gaiola aberta quando não se tem pássaros,
  • não conseguir pagar uma conta porque já alguém a tinha pago,
E deixar o cérebro na cama quando se vai trabalhar e acabar por fazer m3rda logo de manhã?
Ah!... Não, isso é estupidez!

sexta-feira, julho 06, 2007

coitado!

E diz o rapazinho, meio envergonhado por estar a falar para a rtp...

- O meu sonho é ir para o técnico.

News Flash! O teu pesadelo está mesmo, mas mesmo prestes a começar!


Powered by ScribeFire.

quarta-feira, julho 04, 2007

112

Qualquer coisa, telefona... pois foi isso que foi feito. Telefonou-se por qualquer coisa... era uma emergência! A emergência era um incêndio de grandes proporções! Algures a fauna estava em perigo, aves saltaricas eram ameaçadas pela combustão de materiais palpitantes... acho que era uma espécie em vias de extinção... nunca tinha visto uma ave daquelas, muito menos com uma garrafa às costas! Ainda assim, a ave, teimava em se consumir, mas não morria... dir-se-ia (acho piada a esta palavra, dá um ar culto) que, em vez de se consumir, se tornava maior, omnipresente, abarcante... ilusão de óptica? Nã!!! Era só a mais pura das realidades.

domingo, julho 01, 2007

sinais de velhice

Diz o Açoriano, que devia ser Milhafrense... mas isso é um pormenor de ornitologia que depende do século, que estava num restaurante a celebrar o aniversário de alguém. No meio de tanta gente com conversas banais, comuns e corriqueiras de quem entra para a universidade e joga playstation... pensou ele, e disse-o a mim - Não tens noção! A maior parte deles ainda andava na primária quando eu entrei para a universidade! - boca destravada, mais rápida que o pensamento, e fez-se silêncio... cálculos... - Ora bem, 10 anos de diferença... tu talvez não, mas eu sim!

Porra! Tamos acabados de todo!

sábado, junho 30, 2007

cultura chocolatista

Alguém sabia que:
  • O primeiro Twix, comercializado como Raider até 1991, foi produzido em Inglaterra no ano de 1967?
  • Que na Alemanha, o slogan usado aquando da mudança de nome de Raider para Twix, acabou por se tornar uma "piada" usada entre o pessoal que trabalhava em publicidade?
  • A embalagem do Twix também existe em preto por dentro e verde por fora, em vez do dourado por fora e prateado por dentro?

Isto são tudo pormenores que fazem a diferença a nível de cultura geral!

sexta-feira, junho 29, 2007

luar

As cortinas ficaram abertas, e lá fora, via-se uma circunferência branca... um astro sem luz própria, que brincava aos reflexos. Reflectia a luz que lhe ofereciam... oferecendo-a às ondas que dançavam lá embaixo... vi-as dançarem coordenadas... seguidas... não eram as ondas que o luar iluminava, nem seria para aqueles dois pontos que a lua oferecia a sua luz.

domingo, junho 24, 2007

mostra-te!



Peça da foto errada?! Ever Near, Ever Far! Sinfonia Nº 5 de Gustav Mahler... música entoada... e sentimento em movimento...

Obrigado!



Alguém nota alguma coisa na página do video no youtube?

terça-feira, junho 19, 2007

processamento de plásticos

O processamento de polímeros consiste na transformação dos granulados e das peletes de plásticos em folhas finas, varão, tubo, perfis ou peças acabadas.
  • os plásticos termoendurecíveis pode ser moldados por compressão, por transferência ou por injecção.
  • os termoplásticos podem ser moldados por injecção ou por sopro.
Os moldes para o processamento de plásticos devem possuir bons acabamentos, devendo ser eliminadas todas as rebarbas, riscos e marcas das ferramentas de corte através de operações finais de rectificação e de polimento. Só desta forma se consegue assegurar que o escoamento do material se efectua de um modo adequado e que a qualidade superficial das peças é boa.

Os moldes podem ser sujeitos a tratamentos superficiais com o intuito de aumentar a sua resistência ao desgaste e à abrasão e de melhorar a sua resistência química relativamente a determinados tipos de materiais corrosivos como é o caso, por exemplo, do PVC.


Secaaaa! Porque os plásticos não se molham...

domingo, junho 17, 2007

explicação

Claro como água! Não?!

E nada dessa conversa de "não tá definido o limite superior"... não o sei calcular, nem quero calcular!

sábado, junho 16, 2007

rain drops

Como se já não fosse suficiente andarem a apanhar cogumelos em Trás-os-Montes em Junho!... Como se já não bastasse estar de férias e ter que trabalhar à mesma (diziam por aí que o meu cérebro já não trabalhava há muito)!... Como se já não chegasse não ter uma oportunidadezita de ir à praia durante este fim-de-semana!... Ainda as leis da física tinham que se "deturpar" de tal forma que... testar a capacidade de rotação de um corpo rígido em torno de um eixo não coincidente com o seu centro de massa... pode quase, quase, mas mesmo quase revelar um encontro imediato de último grau com um semáforo... denotaste o padrão primeiro que eu... nem me tinha lembrado disso!

E ainda dizem que os 18 não fogem!

Powered by ScribeFire.

e diz a tipa...

... imensa, mal feita, com mau gosto, que aparenta ser mais uma daquelas que se mostra "uma g'anda maluca", mas que no fundo... bem! Ainda por cima é surda! Porque ao som da frase - Tás a ver se te enterras? - ela ouve, claro está, sexo!... Como é bela a parvoíce inerente de quem tem que se afirmar num grupo de rapazes...

Powered by ScribeFire.

quarta-feira, junho 06, 2007

junho=pausa

Mês onde a pausa aparece... mais ou menos longa, consoante corre a defesa... até breve.

got no reason to smile here

segunda-feira, junho 04, 2007

post lamechas

Como fazer...
  1. Colocar uma foto do tipo "oral fixation tour" tirada por favor e com um corte que oculte o olhar.
  2. Juntar um texto que não rima, que é longo e entediante, mas ainda assim com linhas curtinhas, e que acima de tudo contemple palavras como "paixão" e "amor" repetidas vezes (atenção, não tentar rimar "paixão" com "comichão" ou com "constipação", nem rimar "amor" com "estupor" ou "contentor"!)
  3. Junte-se uma música de mau gosto, ou gosto discutível...
Et Voilá!
Um post lamechas (perfeitamente abominável)!

quinta-feira, maio 31, 2007

tempo

Vasculhava cd's farto de ouvir as mesmas músicas vezes e vezes repetidas sem conta na rádio... encontrei um cd já com a cor da capa meia comida pelo sol... a edição datava de 1988... livra! Eu sei que não o havia comprado aquando do lançamento! Fiz contas de cabeça... comprei-o anos mais tarde, já havia quem o considera-se "clássico" na altura (isto dentro do estilo, claro está). Afastado o pó que dificultava a observação da capa amarela e azul, obriguei-o a sofrer um movimento de rotação... e eis que...



Quase 20 anos depois, continua a ser uma das que mais aprecio...

quarta-feira, maio 30, 2007

toneladas

O saber não ocupa lugar, pois claro que não, diz isso depois de veres a quantidade absurda de livros, sebentas, cadernos e apontamentos que fazem parte do conhecimento a adquirir e manter. Uma imensidão que lembra uma frase "so many books, so little time"... é melhor voltar ao trabalho que ele não se faz sozinho, muito menos num dia de greve!

domingo, maio 27, 2007

pedido de casamento

De joelho no chão, com uma caixinha aveludada na mão...

- Querida... tu queres... tu queres poupar no irs?

E abrindo a pequena caixa deixa ver um anel...

- Não te preocupes, comprei a leasing. Aceitas?





Powered by ScribeFire.

sexta-feira, maio 18, 2007

barba e cabelo

Barbearias... era assim que se chamavam os locais onde os homens iam cortar o cabelo. Fazia parte do crescimento começar por ter o cabelo cortado no cabeleireiro onde a mãe ia, mais ou menos periodicamente, e mais tarde, quando já éramos "grandes" passavamos a ir ao barbeiro... sentavam-nos naquelas cadeiras altas onde tinham que colocar um acrescento para ficarmos "à altura" dos crescidos. E a barbeiros se continuaria a ir até à morte!... ou até à falta de cabelo... depende do que viesse primeiro.
Hoje em dia, é difícil encontrar um barbeiro, um dos genuínos, daqueles em que na sala espelhada tinham apenas espaço para duas cadeiras de napa verde, as paredes eram cobertas de azulejos verdes até aos dois metros de altura, e um sujeito que, de tesoura em punho, precisava urgentemente de um corte de cabelo... em casa de ferreiro... dizia eu, não há barbeiros. O seu lugar foi tomado pelos "cabeleireiros de homens"... não me refiro aqueles onde andam umas "tipas" vestidas de lingerie (aquelas meias de rede devem ser óptimas para acumular os cabelos dos clientes), falo sim do típico negócio familiar, em que ele corta, apara, ou rapa, e ela, geralmente, lava o cabelo aos clientes... ter o cabelo lavado por uma mulher que não se conhece de lado nenhum, pode ser algo deveras desagradável!

domingo, maio 13, 2007

manual de manutenção vol.I

Como manter o seu tupperware sempre funcional.
Depois de reformado compre um tupperware (daqueles que tem rodinhas, e em que os piscas são opcionais), e todos os fins-de-semana sem excepção, saia à descoberta dessas vias públicas esquecidas nos dias em que não se trabalha. Leve a mulher (ou o homem, consoante o caso) para lhe moer a paciência enquanto conduz usando no máximo duas velocidades, e nem uma só a mais, para percorrer todos os seus 15 quilómetros, é de homem, os rapazes vão ter de esperar!
Ao fim da tarde, passe pela estação de serviço no caminho de regresso, e meta os 10 euros usuais de gasolina 95, e não se esqueça do aditivo! O seu auto... errr... tupperware vai estar parado toda a semana no mesmo local, não vai querer que o motor se ressinta do desgaste!
E não se esqueça! Quando for mudar o óleo, daqui por 3 ou 4 anos (que é o tempo que deve demorar a percorrer os 2000 qilómetro que faltam para a primeira revisão), tenha em mente a troca da embraiagem, da bomba de água, da correia de distribuição, do catalizador, e também do radiador.
Conduza com precaução... um conselho da Prevenção Rodoviária Portuguesa e do Automó...livra! do Tupperware Clube de Portugal, assim é que é!

sábado, maio 12, 2007

parede

Há uma capacidade intrínseca para não conseguir ver para além do cor-de-rosa. Pessoalmente, sei bem que o mundo não é "cor-de-rosa", vejo isso todos os dias... um dos meus melhores momentos não tem nada de "cor-de-rosa"... e mesmo assim, com todos os pontos cinzentos que lhe possam ser apontados, não deixa de ser o que tenho de melhor! Preocupa-me o "cor-de-rosismo" que vejo à minha volta... algo semelhante a "cuidado com essa parede!", algo que por teimosia, por vício, ou por forma de ser, se insiste em não ver.
- Cuidado com a parede!
- Qual parede? - Bong!
Já está!... Para além do hematoma frontal, e após a aterragem, fica também um outro algures escondido "lá dentro", invisível. E se bem que o primeiro desaparece rapidamente, o segundo demora uma eternidade e mais quinze dias a cicatrizar...

a última criação da Marvel por Stan Lee

Presenting... Capitão Florestal!

Não é um adolescente, pois o seu tempo de loucura inconsciente já passou, é um homem que se julga maduro, sapiente e cheio de razão (que se baseia nas idiotices que lhe impinguem as “mais altas personalidades” que diz conhecer pessoalmente e tratar por “tu”).

O seu verdadeiro nome, através das suas iniciais, é uma brilhante analogia (ou uma infeliz coincidência) com Jesus Cristo, que veio ao mundo para salvar a humanidade. A sua missão é no entanto menor, a sua missão é fazer uma Corporação à sua imagem (e o resultado está à vista).

Para levar a bom porto esta missão (a de enterrar... perdão, salvar a dita Corporação) Capitão Florestal tem como aliado o seu fiel amigo Rulk, menos intelectual e mais dado à violência física, que acalenta secretamente o desejo de ser dono da Corporação!

Os vilões são outra brilhante criação de Stan Lee, dando-lhes traços comuns, mundanos, quase humanos, mas sempre assistidos por engenhos ou animais para engrandecer as suas batalhas contra os nossos super-heróis. Todos os vilões convivem dia-a-dia na Corporação com Capitão Floretal e seu companheiro Rulk, originando assim histórias intrincadas repletas de um humor refinado.

Os super-poderes de Capitão Florestal são a ironia muitas vezes expressa na palmadinha nas costas e no sorriso, a crítica sem razão de ser e a participação infundada, a língua bífida tantas vezes utilizada para converter à causa colegas de serviço, tal como a desculpa esfarrapada típica “a culpa é do chefe”. Já Rulk tem na força física, na pose intimidatória (acompanhada de um rosnar de cão de guarda), e no desrespeito pelos colegas, a suas melhores armas.

Como diz Capitão Florestal: “Tudo cinco estrelas!”

quarta-feira, maio 09, 2007


Mas que diabo faço eu com isto? Deram-me um "tó-colante" para meter no blog? Pensador? Pensativo?

conselho

É algo que se vai buscar ao caixote do lixo das recordações... algo que reciclamos cuidadosamente removendo as partes que não interessam... algo que arranjamos com um cuidado extremo e damos com um valor muito maior do que alguma vez teve para nós... mas ainda assim... válido.

quarta-feira, maio 02, 2007

é oficial

Está aberta a caça ao cachalote, à lontra, à morça, ao leão marinho, à baleia, e ao português, macho ou fêmea (não é relevante), com excesso de peso, gordo, imenso, redondo ou balofo... conheço uns quantos que não vão ter que se preocupar com a possibilidade de serem abordados (ou antes, embuscados) na rua por um grupo de caçadores sedentos de uma peça de caça.
Já estou a ver o estado a capitalizar com as licenças de caça grossa, licenças de armas de caça, impostos sobre material bélico...

domingo, abril 22, 2007

e então?

Porque é que andas preocupado? - perguntou-me ele, enquanto olha lá para fora por entre as ripas do estore... vestia as mesmas calças de ganga de cor preta pardacenta, que centenas de outras vezes havia usado... o mesmo casaco de ganga azul ruço de uso... tinha as mãos nos bolsos, como tantas vezes o vi fazer (porque é que estou com a senseação que já escrevi isto?)... estava visivelmente magro e tinha o cabelo rapado...
Caminhei até à janela, olhei para ele, confirmei que para além de todos os outros pormenores (onde nunca me enganaria), era realmente ele... a cara, e o olhar castanho escuro... era ele sem dúvida! Dirigi o olhar para o lado oposto ao dele, para a minha direita... o silêncio mantinha-se, não havia pressa na resposta. Eu não gostava da resposta. A resposta que tinha para lhe dar implicava admitir a minha incapacidade (era algo em que havia trabalho arduamente), mesmo para com ele, sendo ele quem era, não era coisa que eu fizesse de ânimo leve. Olhei... estacionado lá em baixo estava um automóvel de dois volumes, preto, um pug... nada de especial. Era igual a milhares de outros... excepto... - Ainda não está a funcionar como eu quero... - algo era meu naquele automóvel - Hás-de encontrar a solução...

Ainda não a encontrei... mas acredito que já estive mais longe.

sábado, abril 21, 2007

fechar os olhos

Um simples acto repetido vezes sem conta durante o dia. Fechar os olhos é um daqueles actos distraídos e ocasional obrigatório, geralmente rápido demais para se conseguir materializar uma imagem... outras vezes, despoletado por uma necessidade de focar a mente num pormenor, num instante.
Há dois desses momentos que se materializam quando faço este exercício de abstracção... o primeiro deles, é um instante em que me senti observado numa estação de comboios, e me voltei para encontrar quem esperava. O outro, o segundo, é um em que, de certa forma surpreso, vi alguém correr em direcção oposta à minha, de maneira a remover uma barreira urbanística desimpedindo o vector direcção de lá para cá... ou vice-versa... um vector tendente para zero absoluto.

sexta-feira, abril 13, 2007

69 diabretes

São aquelas coisas que, eventualmente, nos andam nas veias, artérias e capilares. Uma coisa "demoníaca" devida a uma deficiência, insuficiência, falta de eficiência, ócio, má disposição ou ataque de figadeira do pâncreas... esse imbecil que passa a vida na má vida, perdido em borgas... tanto potencial desperdiçado... tststs... anda uma mitocôndria tão atarefada para isto... Adiante!
Esta coisa dos "diabretes" é geralmente conhecida como doença de pessoa doce, óptimo para atrair melgas, mas que requer de alguma atenção, não vá dar-se o caso dos diabos aumentarem de forma descontrolada e causar danos de ordem diversa.
Não que padeça de tal maleita, que o meu pâncreas ainda está aqui para as curvas, mas tanto me chagaram a cabeça com a "picadela no dedo só para ver se o teu valor é mesmo normal porque eu não sei ser doente sozinho" que lá acedi... resultado?... bonito número, sim senhor!

coisas tuas...

Estática... betão pré-esforçado... cotas em folhas A0... avaliação estrutural ou águas residuais...

foi você que pediu whitesnake?

Pedida à distância de uma hiper-ligação... perto, é mesmo aqui ao lado... whitesnake (ou cobranca)... vai um pôr-so-sol?



So when the sun goes down
An those nights are growing colder
I will be there
Looking over your shoulder.

quarta-feira, abril 11, 2007

coisas minhas...

Quociente de expansão térmica... índice de viscosidade... estampagem por etapas... movimentos de translacção... ferro-fundido ou aço-carbono?

terça-feira, abril 10, 2007

um dia como um sábado

Aceita-se a sugestão oculta na frase "Vais pela marginal?"... aproveito o sol a cada minuto passado a ritmo de "turismo", para allegro vivace já chegou ontem! Não quero chegar... nem sequer quero que a marginal acabe! Hoje, por mim, pode durar indefinidamente... eternamente! Relatividade? A eternidade estava limitada a um piscar de olhos... e o tempo, apesar de curto, estava tão bom...

Já viste como se pôs logo a seguir?

domingo, abril 08, 2007

camas

Deve haver um "trato obscuro" entre os fabricantes de mobílias de quartos e os encarregados de educação (aqueles mais zelosos)... só pode! Não que eu tenha muita experiência nesta coisa de peças-de-mobília-que-são-usualmente-utilizadas-para-dormir (vulgo cama), mas ao longo do tempo, mais pelas conversas do que propriamente por me certificar, cheguei a uma conclusão:
As camas de solteiro fazem sempre barulho... ora rangem, ora estalam, ora gincham, o que é certo, é que emitem sempre ruído... em caso de vibração.

sábado, abril 07, 2007

tacto... pedal e areia

Traça rigorosamente original... sem qualquer modificação... sedan ou utilitário? Hmmm... prático e adequado!

sexta-feira, abril 06, 2007

should i run?

Ir devagar e pensar nos consumos, manter a postura de aspecto calmo e sereno?... Ou?... Deixar-me de coisas, dar o braço a torcer e chegar "lá" antes de sequer sair de "cá"?

Sem asas, nem apêndices... comedido (só 90), mas ainda assim, depreeeeessa! ...to you? ;)

quinta-feira, abril 05, 2007

e ao fim de tudo?

Cansados, eu arranhado, ambos com uma meia-dúzia de fotos tiradas com uma agfamatic que o meu avô me ofereceu faz agora 28 anos, com os ouvidos a zumbir do som abrangente, rouco e orquestral de máquinas que não voam porque "o engenheiro" lhes esculpiu as asas de forma invertida... ainda tivemos direito a creme para as queimaduras... uma pequena cortesia do sol encoberto que estava no Estoril nesse sábado... no dia a seguir haveria mais! Com mais emoção... repartida por duas mangas.
"Se tivesse namorada ia com ela... assim vamos os dois."

25 de Maio de 96...


Obrigado... mesmo depois de te rires à gargalhada do meu espalhanço! :)))

e o regresso?

Recordas-te? Da corrida para a camioneta que passava de 45 em 45 minutos? Pois! Tu lembraste é do espalhanço que mandei na corrida para a paragem... ahahahah! Como é que alguém cai e não para de cair numa superfície horizontal? Ahahahahah! Como ficaram os posters? Boa!... Só se aproveita um deles, o da flecha de prata do Bern...
E o grupo de escuteiros no comboio? Aquele que ocupava meia carruagem, e enchia a totalidade da carruagem com aquela música tocada com um "tazo".
- A rapariga tem uns olhos azuis... - disseste-me tu. E tinha! Um dos "garotos" tinha um chapéu igual ao meu (torcia por "itália" mas o chapéu tinha uma marca alemã de três pontas cingida por uma circunferência) - Olha! Ele tem um chapéu igual ao teu! - e tornámo-nos o centro da atenção daquele grupo, uma atenção despoletada por um pequeno dedo indicador - Não se aponta que é feio!
Estação, saíamos, o "crianço" que tinha um chapéu igual ao meu ficou com o único poster sobrevivente da minha "aterragem" - Tás a ver se causas boa impressão? - sorri - Olha! O que o rapaz que tinha o chapéu igual ao meu me deu! - a voz estava cheia de alegria - Ena! Que marca é? - perguntava uma rapariga - É um Mercedes! - dizia o miúdo com tom de conhecedor... a rapariga que tinha falado... era a outra, a que não tinha os olhos azuis como tu gostavas... Irónico?

lembras-te?

De pegar cada um em sua mochila e apanhar "uma centena" de transportes? Um fim-de-semana que começou numa sexta-feira, em que tínhamos aulas e que me deste um cartão na ponta de um cordel vermelho, seguido de um sábado começado bem cedo, sem carro, nem carta, para apanhar camionetas e comboios. Para aquela hora fazermos o percurso inverso que "todos" faziam durante a semana. Lisboa-Estoril... e vrooooooaaaaaaaaaammm... passou um deles, o laranja jaghermeister de seis cilindros em v de injecção directa e de fabrico Italiano... lindo... e eu convidado por um fanático da Mercedes... com convites da Mercedes... feliz ironia.

segunda-feira, abril 02, 2007

falha

Mais uma... mais uma para o cesto das imbecilidades! Isto começa, francamente, a ser pesado demais!

sábado, março 31, 2007

kirchhoff (com dois "agas")

O homem dos nós e das malhas. Que mais fez ele da vida, para além de ser um tipo com tendências duvidosas sobre a ocupação dos tempos livres (vai na volta, ainda fazia ponto-cruz e coisas afins como lavar a loiça lá de casa...), e para além de ter um "buraco" na lua com o seu nome? Eu não faço a menor ideia! Só sei que esta alminha, passados mais de 200 anos de ter morrido, ainda me anda a fazer a cabeça em água!
Já estou a ver o cenário todo... O Kirchhoff com um par de nós... o Ohm a resistir... o Maxwell a equacionar... e o Weber com a acústica do telégrafo... tudo a rir à gargalhada no outro mundo porque quase 300 "marmelos" queriam ir ver o rally de Portugal (o melhor do mundo, não fossem certos imbecis!) e não podem por causa deles!

mas... que diabo?

Não pode ser verdade... não pode ser verdade... será que é?

domingo, março 25, 2007

música de fim-de-semana



Música de auto-estrada... de via rápida, ou de estrada secundária. Tanto faz! Qualquer uma me serve para ligar pontos no mapa...

quarta-feira, março 21, 2007

vintro m43

Agora que está o inverno acabado, e antes que a neve derreta... a mónica decidiu atirar-me uma bola de neve certeira! Ouch!

Sete coisas que faço (mais ou menos) bem:
1. Ligar pontos no mapa
2. Desatinar com computadores
3. Ouvir música por tudo e por nada
4. Modelos disto e daquilo
5. Procurar barulhos irritantes
6. Ver pormenores que ninguém espera que note
7. Dormir!

Sete coisas que não sei fazer (ou que simplesmente não faço):
1. Dar graxa com a finalidade de ser beneficiado
2. Tenho uma voz óptima para escrever à máquina
3. Pegar numa ferramenta sem que haja sangue a seguir
4. Fixar regras de jogos de cartas
5. Lavar loiça sem praguejar
6. Correr para apanhar transportes públicos
7. Ler um jornal, ou revista, do princípio ao fim.

Sete coisas que me atraem no sexo oposto:
7. O rabo
6. O olhar
5. A capacidade de me surpreender
4. As mãos
3. O cabelo
2. A mente
1. O nariz... só porque é a primeira coisa que reparo.

Sete coisas que digo frequentemente:
1. Pois...
2. GdT!
3. Com'é qu'é?
4. Tudo bem?
5. Você é mesmo um "porco capitalista"!
6. Isso é o que todos dizem!
7. Deves ter muito a ver com isso.

Sete actores/actrizes que admiro:
1. Sean Connery
2. Harrison Ford
3. Johnny Deep
4. Jodie Foster
5. Hugh Jackman
6. Charlize Theron
7. Michelle Pfeiffer

Com o pó que anda por aqui, é melhor evitar designações... não vá, em vez de uma bola de neve, aparecer uma bola de cotão gigante!
Mas quem desejar arriscar uma crise de espirros, faça favor!

quarta-feira, março 07, 2007

segunda-feira, março 05, 2007

engenheirices

Falando em tom neutro e volume mediano num anfiteatro com mais de uma centena de pares de orelhas...

- 50 Hertz de frequência é uma velocidade muito baixa para um electrotécnico, mas muito elevada para um mecânico...

... lá tinha que vir este tipo falar mal...

... já o valor de π (leia-se "pi") para nós electrotécnicos é 3.14, para os mecânicos é 3.1416, e para os civis é 3... ou 4!

No meio da gargalhada geral, não pude deixar de rir também... não só pela imensidão de erro que tal arredondamento traria a qualquer conta que estivesse a fazer naquela altura, mas por tantas outras coisas que me vieram à mente e que não eram daquela sala.

sábado, fevereiro 24, 2007

músicas pe(r)didas

Perdida porque já nem me lembrava dela! Mas soube-me bem ouvi-la a caminho de casa ao fim do dia. Fiquei, no entanto, com a sensação que seria a música ideal para uma viagem entre o crepúsculo e a escuridão... para ir rasgando o cair da noite como uma flecha de prata deixando o rasto vermelho dos farolins...
Pena as viagens não serem assim tão breves como certas músicas... breves, mas mantendo todo o encanto que de uma viagem longa.



Qualquer dia tenho que mudar o nome de "Tdi" para "Jdi"... "Jukebox de injecção directa"!

terça-feira, fevereiro 20, 2007

ilusionismo (ou mania nº3)

Nada de coisas muito complexas, que a única coisa que eu consigo fazer realmente desaparecer é o dinheiro! Não por ser um porco despezista, mas porque ele simplesmente... desaparece sem que quase lhe sinta o volume dentro da carteira! Forma de combater isto? Escolher a moeda mais pesada em circulação e colocar uma de parte por dia... pelo ritmo da coisa... lá para o ano 22540 tenho o equivalente a um primeiro prémio no euro milhões. Vou ficar rico!

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

obras e reparações

Caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho e mais caruncho!
Nódoas, manchas, olho verde, homens mascarados bonitos, emails de homens bonitos, peitos bonitos, crimes exemplares, powerslave, iron maiden, cantigas e mais um pouco de caruncho!
Reparações, obras, capot, mecânica, oficina e faz tudo, e mais caruncho!!!

O que foi que me deu? É que o "Obras e Reparações" ainda está vivo!... e são estas as palavras usadas nos motores de busca que levam lá os visitantes... se por acaso está a ler isto... funcionou!

Eheheheh!

Deduz-se que...
este mundo está carunchoso,
não sou o único a apreciar música considerada "barulhenta",
anda meio mundo a querer reparar/obrar/fazer tudo,
há quem se interesse por artes,
andam assassinos à solta,
e...
há por aí muita gente desesperada!!!

sábado, fevereiro 10, 2007

queijo limiano

- Curte este anúncio!

"Acha que um motor a diesel pode ter o mesmo rendimento que um motor a gasolina?"

- Defina "rendimento"?
- Tinhas que estragar tudo?!

músicas pedidas

Finalmente! Robbie Williams no seu melhor!... Ou não é ele? É o João Braga?! Eu já estava a achar os arranjos musicais demasiado bons para serem do Robbie...



Sexed Up in the voice of João Braga.

Silêncio que se vai cantar o fado!

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

chave e fechadura

Chegava a casa depois do trabalho, e meio ensopado pela chuva que ainda caia, tirei a chave do bolso e... que diabo?! Na fechadura da porta de acesso às escadas do prédio estava ocupada... e o elevador arrancava nesse momento. Quem foi, há-de voltar para trás quando der por falta... - ensopadamente poisei a "bagagem" no chão e vi os números seguirem-se - livra que mora alto - sopunha que, quem quer que fosse, estaria naquele momento a percorrer todos os bolsos... repetidas vezes!... em busca de três ou quatro pedaços de metal dentados (ou furados) para entrar em sua casa. Daria pela falta da chaves, e viria por "aí a baixo" em busca delas. E assim fui! Alguns minutos volvidos e o elevador descia - que porta-chaves tão estranho... de quem será - o elevador parou, a porta abriu-se, e de lá de dentro surgiu o dono das chaves.
- Você está com cara de quem perdeu alguma coisa... - disse, enquanto segurava as chaves.
- Ah! Achou-as! Devem ter-me caído...
- Não. Estavam na porta mesmo.
- Obrigado... sabe o que você é?
- Hmm? - levantando à sobrancelha esquerda.
- Você é um anjo da guarda! Já da outra vez com o carro...
O homem lembrou-se sei lá do quê! De coisas que já nem eu me lembrava! Coincidências, digo eu... anjo da guarda chama-me ele... da guarda ainda escapa, agora... anjo?

terça-feira, fevereiro 06, 2007

mais do mesmo

Os assuntos da actualidade são recorrentes em todos os canais de informação. Jornais, televisão, "outdoors" e até a publicidade que chega pelo correio.
Lembram-se daqueles auto-colantes amarelos que havia para colocar nas caixas do correio há uns anos atrás? Pois, a de minha casa tem um desses. Já lá estava, e achei por bem não me entupirem a caixa do correio com papéis do professor Mutumbu, publicidades de operadores de telecomunicações, e outros tantos papéis fotocopiados ou impressos a impinguir a utilização de um serviço qualquer.
Supostamente apenas entram na minha caixa do correio (soa esquisito dizer "minha", questão de hábito, digo eu) contas... o que não é bom, mas é um mal necessário para que possa usufruir daqueles certos serviços indispensáveis ao mais básico dos confortos, ficam assim as contas catalogadas como "correspondência tolerável".
Mas hoje não! Acho que vou mesmo que ter que perder a cabeça com os tipos engraçadinhos (e que pelos vistos não sabem ler) da "conferência episcopal portuguesa" e com as associações suas apêndices com nomes sempre compostos com a palavra "católico"!
Um dos papéis, um cor-de-rosa adequado para transmitir uma proximidade com a maternidade, tinha o questionário seguinte (as respostas possíveis eram "sim" ou "não" em todas as questões, umas frases em letra normal outras em negrito tal como vou colocar):
  1. A uma mulher com dificuldades na vida é a morte do filho que a sociedade oferece?
  2. Liberalizar o aborto torna a sociedade solidária?
  3. A mulher é mais digna por poder abortar?
  4. Uma sociedade que nega o direito de nascer, respeita os Direitos Humanos?
  5. É maior o direito da mãe a abortar do que o direito da criança a nascer?
  6. Sem razão clínica, abortos são cuidados de saúde?
  7. Concorda que a saúde de outras mulheres fique à espera?
  8. Aborto "a pedido da mulher". Há filho sem pai?
  9. Quem engravida gera um filho. Mata-se um filho?
  10. É-se mais humano às 10 semanas e 1 dia do que às 10 semanas?
Questões e regras de Português à parte (porque, sinceramente esperava bem melhor de quem não faz ponta de corno, apregoa cultura, e tem tempo livre de sobra!), passo a responder da mesma forma... com perguntas!
  1. É culpando, e instigando o sentimento de culpa na mulher que a igreja ajuda as mulheres com dificuldades? (já alguém reparou que tudo é pecado?)
  2. Ameaçar de excomunhão quem votar sim no referendo torna a sociedade mais solidária? (prática comum no interior do país)
  3. Discriminar a mulher no ceio da igreja dando-lhe um papel secundário contribui para a mulher ser mais digna?
  4. Uma sociedade que dá a liberdade de escolha, pode ser acusada de não respeitar os Direitos Humanos? (se a igreja tivesse o poder para isso, ainda haveria inquisição, mas isso agora não vem ao caso!)
  5. Clinicamente já temos definido "morte", e "nascimento", está definido? (vamos ter que utilizar o mesmo ponto, actividade cerebral)
  6. Esperam que, sendo o aborto despenalizado, os abortos sejam realizados num vão de escada? (ou em analogia, sem produzirem nada acham bem terem benefícios fiscais?)
  7. Concorda com o sistema de saúde? E com as listas de espera? E com o tempo para uma consulta? E com... ?
  8. O filho cujo pai não o reconhece, não o cria, não o educa, não o ama, é Pai? (e não entro em mais pormenores, que a igreja já cheia de "pormenores" destes!)
  9. Uma mulher que é violada gera um filho é obrigada a viver com a recordação viva dessa violação? (exemplo extremo? ainda assim um exemplo real!)
  10. (finalmente uma pergunta decente!) Sendo o desenvolvimento do feto in-utero sequencial e sempre igual, conseguem-me demonstrar, com base em factos, que um dia no desenvolvimento não faz diferença?
Na minha opinião, nenhuma mulher vai fazer um aborto "só para saber como é que é"! A decisão de fazer um aborto já é bastante difícil para a mulher (e em casos, para o homem também) só por si, não é uma decisão tomada de ânimo leve!
Ora, e se os "meninos de coro" se deixassem estar na toca deles, onde vivem às custas da restante sociedade, e deixassem as Mulheres e os Homens, comuns mortais, sair da "idade das trevas" onde ainda estaríamos pela vontade da igreja, não fariam melhor figura?!

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

cinzento

Não sei o porquê, estávamos todos dentro da sala, uns sentados outros de pé, mas estávamos lá todos. Algo se passava... Eu estava sentado, e enquanto esperava, ouvi um barulho, mesmo junto ao ouvido direito, contrariei o acto reflexo de enxotar "aquilo" com uma palmada no ar, levei apenas a mão direita a junto da orelha... senti um peso muito ténue sobre a mão... mexendo-me devagar coloquei a outra mão por cima com jeito... era um pássaro! Abri as mãos, ao admirá-lo, tive a certeza que nunca havia visto nenhum como aquele... tinha pormenores particulares no bico e nas patas, conjugados com o próprio tamanho que tinha, que o tornavam diferente. Olhei-o espantado, tal como estavam espantados todos os presentes... agora, já não estava pousado na minha mão, antes saltava dela esvoaçando frenético em direcção aos meus olhos, às bochechas (ou onde elas deveriam estar), ao nariz... fazia-me cócegas com as asas e com o bico... e tão depressa começou com isto, assim saiu porta fora, e eu saí a seguir. Vi-o fugir para cima do telhado, perguntei a quem estava à porta se conhecia aquele pássaro (era alguém que percebia disso)... respondeu-me - Nunca tinha visto nenhum, mas anda aí um bando deles. - e ao olhar na direcção onde ele apontava, havia agora algumas dezenas deles... alegrou-me saber que não era único, só... mas entristeceu-me não o puder distinguir no meio de tantos.

quarta-feira, janeiro 31, 2007

genéricos

Parece que tenho a tensão baixa. Quando anda tudo a queixar-se de hiper-tensão, de colesterol e afins, o médico diz-me que tenho que carregar no sal e beber café. Mais ainda?! Na Holanda, receitavam-me um genérico... aqui tenho que beber Sical! Ou Delta!

sábado, janeiro 27, 2007

previsão do estado do tempo


Amanhã o céu apresentar-se-á nebulado com possibilidade de abertas mais para o final do dia. Haverá uma ligeira subida da temperatura mínima devida a uma frente quente que se deslocará de norte para sul do país, e que irá igualmente influenciar o tempo na segunda-feira, provocando uma gradual subida da temperatura e um céu completamente limpo.

quarta-feira, janeiro 24, 2007

uma questão de egocentrismo

Não me digam que não têm uma pontinha de egocentrismo! Todos o temos, em doses variadas, proporcionais, exageradas, ou desmesuradas, mas o que é certo é que o temos! O meu, por exemplo, é visível aqui mesmo no blog... quer dizer, porque raio faz uma pessoa um blog público, de forma a que qualquer um o possa ler? Outro exemplo, qual a razão que leva, um qualquer "navegante", a passear de blog em blog deixando comentários (sempre, e só, no último post)? É, no fundo, para ser, nem que seja por um bocadinho, o centro das atenções, o centro de uma esfera.
Mas, não é deste egocentrismo que falo...

Todos temos uma "amostra dessa essência" herdada, ou instigada, no crescimento. Outra forma de egocentrismo é quase uma perseguição! Quer-se a atenção de alguém... deseja-se tanto a atenção de uma pessoa em particular que, mesmo que se faça figura de idiota, insiste-se na imposição da presença. Esta forma é algo destrutiva, tanto que se chega a "espantar" (ou ficam as tentativas no mínimo) de afastar qualquer primata daquela pessoa de quem se deseja ser o centro do mundo. E aqui entre nós... já me fartei de rir à custa de coisas destas desde que fiz o blog.
Novamente, não é este o egocentrismo de que falo...

Caso particular, e actual, é o egocentrismo do leitor (não no geral, note-se!). Aquele, ou aquela, que lê algo e se revê no que está escrito... como se fosse a si dirigido. Geralmente, não se conhecendo quem escreveu, é dado desconto, ou, se é mesmo para quem lê, está "identificável". Um exemplo destes casos, um texto de blog... em que imediatamente quem lê, se coloca como ponto central da criação do texto que acabou de ler.

Pois, era exactamente deste tipo de egocentrismo de que estava a falar!

domingo, janeiro 21, 2007

quinta-feira, janeiro 18, 2007

o coupé vermelho

É coisa para valer para cima de uma pipa de massa... coisa para gastar, à vontade, para cima um absurdo de gota... e coisa para ter uma manutenção, mas muito para cima, de um horror de guita!... e é velho!

Que fará este! Qualquer semelhança... é pura coincidência!... Ahhh... Cuore Sportivo!!!

(bem sei que o petróleo está a acabar, bem sei que os carros são um dos cancros a nível de poluição... fazer o quê?)

terça-feira, janeiro 16, 2007

inclinações

Rai'spartam o vento! Tanta conta, tanto projecto, tanta retificação, tanto cálculo de tensões para isto?! Ficou inclinada! Ora gaita!
Culpa do tripé!

sábado, janeiro 13, 2007

hoje

A paisagem passa a uma velocidade constante na oitava relação de uma caixa ligada a um motor diesel de baixa rotação... passa demasiado devagar para o meu gosto!

(preferia o conforto de um veículo eléctrico)

sexta-feira, janeiro 12, 2007

tempo é dinheiro

Fui aos correios! E, tal como às repartições de finanças, tenho alguma aversão a estes locais. Nada pessoal, mas é sítio onde prefiro não ir, ou porque há sempre gente conhecida que aproveita para meter o nariz onde não lhe diz respeito, ou porque há sempre alguém "inteligente" que tenta passar à frente dos "estúpidos", ou... pela razão deste desabafo.
Tempo é dinheiro, sempre ouvi dizer, mas nas estações dos correios e nas repartições de finanças, isto é um lema levado ao extremo! Quase raiando o ridículo... é o nosso tempo, perdido... pelo dinheiro deles, que poupam em não meter mais funcionários!

quarta-feira, janeiro 10, 2007

fotografia

"Zapping" no rádio do carro, logo pela manhã, a caminho do trabalho, dei com um posto onde falavam deste texto. Teria sido um mero "acidente de percurso" igual a uma falha no asfalto, não fosse ter ouvido "...numa longa viagem de comboio..." (sim, tive a sorte de apanhar o texto desde o ínicio), de imediato me fixei no que se falava e o "zapping" parou...
Realmente, vejo que havia ali alguma razão, a música tem destas coisas... dá-nos sensações "cá dentro"! Faz-nos lembrar, pensar e até sonhar... a ponto de nos arrepiar, exteriorizando assim a reacção interior.
Tenho sido afortunado. Já "vi" fazer música à minha frente, e pediram-me a opinião - Fica melhor assim?... Ou assim?... - Não sei, nunca sei... é como uma voz que soa melhor ou pior consoante o estado de espírito de quem fala.
Mas, eu prefiro dizer que, não só a música, nem mesmo só uma foto, me faz lembrar "bons tempos". Há uma imensidão de "coisas", objectos, sabores, cheiros, sons, que me fazem regredir, lembrar, e arrepiar por bons momentos já passados... uns afastados e outros repetíveis... e é por esses que espero ansioso!

segunda-feira, janeiro 08, 2007

máquina

Há algo nestes engenhos que acho desconcertante... demasiados botões... ou demasiadas... coisas! 'Tá certo, eu estou habituado a rotações, trepidações, solavancos e até saltos, correias, motores eléctricos e filtros, mas... uma máquina de lavar roupa?! Como diabo funciona isto?

(e onde estão os injectores disto? e a bomba? e a centralina puseram-na onde?!)

Recuso-me a fazer como um amigo meu fez nos primeiros tempos de casado... todas as semanas tinha camisolas novas, e agora... tem centenas de t-shirts brancas!

sábado, janeiro 06, 2007

mais um ano

Parabéns! - disse-lhe eu. Seguiram-se os agradecimentos, e a conversa da treta sobre quase esquecer a data (eu bem te vi a marcares a data na agenda do telemóvel ontem!)... mas mesmo assim não se enganar e ligar para a Telepizza.
- Tenho que ir trabalhar! Olha, o que eu te desejo é saúde!
- Eh pá! Foram os melhores parabéns que me deram hoje!

Já devias saber que é nas desacelerações (ou travagens) que acontecem os "transtornos", mas estou confiante que isso não é nada de mais. Vais ver!