terça-feira, janeiro 25, 2011

sabedoria

Se houve coisa que aprendi com a minha avó, foi escolher cogumelos silvestres, e até hoje ainda não tive problemas com os cogumelos que como... se até hoje aprendi alguma coisa com o meu avô, foi a prever o tempo para a semana, e ainda não errei no que toca ao frio! Dasss!

finalmente!

Ontem no programa prós e contras, finalmente houve alguém que colocou em palavras o que há tanto tempo eu pensava "os sacrifícios não são este ano e o próximo, terão que ser durante mais tempo para que Portugal consiga ter uma margem de manobra"... será que ainda ninguém tinha pensado nisso antes?

trabalhar sozinho

Monótono? Secante? Chato? Francamente o velho ditado "antes só que mal acompanhado" faz bem jus à realidade!
Tive que trabalhar sozinho, resultado de uma fórmula do acaso um tanto ou quanto duvidosa, em que, eu é que conduzia, eu é que abria e fechava as instalações, eu é que levava as aves para a clínica, eu é que preenchi a papelada referente à entrega das aves, e era ainda eu quem fazia as informações e as escalas ao computador (faltou receber as comunicações para fazer o pleno)... e foi o único dia até hoje em que não tive uma discussão com o meu subordinado, com o meu chefe de serviço, ou com o colega de ronda, porque simplesmente não havia nenhum que me pudesse torrar a cabeça de forma alguma. Só trabalho, nada de jornal da caserna!... Para equilibrar no resto do tempo em que não estava a fazer nenhuma destas coisas, estava capaz de morrer de tédio!

segunda-feira, janeiro 24, 2011

vamos lá ver se estas coisas da tecnologia sempre funcionam...

Acabei de encontrar uma aplicação (grátis que os tempos são complicados) que me permite "mandar bitaites" directamente do telefone... deixa cá ver se isto funciona em condições... Pois... Pelos vistos não permite a colocação de fotografias... Má onda!

mania de pensar "verde"

Este constante incremento de "coisas" movidas a electricidade começa a tomar contornos de enredo de filme de terror...

Vejamos, todos sabemos que o monstro (o petróleo, esse malandro!) está no sotão, mas achamos boa ideia ir lá enfrenta-lo depois de terem desaparecido uns quantos dos que nos acompanhavam (aqui podem ser colocadas todas as espécies animais, vegetais e assim-assim que já estão extintas). Sabemos que todos o usámos, mas nunca lhe demos a devida atenção (já viram monstro de enredo de filme de terror que não tivesse uma razão sentimental por trás de toda aquela carnificina?), achamos que temos a solução para o destruir (os veículos de quatro rodas eléctricos), usámos a arma apenas para constatar que, realmente, não tem qualquer efeito, para além de enfurecer ainda mais o monstro! O monstro sai do sotão e persegue-nos por todo o lado (já viram bem a quantidade de publicidade que há em torno da ecologia e o que realmente é feito para bem do ambiente sem que haja uma razão económica por trás dela?) utilizando em nós a arma que tentámos utilizar nele anteriormente (eu nunca levei com um carro eléctrico, mas deve ser coisa para deixar mazelas), e quando na nossa fuga descontrolada, vamos olhando por cima do ombro e nos estatelamos no chão ao comprido e o monstro se aproxima para desferir o golpe final... descobrimos a arma adequada mesmo ali à mão e que sempre esteve à frente do nosso nariz, tão simples e que até nos recusámos a pensar nela por termos a mania  que somos "muito inteligentes" (neste caso, a deslocação em massa para médias distâncias, a deslocação a pé ou de bicicleta para curtas distâncias, o transporte de mercadorias por ferrovia... )!

Isto é uma comparação ficcional, qualquer semelhança entre a realidade ecológica e um filme de terror é obra do acaso... ou não!

quinta-feira, janeiro 20, 2011

astrologia e signos...

Deve haver meio mundo a opinar sobre este assunto... será possível que está gente se vai render a mais uma conclusão de um estudo norte-americano e redesenhar os mapas astrais todos, apagar as tatuagens e, quem sabe, mudar de comportamento?
Parece-me que isto é mais um daqueles jogos de marketing para vender os livrinhos anuais sobre as previsões para o ano seguinte... com esta alteração, a maioria das pessoas (refiro-me às crentes) vai já a correr comprar as actualizações!
Se for como nos bilhetes dos Tokio Hotel, o lançamento do último livro do Harry Potter e a colocação à venda do novo iPhone, a Fnac ainda vai acabar por abrir portas a meio da noite para fazer uns trocos...

terça-feira, janeiro 18, 2011

escova de dentes eléctrica e a pegada carbónica

Por favor, alguém me explique como é que uma escova de dentes eléctrica pode diminuir a pegada carbónica!

Será que a substituição das cabeças suplantam o facto de GASTAR ELECTRICIDADE?!

segunda-feira, janeiro 17, 2011

sociedade civil

É um programa na RTP 2 com temas da actualidade e sobre a actualidade, que passa "a seguir ao almoço". Por vezes, quer o destino, que a televisão esteja ligada a essas horas, e que, eu esteja na sala e oiça qualquer coisa desse programa, como hoje.


Hoje, o tema de discussão era a correcta utilização dos recursos energéticos, e como aproveitarmos o máximo para gastarmos o mínimo. Falaram de painéis solares, acho bem! Falaram da necessidade de electrificar o transporte de mercadorias, acho MUITO BEM (já pareço os tipos do parlamento... )! Falaram das lâmpadas economizadoras, acho mui... alto e pára o baile! Vamos cá ver uma coisa, essas lâmpadas têm um funcionamento análogo ao das lâmpadas fluorescentes, e como tal, o consumo de energia é mais elevado quando "se liga a luz" do que passados alguns minutos, quando a lâmpada economizadora atinge o seu pico de funcionamento/rendimento (mesmo os mais despistados já devem ter notado que a luminosidade destas lâmpadas vai aumentando), a bem dizer, lembra as boas e velhas válvulas dos rádios. Já as incandescentes, por não terem o "arrancador", tornam-se mais económicas para curtos períodos de funcionamento, caso de uma despensa em que se entra e sai logo de seguida (ou porque raio acham que as tabelas comparativas têm como unidade de tempo a hora?).

Não sou, anti-verde, ou anti-ecologia, nada disso! Sempre que necessito de luz para escrever ao computador que está em modo "eco" o que lhe reduz a performance e o consumo energético, são duas (sim, duas!) lâmpadas economizadoras que me dão a luz para ver as teclas, e que por sinal foram caras que nem c@#n@$, mas estão ali vai para quatro anos, mais do que qualquer incandescente que tenha usado, ou até que todas as economizadoras de "primeira geração" que por aquele candeeiro passaram.

defensor moura

Sou só eu que reparo que a campanha eleitoral deste senhor é muito egocêntrica? Ou será que, aos 65 anos, ainda acha que tem que melhorar o currículo?

domingo, janeiro 02, 2011

adeus :'(

Foi-se embora a minha boneca de trapos... a minha Emília...

sábado, janeiro 01, 2011