quarta-feira, dezembro 31, 2008

terça-feira, dezembro 30, 2008

guitar hero para a noite de fim de ano...

Aconselho a visitar o Barcelónica, o blogue do J, para matar saudades dos amigos que passam o ano longe, e que nestas alturas, voltam "a casa" sem ser no Mercedes do patrão a 200 e tal quilómetros à hora! Vai-te preparando para o 1º de Maio! ;)


sexta-feira, dezembro 26, 2008

natal

Mas há alguma coisa realmente boa numa altura do ano em que há mais trânsito e mais despesas, menos paciência e menos compreensão?
Eu acho a quadra natalícia, nos parâmetros actuais, é a obra de um idiota... teve a ideia de fazer desta altura um tempo de capitalização.

Nota: Não dei prendas, não mandei sms's de Natal, mas fui jantar a casa da avó.

quinta-feira, dezembro 18, 2008

pré-tupperware

Gosto do som do trabalhar de mecânicas antigas e desactualizadas. Parando num qualquer semáforo mais demorado numa estrada em que se passa sem rota definida mas com um destino... nesses momentos, quase consigo ver alguém sentado numa sala a fazer rabiscos numa folha de papel, e daí seguindo para um processo de fabrico e montagem, coisas feitas com cálculo e método, mas que, poderiam não ser bem assim, reaproveitando, reutilizando, repensando, recalculando, metal e faísca, plástico e molde, borracha e calor, vidro e sonho... ligando sintético e natural bruto trabalhado e apurado, milhares de conclusões de processos que originam novos processos em sequência, misturados e aglomerados aos poucos, cruzando-se entre si para dar origem a um produto final de cromados reluzentes e cor lustrosa e luminosa. Ar, óleo, água e gasolina, cada qual com a sua função de manter animado um objecto não vivo, insensível, indiferente... que ao rodar de uma chave descodificada, pois a electrónica ainda só ajuda apenas, ainda não domina, ainda não corrompe a pureza de um tetracilíndrico que se anima meio engasgado antes de começar a ronronar passados segundos... um orgulhoso proprietário quando novo... um desinteressado segundo dono... um desligado terceiro... e um último, que lhe pede que seja ele próprio (como se o objecto pudesse compreender...), que, simplesmente se realize no objectivo para o qual foi fabricado... rolar com carisma e que desperte desejo!
Desejo já não desperta, a idade e a electrónica a isso levaram, mas o carisma, esse nunca se perde... tudo isto, por um simples trabalhar com-passado...

quarta-feira, dezembro 03, 2008

frio e neve

Já nem nos coelhinhos branquinho e fofinhos se pode confiar!

segunda-feira, dezembro 01, 2008

more brits!

Supermassive Black Hole!


Knights of Cydonia


Agrada-me particularmente a segunda... o clip é bastante... estranho?

discussões

Tal como se defendem os gostos pessoas, defendem-se clubes de futebol e marcas dos mais diferentes produtos... isto sempre, reduzindo à mais pequena parte, resume-se a gostos... e à má-língua de criticar o que é de outrem engrandecendo a própria posse.

Quando se anda com um tupperware que mais parece ser da mulher, quando esse mesmo tupperware puxa onde puxam os triciclos das crianças, e, quando o condutor do supracitado tupperware tem necessidade de se afirmar... é óbvio que me remeto ao silêncio! Desabafei...

terça-feira, novembro 25, 2008

euromilhões

Se ganhasse o euromilhões pensava em vocês todos... quando estivesse de molho na "sopa" na minha praia privada!

sexta-feira, novembro 21, 2008

simulacro

Se alguém ouvir falar deste "evento" e se lembrar de o elogiar, deverá antes de o fazer, pensar no seguinte... a viatura que é o "posto avançado de comando" da protecção civil de Lisboa, foi deslocada hoje de manhã bem cedinho a uma "qualquer oficina na zona do referido município de Lisboa" para tratar dos pneumáticos visto que tinha que estar pronta para o simulacro deste fim-de-semana... é impossível não pensar, e se, digamos, dois dias antes de começar o simulacro houvesse realmente um terramoto (ou outra qualquer situação) em que fosse necessária aquela viatura, o que será que fariam? Ahhh! Claro! É verdade, a protecção civil recebe um fax da "crosta terrestre" que por sua vez, recebe a informação via correio electrónico com a informação de que "isto vai abanar tudo", e pronto! A protecção civil tem tempo para preparar os meios de forma a estar operacional!
Estava quase capaz de apostar o meu mísero ordenado que no final desta palhaç... errr... deste simulacro, vai aparecer um qualquer responsável (até quase apostava que com excesso de peso e bigode) dizendo que "correu tudo pelo melhor e que demonstrámos o nosso nível de prontidão"... nas sábias palavras de um amigo: Que merda de País!

quinta-feira, novembro 20, 2008

the darkness?

Uma noite fria no inferno?! Isso é que não!



Hmmm... isto faz lembrar os tempos áureos de uma outra banda inglesa, ou não?

lisboa

Recorri ao transporte público de massas, o metropolitano, a um horário não coincidente com de quem vai trabalhar, a meio da manhã. A rede do metro (para os amigos) teve um valente aumento na sua extensão, o que por um lado o tornou mais abrangente, também o tornou mais demorado (é um assunto que apenas será resolvido no futuro, com as ligações entre linhas). Esta demora acaba por fazer com que seja compensatório andar a pé em vez de percorrer mais umas quantas estações e fazer mudanças de linha, desde que tenha pernas, prefiro ir a pé "poupando" no tempo.
Andei cerca de 3 km a pé, e a conclusão a que cheguei é que Lisboa, como cidade, está moribunda... grande parte do comércio encontra-se fechado por tempo indeterminado, e até os centros comerciais aparentam desolação (mesmo os mais recentes), acumulam-se as viaturas abandonadas aqui e ali constantemente alvejadas pelos pombos, um sem número de prédios de fachada elaborada não têm tecto, não têm manutenção, ou estão escorados para que não cedam à força descoberta por Newton... e os pedestres? Os pedestres variam dos aposentados que se imobilizam ao sol num banco de um qualquer "jardim" mal tratado, passando por um baixo número de jovens que partilha esses mesmos jardins para "fumar umas", até aos sem abrigo e os pedintes, que daqui e dali fazem o "seu cantinho" ou a "sua fonte de rendimento"... tudo em tons pálidos, mortos, decadentes e sem apuro... a excepção são os funcionários dos bancos e os vendedores de automóveis, os "bem vestidos" que se encontram à porta para contornar a lei do tabaco porque, não há quem entre nos estabelecimentos para lhes ocupar o tempo.
Olhando para o chão, as pedras da calçada estão gastas, e nos intervalos entre elas, rapidamente se perde a conta às pontas de cigarro neste "cinzeiro português", as folhas das árvores, já nuas, amontoam-se onde o vento as larga... quem passa de carro, porque o transporte público é para quem sofre com a tal crise, não vê, não tem tempo para ver... que Lisboa está a morrer...

quarta-feira, novembro 19, 2008

desafio

(clicar no título para ver a origem do desafio)

Regras:

1 - Colocar foto individual nossa:

É de minha autoria e é uma sombra individual.

2 - Escolher banda/artista de eleicção:


3 - Responder às perguntas com títulos de músicas da banda escolhida:

  1. És homem ou mulher? Man on the Edge
  2. Descreve-te. Caught Somewhere in Time
  3. O que as pessoas acham de ti? Weekend Warrior
  4. Como descreves o teu último relacionamento? Age of Innocence
  5. Descreve o estado da tua relação. Gates of Tomorrow
  6. Onde querias estar agora? Where Eagles Dare
  7. O que pensas a respeito do amor? Brighter Than a Thousand Suns
  8. Como é a tua vida? Wasted Years
  9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo? Heaven Can Wait
  10. Escreve uma frase sábia. The Thin Line Between Love & Hate
4 - Escolher quatro animadores de blogue... hmmm... sirvam-se, que eu já estou mais a dormir que acordado.

segunda-feira, novembro 17, 2008

calores

Numa noite de céu estrelado fui obrigado a abandonar a companhia da salamandra... uma desagradável luz vermelha indicava "monstruosa falta de líquido refrigerante!"...
Ora grande impropério!


A estas horas onde é que vou arranjar água? Mexer em água quando as temperaturas rondam os 4ºC... grande impropério! Os cães nas redondezas não se calam... ora grande impropério outra vez! Quase duas horas para percorrer 88 quilómetros... ridículo!
Obrigado a quem não fechou as instalações da Piscina Municipal, e logo durante a rega do relvado... já me safei! E já que estou numa de agradecimentos, ao funcionário da estação de serviço pelas duas garrafas... muito grato!

Velhinho mas teso!

sexta-feira, novembro 14, 2008

righteous kill

Ora muito bem! Dois nomes que não tem necessidade de ser referidos, num filme que, apesar de não ser completamente inesperado, não está nada mal no que toca ao climax final.


terça-feira, novembro 11, 2008

indicações por telefone

- Olá, olha podes dizer-me como chego ao espaço monsanto? Qualquer coisa das aves?
- Ah... sim. A clínica. Mas vais entregar uma ave?
- Sim, é um pintassilgo que estava lá no banco.
- Foi lá fazer um depósito a prazo?

segunda-feira, novembro 10, 2008

serve?

Desloque-se com classe (e peso) entre localidades sem necessitar de alugar quartos... "casa" não incluída!

sábado, novembro 08, 2008

rodas e cores

Preto... a sobriedade da razão.
Branco... ponto inicial da emoção.
Vermelho... pura paixão.

Razão, emoção ou paixão, o adequado era o vermelho! Qual Mercedes! :L

quarta-feira, novembro 05, 2008

michael crichton

Aos 66 anos o cancro ganhou...

Deste não haverá mais :\

O que alguns consideravam um "marrão", para mim misturava ciência com ficção, a dose certa de real e com a devida componente imaginária.

sexta-feira, outubro 31, 2008



siadap

Mais uma bonita sigla que significa "Sistema Integrado de Avaliação da Administração Pública", o tal sistema de avaliação que os dirigentes quiseram implantar nas forças da ordem (valha-me inserir nome do representante da religião que preferirem). Esta sigla, ou o que ela abrevia, tem como intuito melhorar o funcionarismo público, convertendo o funcionário público em trabalhador público com objectivos quantitativos e qualitativos a cumprir, mas pelo que tenho visto... anda tudo muito na mesma, com uma única diferença, o (ainda) funcionário público que atende ao público anda bem mais simpático e sorridente. Será um sorriso de ironia?

quarta-feira, outubro 29, 2008

ananase

Ananase é um anti-inflamatório... será que o seu respectivo genérico terá o nome de... abacaxe?

google fight

A google está a crescer a olhos vistos, a ponto de até se estar a estender para um mercado tão apelativo como é o dos telemóveis. De entre tanta coisa que eles, google, têm disponível para os cibernautas (nunca me lembro do facto espacial quando "venho" à internet) desde o motor de busca, passando pelo google earth (que tanta polémica causou nos estados unidos que alegavam violações de segurança), e acabando, porque não, aqui mesmo, no blogger. Tudo isto é google, e se o que anteriormente referi são coisas úteis, o melhor (ou pelo menos o mais usado) motor de busca, a base de funcionamento da maioria dos blogues e uma maneira muito prática de planear um atentado, há coisas na google perfeitamente... inúteis. Sendo uma delas o google fight, que não faz mais do que contar e comparar os valores de vezes que duas palavras/expressões/nomes são encontrados na rede. A única utilidade que lhe encontrei foi comparar "primeiro-ministro" a "sport lisboa e benfica", e o resultado foi "útil" apenas para revelar que a máxima do "fado, futebol e fátima" está a cair em desuso... "nosso" primeiro (ministro), a este ritmo, na altura das eleições já será mais "presente" que o clube que dizem ser o maior do mundo... se o clube é o maior do mundo, o primeiro-ministro tornar-se-á deus na terra com toda a certeza!

tupperware escondido no frigorífico




Gun - Steal Your Fire

sábado, outubro 25, 2008

o boneco do multibanco

Agora que já todos falaram do desaparecimento desse simpático boneco (pelo menos era sorridente, porque quanto à simpatia, ainda está para ser provada) que já ninguém vai querer saber do que aqui escrevo... what else is new?... só queria dizer, a todas as alminhas que se choram pelo dito boneco em forma de cartão de débito/crédito, para se dedicarem à busca de uma qualquer caixa, mas das que ainda são da velha guarda, e olhem para o ecrã... deixem ir passando os anúncios... e o que vêem do lado esquerdo de olhos esbugalhados e sorriso aberto?
Os ecrãs com base no tubo de raio catódico tendem a "queimar" uma imagem exposta por um longo período de tempo (no caso, esse tempo chegou a ser de vários anos), portanto, o danado do boneco que todas as vezes sorria de forma irónica em cada conta que pagava, ainda não morreu!... E o pior é que agora vem acompanhado com outro com ar de sonso!!

segunda-feira, outubro 20, 2008

vermelho

Por entre tanta "coisa" influenciada por um "deus"maior, e algumas das "coisas" eram mesmo coisas (e muito mal amanhadas!), acabei por dar com este quadro (não me ocorreu fotografar o nome do pintor e o título da obra)... eu bem o virei de todas as formas possíveis para tentar discorrer o que estaria oculto ali.
Não cheguei a conclusão nenhuma, mas aquele vermelho (era vivo e carregado, quase sangue) assim exposto fez-me voltar atrás uma e outra vez. Tinha um magnetismo próprio, apesar de ser um quadro soturno e até macabro (fez lembrar a alguém um abutre), foi o único que me fez pensar o que seria que ali estava...

terça-feira, outubro 14, 2008

death race


Lembra-me um velho jogo de computador... o death track... gostei, mas já me começa a parecer que o protagonista está fadado a ter papéis ou de bandido, ou de condutor...ou ambas as duas em conjunto (brilhante redundância).

quarta-feira, outubro 08, 2008

laptop

Abrir, escangalhar, desmontar, espalhar... deixar passar um dia... soldar, voltar a montar, não deixar sobrar parafusos, e ficar a funcionar! Comigo? Sobravam sempre peças às torradeiras!

Em resumo: Laptop, o Lego para trintões!

acção de formação

Uma acção de formação serve não só para que os formandos recebam/adquiram conhecimentos do formador, mas também para pôr o formador a par de todas as informações e acontecimentos paralelos, usualmente designados por "jornal da caserna".

tédio

A culpa não é nitidamente do formador, nem é do tempo que faz lá fora (ou cá dentro), também não se pode atribuir culpas à assistência, nem à duração do débito de informação, eu até diria que o tema é interessante dadas as funções a desempenhar por cada um dos assistentes, apesar de ser um assunto enfadonho, não deixa de ter o seu "quê" de interessante (e por vezes até bem disposto quando se formulam certas situações-exemplo), mas será que havia necessidade do tipo (ou tipos) que escreveram aquelas "bíblias" de obrigar o "leitor" a andar a saltar entre livros e entre temas? E já agora, será que alguma vez ouviram, por acaso, falar de índices? Davam um jeitão!

sexta-feira, outubro 03, 2008

quarta-feira, outubro 01, 2008

90

O número referente aos dias em que "cumpri as obrigações". Até à presente data, equivale a um terço do ano, o que é sobejamente pouco! Pouco?! 90 faz de mim o segundo que mais vezes saiu, a escassas 6 vezes de quem ficou no topo! E conto o dobro do oitavo e último! E ainda há quem tenha a lata de dizer que eu não faço, que eu não cumpro, e que eu não qualquer coisa só para que possa apontar dedos. Pois bem... agora, fudeivos!
É bom estar no topo do mundo... fica-me bem!

tic-tac

Contagem decrescente...


MySpace Countdown Clocks

the happening

Mais uma boa ideia de base, a transposição das marés vermelhas para o meio terrestre, que acaba por, não desapontar, mas ficou tanto potencial por explorar... um desperdício. Em resumo, nothing is happening...

sábado, setembro 27, 2008

blade runner

Depois do livro, porque não tentar o filme? Eis uma excepção que faz a regra de que o livro é "melhor". Bem, verdade seja dita, que também são tantas as diferenças, que a forma correcta de relacionar livro e filme é dizendo que "Do Androids Dream of Electric Sheep" é o livro que serve como base para "Blade Runner"... e não foi um mau trabalho! Se contarmos que o filme tem 26 anos...
Não o vejo com um filme extraordinário, mas achei-o digno da fama que tem, e, já era mais que tempo de conhecer o "clássico"!

sexta-feira, setembro 26, 2008

análise comportamental

Isto não tem nada a ver com psicologia, nem tão pouco é uma generalização universal... é apenas a observação de uma amostra muito limitada no espaço (se calhar não tão limitada, mas isso é irrelevante).
Estão generalizados os estudos, quer em Portugal, quer em todo o mundo ocidental, sobre comportamentos a nível pessoal intímo, e os resultados são muitas vezes surpreendentes... se bem que carentes de isenção dada a quantidade de "bazófia" (maior ou menor, pois depende do indivíduo) intrínseca ao ser humano que tantas vezes adulteram o resultado final dos estudos (há gente com profissões engraçadas). Eu desta feita, não tendo uma profissão engraçada, e não trabalhando para o ine, acabei por fazer uma análise apenas pelo que ouvi falar (com bazófia incluida, claro está) e de todos os elementos da população masculina que eventualmente deram uma, ou várias, "facadinhas" no casamento/relacionamento, claro está, há a necessidade de recorrer à mentira para conseguir arranjar tempo para as escapadelas. A capacidade de elaboração da mentira é tanto maior quanto a imaginação, apresentando resultados melhores quando há recurso a nomes de pessoas com quem se trabalha.
Nesta minha análise, apenas 12% da população não cometia (ou não admitia) qualquer tipo de traição, dos que cometiam, a grande maioria já havia sido apanhado em falso uma ou mais vezes, e porquê? Porque a mentira/desculpa que haviam inventado acaba por se perder no espaço temporal de forma a que quando a verdade é reposta por uma outra qualquer conversa, as naturais associações vêm à superfície.
Duas conclusões se podem tirar: Os homens são realmente honestos (a ponto de contrariarem as suas próprias mentiras passado algum tempo) e as respectivas mulheres, tem uma memória fenomenalmente brilhante!

quarta-feira, setembro 24, 2008

manias

Todos tem, num ou noutro assunto, a certeza de como se fazem as coisas. E não adianta haver quem nos diga que estamos errados quando temos a plena e total convicção de que estamos mais que correctos naquele tão familiar acto.
Claro está que, também todos temos um ou outro assunto sobre o qual temos dúvidas, sobre o qual, por inexperiência e desconhecimento, podemos receber indicações de outrem sobre como correctamente fazer o que nos é pedido.
No que toca a "papelada" (re)caio sempre ao recurso de auxílio. Nunca me dei bem com burocracias e papéis que se empurram daqui para ali, ou que teimam em perder-se (desviar-se) do seu percurso. No entanto, há papéis sobre os quais tenho conhecimento, e sei como têm que ser redigidos, quer por uma questão de metodologia, quer por uma questão de Português!
Se o ser supremo na sua sala de trono não me permite a entrega de mais um papel, dos tais que sei como se preenche por metodologia, por causa do papel daquele filho de uma mãe (que devia ter tido uma dor de cabeça) não ter redigido da forma que eu lhe disse que era a correcta quando ele desconhecia o assunto... vai entornar-se o caldo (escaldante) muito rapidamente!

inércia obrigatória

"Se te sentires invadido de uma imensa vontade de trabalhar, senta-te e espera que passe" parece ser a atitude "acertada" a tomar... esta é a "tal" atitude que explica a inércia em tantos serviços por esse país fora... que fazer quando nos obrigam a "fazer nada"? Convidamos alguém para nos ajudar, porque sempre custa menos a cada um dividir o nada.

quinta-feira, setembro 18, 2008

get smart

Admito que fiquei surpreendido! Uma boa dose de gargalhadas à moda da série de televisão, sem que haja uma colagem irritante ao passado. Antigo, do fundo do baú, mas sempre, com um toque de novidade.



Maxwell Smart e Agent 99, materializam-se passados quatro décadas... quem não os conhece, ou vai ver por arrasto, ou porque tem um cartão especial para as salas de cinema, e os que não vão ver... não sabem o que perdem!




I missed it by that much!

reciclagem, reutilização e...

... redução.

Redução é um dos três erre's daquela "política" verde ambiental (acho que acabei de inventar uma cor) que está tão em voga nos dias que correm.
O meu banco (sim, porque eu também sou dono do meu banco), para evitar desperdícios de papel (e de dinheiro no envio das cartas) optou, já há uns anos, por enviar extractos trimestrais, a natureza agradece (e eu também) a atenção.
Os correios criaram o ViaCTT que para pouco serve para além de poupar papel pela apresentação da correspondência em formato digital, a natureza agradece (eu não agradeço porque perdi a minha caixa do viactt e não a posso recuperar).
As finanças, também já há uns anos, disponibilizam a entrega do irs (esse malfadado!) em formato digital, poupando (sim, porque quem nos vai ao bolso também tem que poupar) uma quantidade considerável de papel, a natureza agradece (eu não agradeço só por uma questão de princípios contra os impostos).
Porque é que as contas, gás, água e luz, passaram a ser mensais? A natureza não agradece (e eu também não)!

the thing

Um filme de terror (muito) mal recebido, do qual ninguém fala, nem lembra! Só porque... o E.T. era mais "fofinho"!

clix

Com tanta confusão e com tanta oferta nas telecomunicações, eu acabei sempre por fazer parte de uma bem pequena minoria que utilizava um operador desaparecido, a Oni.
Este operador desaparecido, nunca me deixou ficar mal, mesmo se a grande maioria das pessoas com quem falava diziam cobras e lagartos, tenho as minhas dúvidas sobre se alguma vez recorreram aos seus serviços, mas eu, por outro lado, nunca tive razões de queixa. Nenhumas! Nada! Nicles! Ok, é justo concordar que as velocidades disponíveis na Oni eram muito baixas, mas no restante mercado, não havia muito melhor, e por isso, por não ter chatices, e por não ver vantagens claras em mudar, fui-me mantendo no operador.
Mas os tempos são de mudança (ainda são) e, por entre opa's e aquisições à porco capitalista, a clix acabou por adquirir a oni e a tele2. A diferença imediata foi que as facturas da oni passaram a ser a preto e branco, e passados uns meses passaram a ter o símbolo da clix no topo direito da folha, tudo o resto era exactamente igual... até!
Primeiro recebo uma carta a dizer que tinha uma factura por pagar, e como é óbvio, vinha no fim da informação, uma ameaça - Ou pagas ou fazemos-te a folha! - de sobrancelha levantada fui vasculhar os "papéis" (ainda vou ter que redefinir "papéis"), e a factura estava paga! Telefonema para o operador, e 20 e tantos minutos depois, alguém do lado de lá me diz que, na transição da oni para a clix, houve informação perdida referente às últimas facturas pagas à oni. Ok, erros são coisas que acontecem, amigos na mesma, e houve paz.
A atitude da clix no mercado é bem mais agressiva do que era a da oni, e na sede de ganhar, e também não perder, clientes, um representante da clix prestou-me uma visita. A clix estava disposta a subir a velocidade do serviço de internet e remover o limite de tráfego, mantendo a mensalidade contratada (havia mais uns bónus nos primeiros meses, mas isso para mim era irrelevante por ser "promocional"). Ora bem! Mais velocidade e tráfego ilimitado! Era mesmo isso que vinha a calhar... e houve paz.
Volvidos alguns meses, a alteração de velocidade deu "alguns" problemas... nomeadamente um número considerável de facturas duplicadas, umas com o serviço antigo e outras, para o mesmo prazo, com o serviço actual... uma vez, ainda considero perdoável (mesmo não sendo admissível um erro destes), mas... e as outras? Até facturas com o valor de 0€ (zero euros) recebi para pagar... hilariante. Não posso aceder à conta de email porque esta foi bloqueada (quase que adivinho que foi bloqueada por falta de pagamento) e, agora, parece que o tráfego é limitado ao dia... mais um pormenor brilhante que "alguém se esqueceu de dizer", ou antes, que até foi dito de maneira completamente diferente! E deixou de haver paz...

Serve então o presente "post" para demonstrar o meu desagrado para com os serviços desorganizados, enrolados, disparatados, idiotas e megalomanos da clix... se era para fazerem merda, porque foi que compraram o "meu" operador com o qual estava tão satisfeito?

quarta-feira, setembro 17, 2008

espanto

Há já duas semanas, para além das quatro que alguém teve de férias, que não há "caldeirada"... estou realmente espantado! Será que esta gente adoeceu, ou anda tudo tão deprimido com o fim das férias que a força, o ânimo, o ímpeto de armar confusão se desvaneceu por entre tal depressão de regresso ao trabalho? Haja paz! Os deuses (ainda) são grandes!

Nota: Preferi usar o plural "deuses" porque não estou para me comprometer com nenhum!

referenciais

Ortonormados! Móveis ou fixos? Prefiro os que têm mobilidade, dão a ideia de renovação da origem.

sempre azul

Daqui...
... para aqui...

Grande caminhada!

terça-feira, setembro 16, 2008

qual título?



Acho que os momentos altos são mesmo a perseguição das forquilhas e o cavalo dançante... ok, talvez a praia também!

segunda-feira, setembro 15, 2008

mais uma segunda-feira

É do conhecimento geral, e do sentimento geral também, que o primeiro dia da semana é, e será, sempre um dia complicadinho. Há um tipo de depressão generalizada só porque se vai trabalhar numa segunda-feira de manhã. Há quase sempre olheiras que ficaram de véspera porque não se conseguia, ou porque algo não nos deixava adormecer. No meu caso, as minhas imensas olheiras (lá vem a piada do carrinho de mão) são devidas a marisco.
Marisco, esses tão peculiares seres que não são carne, mas também não são peixe, são bastante apreciados, e eu sinceramente nunca percebi muito bem porquê, até agora. Pelo menos no que toca a camarão, o arroz de camarão faz olheiras!

Lagostas? Deixa o camarão crescer! :P

sábado, setembro 13, 2008

madonna

Sempre quero ver, visto que já tiraram fotos aos cavalos exigidos pela Madonna, se há algum desses "jornalistas" mal informados que tenha o azar de dizer que o Rio e o Solitário são propriedade da gnr! Mando-me logo como gato a bofe!

desperdício de papel

Pois bem, como é sabido, aos fins-de-semana, as publicações de notícias diárias (ou até mesmo as semanais tipo "espesso") esmeram-se em acrescentar ao jornal um sem número de publicações sobre os mais diversos assuntos. A "Vidas" é uma dessas publicações. Uma revista a imitar a "Caras", a julgar pelas capas (isto se as capas da "Caras" forem iguais à publicidade que passa na rádio...). E do que fala a "Vidas" do "Correio da Manhã"? Basicamente... bom... eu nem queria dizer isto assim... pode parecer mal... mas a verdade é que a revista não fala de nada! Quer dizer, a revista tem ainda um número considerável de páginas que relatam as guerras entre actores e actrizes das novelas, opinão sobre a gravidez desta ou daquela, revelam os amores e desamores de uma meia dúzia de fulanas e fulanos com os gostos sexuais dos intervenientes à mistura, e, e isto é que eu acho fenomenal, colunas de pessoas tão influentes e importantes para a comunidade como (deixa cá ir buscar a revista desta semana) Eduardo Vinagre (deve ser um tipo azedo é o que consigo concluir pela escrita dele) e, espanto dos espantos, a Maya (sim, a tal das cartas). É tanta a quantidade de lixo (sim, LIXO) que creio que se tivesse que forrar a casota de um cão com tal papel... pobrezinho deveria ter problemas de pêlo bastante drásticos! A "Vidas" é, sem sombra de dúvida, um hino à pior merda que se pode meter em papel e "impingir" (digo impingir porque vem de "bónus" no jornal, qual presente que se recebe e oferece de volta) a qualquer pessoa que compre aquele jornal, que já de si só dá atenção a desgraças.

Mas!

E há sempre um mas. A "Vidas" tem algo de bom (não são talheres, nem pratos, nem chávenas de marcas "famosas")! Traz um cupão no canto superior direito da capa que no dia seguinte se pode trocar por um dvd! Com um "bocadinho" de sorte, dos oito, talvez consiga aproveitar três. Ou, quem sabe (e era a loucura), quatro.

sexta-feira, setembro 12, 2008

um dia

O dia hoje foi particularmente chato (enfadonho, cinzento, desprovido de interesse e movimento).

O dia começou semelhante a tantos outros com os procedimentos matinais usuais, variando a sequência aqui e ali. O caminho para o trabalho, igualmente normal sem nada de relevante, mas também não sendo enfadonho (o percurso é satisfatório na quantidade de curvas). A boa disposição de com quem iria passar este dia (também não é comum fazermos equipa, logo, nada de rotina aqui também) estava como de costume presente. Tudo indicava um dia bem disposto e com algum movimento...
Já sentado no escritório, passei a manhã inteira no mesmo sítio, apenas olhando para um edifício semi-vandalizado e emparedado... toda a santa manhã no mesmo sítio! Ora falando de coisas mais sérias, ora dizendo disparates (ando particularmente "parvo") de rir à gargalhada... e movimento? Nada! Toda uma bela e perfeita manhã desperdiçada ali, sem movimento.

Hoje senti-me um verdadeiro funcionário público (a julgar pela fama, a meu ver erradamente, generalizada). Fui almoçar com a nítida noção de que não fiz "ponta de corno"... e isso, entristeceu-me. O dia prometia, e tive que o passar como um "típico" funcionário público que se esforça por não fazer a tal "ponta de corno", que empurra o trabalho para os outros, e, que ainda se queixa de ter muito trabalho...

Eu pela minha parte, aproveitei para gozar com a caricatura de trabalho (como é que se goza com uma caricatura?) que me deram... e até sei de quem adoraria ter um dia destes! Mas para mim, este dia, foi uma seca!

quinta-feira, setembro 11, 2008

ataque de romantismo

Acordei esquisito... algo não estava bem. Andei todo o dia estranho a mim próprio! Perdido em pensamentos que teimavam em mutar mas em se manter num mesmo assunto, acentes sempre em torno de uma mesma razão...
Tentando evitar manter-me assim, fui falar com o ser supremo... Big man, preciso de antecipar as férias! Trate da papelada, e aproveite o tempo para visitar o barbeiro, sim? Papelada tratada... pior ainda! Sinto-me eléctrico (quem sabe influências do pequeno big bang que fizeram algures na europa), ansioso... diria que há beira de... não! Isso é que não! Não pode ser! Será? Nã! Isso são coisas que não acontecem assim, nem se resolvem com férias desocupadas... mas... a dúvida foi crescendo. Se calhar era? Seria? Oh não! É mesmo! Onde estão os meus comprimidos?
É um ataque de romantismo!


... e dos peganhentos! Pelo menos até secar a tinta :P

quarta-feira, setembro 10, 2008

migrantes

Com "i" ou com "e", é indiferente para o caso. Com a quantidade de estrangeirada que por cá vai andando nestas alturas em que os dias são um pouco mais longos é perfeitamente natural ouvir falar e não perceber ponta de corno do que dizem... e por vezes, do que nos dizem!
Calhei a ir a um supermercado, hipermercado... um mediomercado era de certeza a julgar pelo tamanho, e já com os sacos de compras arcaicamente colocados na mala do automóvel, preparava-me para colocar o "carrinho de supermercado" no sítio dele e recuperar a moeda que o havia libertado.

- Nârrume! Nârrume! Nârrume!

Que diabo?! Começo a olhar em volta já a pensar que fosse o pedido de ajuda de alguém aflito numa língua estrangeira... ou na pior das hipóteses alguém a pedir a moeda do carrinho como tantas vezes acontece. Deparo com uma mulher a correr na minha direcção como se não houvesse amanhã e sempre a repetir aquela palavra... era mesmo comigo! Ofegante da corrida, estendeu a mão direita com uma moeda de igual valor à que estava no carrinho e tornou a dizer:

- Nârrume.

Ahhhh! Ok! Eu não arrumo... afinal era portuguesa!

segunda-feira, setembro 08, 2008

reboleira



Substituir a "barcelona" pelo local acima referido... e esquecer a parte do "beautiful horizon"... peco por tardio...

quinta-feira, agosto 28, 2008

segurança...

Agências bancárias, postos de abastecimento de combustíveis, caixas multibanco, carros de transporte de valores... agora até já os animais são assaltados?!
Isto está realmente negro!

Barómetros do quão grave é uma crise são: a criminalidade dita "violenta" e os anúncios de acompanhantes nos jornais diários... quanto maiores em número, menor o dinheiro que o povo tem no bolso.

quarta-feira, agosto 27, 2008

mais uma machadada!

Foi tornado público o relatório sobre o último acidente na linha do Tua. A culpa não foi do material circulante, não foi da linha, não foi do maquinista... como de costume, a culpa morre solteira!
Neste caso, vai mesmo morrer solteira... pois! Não serão coincidências a mais tantos acidentes em tão curto espaço de tempo? E logo após quererem fazer uma barragem na região?
Assim se vai condenando uma ligação ferroviária de soberba paisagem (há quem diga que a beleza do local é incomparável)... engraçado... ali querem matar o "comboio", tal como fizeram em Viseu, mas "todos" se choram para ter o tgv na "terrinha"!

(foto cordialmente "gamada" ao grande amigo João Vieira, o apaixonado pelos comboios)

velho, eu?

Querem o quê? Ver-me de pantufas e robe em frente à televisão enquanto leio as gordas do jornal de óculos pendurados na ponta do nariz? NUNCA!

Ide chamar velho ao Camões, sim?! Pois eu ainda tenho uma elasticidade invejável, e não percebo ponta de corno de futebol! Ah! E acima de tudo, nunca me apanharão de chinelos e robe!

quarta-feira, agosto 20, 2008

eye scream?

I'd say i'm doing it wrong, don't you think?

segunda-feira, agosto 18, 2008

agora sim!

Depois de anos e anos a pagar para sustentar chulos... posso dizer...

quinta-feira, agosto 14, 2008

consultório médico / farmacéutico

Se procura o preservativo adequado... se procura ervas para causar o aborto... se procura injecções para evitar a gravidez... fodase!... se anda à procura de qualquer merda que tenha a ver com controlo de natalidade, carregue aqui, aqui, ou até aqui! Porque de certeza que neste espaço não vai encontrar de certeza!

Esclarecida/o?

quarta-feira, agosto 13, 2008

o dia da porta que não se fechou

Um acordar lento a meio gás... será manhã... ou ter-me-ei enganado ao olhar para o despertador? Obrigo a persiana a mexer-se na calha... diria, pelo barulho que faz, que tem um acordar resmungão... já era dia...
Passada a rotina matinal usual, saí... ainda tinha tempo. Dirigi-me à tão marcante "figueira" e aguardei serenamente, ou talvez apenas estivesse a aguardar.
Almoço e momento crítico... "o menino" caminhou para queimar o tempo... e o tempo foi passando... e então? Que te disseram? A porta não se fechou! Está entreaberta.
Vendo brilho, vendo luz, e entre pensamento perdido na forma de resolução, há razão física (e móbil) para comemoração?
Opiniões e comentários, sobre assuntos em que ainda não posso dizer que tenha conhecimento suficiente para estar à vontade... gostos pessoais... aprecio, admiro, penso e falo... devia ter tomado nota dos números!
Retorno... e enquanto tentava manter o cavalo de cabeça prateada sobre controlo no seu galope de compasso quaternário, abraçaram-me... obrigado por estares comigo nestes momentos... sei da tua necessidade em materializares as palavras... aceito! Mas ainda assim... não tens de quê... (mas) sabe bem ouvi-lo, pois é dito com sentido!

sábado, agosto 09, 2008

um escudo em ponto pequeno

Já alguém terá reparado na forma ornamentada de um crachá de polícia? Tem a forma de um escudo à semelhança de tantos outros escudos usados em batalhas e guerras que preencheram a História... este tem no entanto a particularidade de representar a base, o dever, de um corpo de polícia, a protecção. O pequeno crachá afirma de forma figurada uma protecção ao cidadão cumpridor, perante quem transgride a Lei (essa eterna violada).
Em tempos tão contorbados como os actuais, tão pequeno escudo nunca poderá proteger quem o ostenta ao peito, ou quem, ocultamente devido às suas funções mais específicas, o carrega no bolso... não deixa de ser "irónico", ao fim de tanto tempo de críticas, de lamúrias e de dedos acusadores apontados aos portadores destes pequenos escudos, que, hoje, um dia após um considerável número de homens detentores de tal pequeno "ornamento metálico" ter passado cerca de oito horas à porta de uma sucursal de um banco, e de o resultado dessas longas horas ter sido um homem abatido e outro internado, os homens do escudo, passaram de bestas a bestiais, e com direito a elogios públicos, quer de quem manda, quer do comum dos cidadãos... francamente? Estava a ver que nunca mais lhes atribuiam o devido valor!

(um local a visitar e a navegar... aqui)

terça-feira, agosto 05, 2008

thoughts about electric sheep

"do androids dream of electric sheep?" de Philip K. Dick

O futuro passado em 1992 é já passado... uma humanidade auto-destruida, como numa outra qualquer "novela" pós-apocalíptica, e máquinas. Muitas máquinas! Capazes de se passar por homens e mulheres, com a capacidade de serem grandes artistas, de imitar a emoção e a reacção emotiva... mas incapazes de tomar conta de um ser vivo. São incapazes de tomar conta de um animal, pois a vida não tem valor, e a sua compreensão sobre os diferentes seres "inferiores" leva ao sadismo de desmembrar um animal (uma aranha), só para observarem, se ele conseguiria andar à mesma.

Ao fim da última página, fica-me uma pergunta, estaremos (nós, como humanidade) lentamente, e fatidicamente, a caminhar para nos tornarmos máquinas/autómatos sem sentimentos "verdadeiros", e sem noção de valor da vida alheia?

segunda-feira, agosto 04, 2008

é oficial!

Tenho mau feitio!

Pelo menos assim o diz, e até me admira que não reclame por escrito, a senhora de roupas elásticas diminutas que voltou atrás para perguntar onde costumava beber água, não fosse o mau feitio ser contagioso... eu vivo num condomínio fechado com piscina na cobertura, segurança à entrada, pago de condomínio o que você ganha num mês (eu é que ganho mal), sou uma mulher com estudos, trabalho num escritório com ar-condicionado, vou de carro (com menos de um ano) para o trabalho, só compro roupa de marca e fora da época dos saldos, vou todas as semanas ao cabeleireiro... pena é, para estas pessoas, que o dinheiro não consiga comprar boa educação, civismo, e um pouco de lógica.
Ficou indignada com a chamada de atenção... temos pena!

O maior estúpido não é o estúpido, é quem se julga mais inteligente e que assim desconsidera a inteligência dos outros.

quinta-feira, julho 31, 2008

olhar para trás

Uma despedida como outra qualquer, ou talvez não fosse bem como outra qualquer, mas era uma despedida. Esta despedida era mais um "até logo" do que propriamente um "até qualquer dia", porque um "adeus" é coisa definitiva, e isso não era de certeza! Ainda assim, caminhei alguns metros enquanto ocupava os tímpanos com um leitor de mp3... parei, não faria diferença, deveriam estar ocupados com comandos bem mais complexos e intrincados do que os de um mp3, diria mesmo que um cz3 até serve para muitas outras coisas, poderia até já lá nem estar, mas ainda assim voltei-me... entre a dúvida da presença, e o desejo de um último vislumbre, voltei-me e parei. Vi, sorri e acenei... "até logo" dizia eu... com pena de ter que partir... acenaram de volta... por mim? Ficava!

segunda-feira, julho 28, 2008

e porque não?

Música do passado para momentos do presente com o pensamento no futuro?



Just two steps behind because of a bit of magic from your soul?
Two steps behind in lots of ways, but I'll be catching up... you bet I will!

domingo, julho 27, 2008

matemática temporal

Foi com alguma surpresa que notei as alterações nos horários do pessoal do escritório... coincidência? Nã!

Eis que o ser supremo farto de que lhe fossem chatear os ouvidos e os olhos com letras, palavras, frases e informações, decidiu por democracia ditatorial, que tal elemento, herói de cortiça (ou cortiço) do povo, ficasse junto de toda a plebe que augura igualar o seu estatuto.

Em antecipação, o escritor e o falador, comentavam entre si o requinte de malvadez do deus das botas altas... e apostavam... uma semana? Uma semana quando estivermos todos! Dou-lhe três dias!... antes do final da primeira semana, em que nunca todos estiveram presentes... e o estado mental vai-se degradando... meu caro... facilmente se depreende... haveis sido "entubado"!

E o inferno toma temperaturas de ar condicionado... relaaaaax...

terça-feira, julho 22, 2008

dias...

Costumam dizer-me em tom de brincadeira "Há manhãs que um homem à tarde não devia sair à noite!", ou por vezes "Há dias que mais valia nem sair da cama"... e se em vez de dias a "coisa" começasse a tomar uma dimensão maior? Sim, maior. Qualquer coisa como semanas, quem sabe até meses... nem quero pensar em anos! Já me começa a parecer que a frase já não se refere a dias, e começa cada vez mais a soar como "Há meses que não devia sair da cama!"... quase que poderia dizer, se fosse médico, que padeço de uma doença que me torna completamente descoordenado a nível motor, de tal forma que, até os mais banais e simples gestos, ou combinações sequenciais de gestos mecanizados, acabam com um completo desastre e a total, ou parcial (mas, muito perto da total), ruína do que quer que seja que estava em meu poder... devo ser um caso clínico... só pode! Ou então é uma dessas fases negras que para aí anda!

sexta-feira, julho 18, 2008

animal de estimação

O "velhote" por aí anda... ora fazendo testes de ressonância no sofá, ora aproveitando o ar em movimento forçado da ventoinha... sempre disse que de quem menos ele gostaria, dos humanos que habitam a minha casa, seria de mim. Sou algo desligado, nem sempre lhe dou atenção, obrigo-o a ter certos comportamentos, ralho com ele quando faz algo que não deveria... é um cão, e o que eu, como humano, vejo como errado, para ele pode ser certo... acabei por tomar, em certa escala, a posição de "dono". Mas eu não sou dono dele... é um companheiro, um "recipiente vivente de feitio moldável"... moldável em parte! Consegui ensiná-lo a não comer coisas que não deve, a parar antes de passar uma estrada (não olha para ambos os lados, mas não se pode ter tudo) e a sentar-se quando, em estado eléctrico, queria pedir "algo"...
Nunca achei que me visse como seu amigo, acho que me vê antes como uma figura algo negra... talvez entre o medo e o respeito, mas num pormenor contraria esta minha ideia do que "pensará" de mim... quando algo o assusta realmente, é para perto de mim que vêm, e se não estiver presente, é no meu quarto que se abriga/esconde/protege. Talvez para ele, eu afinal não seja tão assustador e, talvez, só talvez, por entre todo aquele pêlo branco macio, que tantas vezes lhe oculta os olhos, ele me veja como um porto de abrigo protector.

Afinal sabes que a "disciplina" é para teu bem, e é assim que demonstras o teu afecto para comigo... bola de pêlo.

quarta-feira, julho 16, 2008

acidentes de viação

Se a maioria dos automobilistas, ocasionais ou não, fizesse ideia da quantidade imensa de papéis que é preciso preencher, volver, empurrar, despachar, fotocopiar, entregar, carimbar, e até mesmo arquivar... se tivessem noção da quantidade de tempo que se perde em consultas e exames médicos, que se perde a fazer levantamentos de danos e descrições de acidente... se sonhassem a despesa que causam em combustíveis (ou mais genericamente, energia) por não pararem num...


... ou abriam os olhos, ou deixavam de ir "na brincadeira" dentro do carro, ou mais simplesmente, e há quem ache que era a solução adequada...

DEIXAVAM O CARRO EM CASA E ANDAVAM DE TRANSPORTES PÚBLICOS PARA EVITAR TENTATIVAS DE HOMICÍDIO!!!!


O condutor abalroado agradece...

segunda-feira, julho 14, 2008

magro? eu?!

Tem-se certeza que se é demasiado magro, não é quando chove e se consegue passar por entre as gotas da chuva, é quando se entra num desses elevadores com um gráfico indicador do peso no interior da cabine, que varia de verde a vermelho, e nem sequer a luz referente às 500 gramas acende! Mas nem que ande aos saltos dentro da cabine!

terça-feira, julho 08, 2008

cinzento

Sistematicamente cinzento... dia após dia... os papéis acumulam-se, o pó acumula-se, a inércia toma conta disto e daquilo... conduzir em ritmo de turismo, andar a pé à minha velocidade, sentir o quente do sol na pele, ver as nuvens a passar a velocidades diferentes, escrever com letra incompreensível, sentir posse no que toca a objectos de estimação, ler um livro devagar, repetir o que escrevi apurando a letra, fazer contas por tudo e por nada... perderam a cor, perderam o gozo intrínseco... cinzento... por agora desligo... click!

sexta-feira, junho 27, 2008

frase do dia

“Man is condemned to be free; because once thrown into the world, he is responsible for everything he does. It is up to you to give [life] a meaning.”
Jean-Paul Sartre

Porquê? Porque simplesmente não tinha nada a ver com aquilo, não era a minha função, mas a responsabilidade era minha, por estar lá. Hoje fiz sentido... tomará eu que todos os dias assim fossem... recheados de "sentido"!


terça-feira, junho 24, 2008

férias!

Devido à necessidade de controlo apertado das finanças não públicas (leia-se, a crise quando nasce é para todos!), nomeadamente as minhas, este ano, planeei as férias assim...

domingo, junho 15, 2008

biblô

Todos os temos, coisas inúteis, mais ou menos banais, que temos só para fins decorativos, um contemporâneo tipo de bric-a-brac de Eça de Queiroz... futilidades sem função.
Tenho um peculiar... um carburador duplo (coisa anterior a estas modernices da injecção) de fabrico italiano... um Dell'Orto... coisa para não valer nada nos dias que correm, e sem utilidade possível. Está por cá exclusivamente pelo aspecto "científico" do mecanismo que é, nada mais. Mas há quem tenha inutilidades bem maiores... ao passo que eu tenho apenas uma pequena (mas pesada) peça de automóvel, há quem tenha o automóvel inteiro. Um biblô no valor de, talvez, milhares de euros, com uma despesa fixa de algumas centenas de euros anuais... coisa para consumir cerca de 20 euros de combustível em 8 meses... 8 meses?! Com este as petrolíferas não fazem farinha!
Não obstante o dono desta inutilidade prima pelo sentido de humor unilateral, imbecil e idiota, dono de uma razão que divide Homens de crianças, como que se a fronteira entre ambos os estados fosse traçada por um ritual de iniciação idêntico aos efectuados nas tribos que habitavam estas bandas antes mesmo de haver memória escrita dos acontecimentos... pergunto-me se a mulher dele também estará em casa passivamente a fazer o jantar enquanto ele lê o jornal na sala... irónico, foi facto de quem ele considerava criança ter a resposta certa no momento certo! A capacidade de raciocínio e a lógica do "puto" fez dele um "infant terrible"... e a conversa azedou...

btt

24 horas BTT de Lisboa... no parque florestal de Monsanto... dias 14 e 15 de Junho!


Cuidado agora à noite! Não queremos que ninguém adquira um restyling do "Spirit of Ecstasy" na viatura! Esclarecidos?! Acho bem!

domingo, junho 08, 2008

terreiro do paço

(e os cavalos que não são da gnr)

E vêm quatro raparigas na casa dos seus vinte anos, produzidas, demasiado produzidas para andar debaixo de tanto sol, curiosamente todas elas com alguma peça de roupa vermelha, e pergunta uma de óculos tipo ecrã de televisão com uma voz que espera uma resposta afirmativa... a quem, apoiado numa grade, segura um cavalo pela guia...
- Podemos andar de cavalo?
- Se tiver menos de 12 anos...
Surpresa... mas não desarma, e com o mesmo tom de voz... apontando para a mais alta e magra do grupo.
- Ali a minha amiga tem 12 anos.
- Vezes quanto?
Choque e desistência!

(título alternativo: "mais um episódio da subtileza do elefante")

quinta-feira, junho 05, 2008

contas

Escolhemos um ponto aleatório de origem onde vamos plantar a origem do referencial, e seguidamente escolhemos um outro de chegada distante 208km do primeiro... dos diversos meios de transporte terrestres, consideramos para este "estudo" o Alfa Pendular, o Intercidades, o Expresso e o Automóvel (usufruindo, ou não das auto-estradas).
Recolhendo dados junto dos Caminhos de Ferro de Portugal, da Rede Nacional de Expressos e da Michelin, recorrendo ao excel para tratamento dos dados... a saber, tempo de viagem, custo da viagem e distância (foi utilizado o valor em linha recta pois o que interessa é a deslocação geográfica).
Eis os dados:Observável a olho nu é o preço superior do transporte à "base de petróleo" comparativamente com o transporte eléctrico, mais limpo.
Num simples cálculo de relações, preço por minuto de viagem e preço por distância, eis que aparece o meio de transporte mais favorável economicamente para o utilizador... o Intercidades.

Vejamos no que toca a "velocidade média" do serviço.
Eis os dados:
Aqui podemos constatar que o automóvel (utilizando a auto-estrada) consegue uma velocidade média claramente superior, seguido do eléctrico Alfa Pendular. Novamente recorremos a uma razão económica, preço por velocidade média, e visto que o valor mais baixo é o que realmente interessa as posições anteriormente observadas alteram-se, a "velocidade" mais barata é a do Alfa Pendular.

Numa pequena brincadeira, e numa análise muito superficial, rapidamente se vê qual o meio de transporte mais adequado a nível económico. Os "eléctricos" dos Caminhos de Ferro de Portugal, ganham claramente no que toca à despesa para o utilizador, para quê insistir nos derivados do petróleo e desinvestir continuamente num serviço que só peca por má gestão?

terça-feira, junho 03, 2008

coincidência

Deixa cá ver se tenho cá alguma coisa para ti... - disse-me ela em tom simpático entrando na sala, quando se voltou trazia uma caixa com 3 bombons, agradecendo tirei um dizendo que estes eram os que se davam aos namorados - E então? Eu dou ao meu namorado. - e assim me fiquei namorado de uma senhora de 75 anos, por um beijo que dizia:

"O ruído dum beijo não é tão forte quanto aquele dum canhão, mas o eco dele dura muito mais."
(il rumore di un bacio non è forte come quello di un cannone, ma il suo eco dura molto più lungo)

Será que o eco carrega o beijo até tão longe?

bufo-real

É o maior e mais imponente dos mochos, com um comprimento de 60-75 cm, com asas grandes e arredondadas e uma envergadura de 1,4-1,7 m. O seu peso atinje os 4 kg e tem uma longevidade de 10 a 20 anos.
Não confundir esta ave com um qualquer mamífero desbocado!

"tupperwares" italianos

The professor...


And the cook!


Estereótipos, pá!

Tinhas razão... é graaaaaande!

terça-feira, maio 27, 2008

alguém que não eu

Li o texto com cuidado, afinal de contas estava escrito de uma forma que não uso, e que me custa a compreender, havia letras trocadas ou recolocadas, numa linguagem quase alienígena, mas por entre aquela amálgama de letras, uma história se percebia... uma história de amor e lágrimas, de afastamento e vida. Ele, o que escrevia, falava de um amor, algo de tão intenso que deu origem a uma nova vida, uma vida que ela tanto desejava, e ele, pelo sentimento que os unia, fez da sua parte da estória uma dádiva. Pois a idade não perdoa, e quem o mesmo fez por eles não quis aceitar este percurso, nem ela o quis mais, e ele, perdido num momento auto-destrutivo, entrou em depressão, perdeu 7 quilos numa semana... do outro lado de uma rede de transportadores invisíveis ocultos em fibra óptica, momentos antes, estava um ser humano dorido e amassado, que apenas precisava de quem lhe desse uma frase de apoio... e numa frase expôs todo o seu desespero de pai de uma menina de 15 dias... já pensei muitas vezes em suicídio mas sou fraco demais para isso...
Fraco é aquele que "puxa o gatilho", a via fácil, "tomates" tem aquele que insiste em viver!

sábado, maio 17, 2008

vergonha!

- Válvulas!
- Como é?
- Ela tem uma história engraçada com válvulas...
- Conta lá...
- Estavam estes tipos a falar do MEU carro a dizerem que tinha 8 válvulas.
- Sim...
- O carro é meu, EU é que sei quantas válvulas é que tem! Tem 16 válvulas, vê lá se queres que abra o capot e te ensine a contar até 16! Eles nem responderam!
- Mas as válvulas não estão à vista...
- Pois, eu não sabia isso... mas eles também não!

domingo, abril 27, 2008

cantiga d'



Só quero o tom do real.
Não, já me chega de cores irreais.
Se ele existisse, era eu quem o oferecia.
Quero-o apenas.

Ele ainda lá brilha, e também brilha o olhar.
Com carinho se dança com os pés na areia.

Perfeito na imperfeição... para quê complicar?

quinta-feira, abril 17, 2008

sonhar sempre

outra



Afinal sempre havia outra! E fugiram para aqui!

aviso das entidades competentes

Atenção aos avisos das entidades competentes sobre o consumo abusivo de calorias... a aumentar de volume desta forma, para além dos problemas de subida dos oceanos devido ao degelo, ainda nos habilitamos a uma "descida" dos continentes!

frase feita ii

"Vá falar com quem de direito."

Facilmente se depreende a seguinte afirmação:
Eu sou um incompetente e tu uma sarna que só faz perguntas difíceis!

Quem será esse gajo?

frase feita i

"Aja em conformidade!"

Pode claramente subentender-se o seguinte:
Sou um estúpido imbecil mas esforço-me por parecer inteligente... sei lá agora como se resolve essa situação!

desigualdades

A natureza encarregou-se de dar ao ser humano a capacidade de comparar. O acto da "comparação" pode revelar-se muito frutífero requerendo alguma capacidade de reflexão, de antecipação e, porque não dizê-lo, adivinhação, quando a comparação é entre objectos basicamente iguais, mas com bastantes pormenores que os distinguem... já a conversa é bem diferente quando se comparam... pessoas.
Pessoalmente, detesto ser comparado ou fazer lembrar "alguém". Perturba-me, despersonaliza-me, faz-me sentir "um cromo repetido" incapaz de trazer algo de novo... faz-me sentir... igual... indiferenciável!

frase do dia

"É imensamente mais fácil ajoelhar-nos do que mantermo-nos erguidos"

frase retirada do filme "300"

ervas daninhas

Considero-me familiar directo dessa tão nobre planta que é a "erva daninha" (nome científico: ervias chatus decaraix), visto que, tal como as ditas, posso estar muito tempo em latência, sem dar um único sinal de existência, para depois reaparecer em força sem razão aparente (sem razão alguma mesmo). Compreendo que isto deve ser irritante, pois as variações entre omnipresença e ausência conseguem ser destabilizadoras e induzir erros de julgamento nas pessoas que são alvo de tal comportamento.
No entanto, outras pessoas há, que tem um comportamento semelhante, mas são consideradas semelhantes à gripe. A definição é simples e lógica para o comum dos mortais, para além de "chata comó caralho", este tipo de pessoa é propícia a aparecer nas alturas mais inoportunas e sobre as mais variadas formas, causando, tal como o Influenza, um mal-estar capaz de contagiar uma pequena locadidade, um desejo de sangue e por vezes até de retaliação. A fórmula química do medicamento adequado a este tipo de maleita é no entanto simples - a indiferença - visto que as complicações geradas pelas pessoas "gripe" nada mais são do que um grito por atenção combinado com a conhecida "birra infantil".... coisa que, valha em abono da verdade, já não tenho paciência para aturar! Lamúrias e queixinhas e guerrinhas... cada qual atura as que entende... eu, pelo meu lado, assim rompo o contacto com quem me quer contagiar, com um ponto final.

três erres

Reciclagem... alguém já se perguntou o porquê de a reciclagem ser tão importante nos dias que correm? O porquê de uma quantidade crescente de anúncios com crianças vestidas com as cores dos eco-pontos?
É uma questão de preservar o futuro, estamos de acordo, mas porquê o interesse nesse futuro? É o "espírito verde" e a aplicação política dos três "R" - reduzir, reutilizar e reciclar - no dia-a-dia? Errado! A reciclagem existe não para resolver um problema que é de todos, existe porque dá dinheiro, caso contrário... ainda estavamos como há 30 anos atrás!

desvios

Revela-se perturbador, para mim, o facto de haver vidas duplas. Pessoas de quem faço uma imagem... bem... pessoas de quem tenho uma boa imagem e que à posteriori constato com os meus próprios olhos, e segundo o meu raciocínio, que nada mais são do que "vendidos", ou "presos", a coisas e rotinas que em nada os fazem felizes. Vejo, que basicamente, se subjugam a "prazeres" idiotas e a mesquinhices da mente! Tenho que evitar de ser assim também...

besta

Define-se besta como animal irracional de porte intimidatório, de força imensa, violento e, claro está, com instinto de sobrevivência.
Um cão encurralado pode tornar-se uma besta se o seu instinto de sobrevivência lhe "disser" que irá morrer naquela situação... e o que será uma pessoa nessas mesmas condições, senão mais que um animal? No entanto, surge-me a pergunta... o que leva uma pessoa a ser uma besta, quando nada, nem ninguém, o encurralam?

películas

Vi há tempos um filme, uma daquelas comédias românticas (sem a Meg Ryan!), que me chamou a atenção. As comédias românticas não são propriamente o meu tipo de filme, pois devem ser vistos com a devida companhia... quanto mais não seja, que essa companhia seja uma caixa de chocolates, mas este pareceu-me diferente... tinha curiosidade em ver, e como tal... vi!
O título original é "I could never be your woman" com Michelle Pfeiffer e Paul Rudd... e durante os 97 minutos do filme uma "mãe natureza" teima em aparecer, mostrando o seu ponto de vista... baseando os seus comentários em factos, quer científicos, quer culturais... e a sua conclusão é sempre a mesma... "vocês não vão dar certo"! Ora porque ele vai querer ter filhos, ou porque há mulheres que se metem entre ambos, e até porque ela é que deu origem à carreira dele...
Com humor se brinca sobre o amor, e com o amor se faz humor... e fica a pergunta - Haverá algo de errado no amor com estas distâncias?

la belleza no basta

Um embrulho é uma surpresa! Desde o momento da escolha, até à primeira dentada... pena é que os olhos também comem... e os dedos comem também... e o desagrado fica instalado quando, após escolher um chocolate com um papel bonito e com uma silhueta apelativa, este se revela sem sabor (ao até mesmo amargo)... assim se comprova: o que realmente interessa, está no interior.

lanche

Algo doce e terno quase como que um chocolate, mas sem cacau, pode ser algo tão banal como um lanche. Não por ser um manjar tão ambundante e tão variado que a variedade se sente envergonhada, mas pelo simples facto do pensamento de quem o prepara revelar cuidado e atenção, pela beleza implícita nas mãos que o prepararam.

rótulos

Um homem que tem um relacionamento com uma mulher "20 anos" mais nova, é um garanhão... já um que tem um relacionamento com uma mulher "20 anos" mais velha, é um engatatão.
Uma mulher que tem um relacionamento com um homem "20 anos" mais velho, é por interesse no dinheiro, e uma mulher com um relacionamento com um homem "20 anos mais novo, é uma "maluca"!
Na afirmações anteriores:
Onde está a justiça?... Não há!
Onde está a verdade?... De férias!
Onde está a realidade?... Algures!

Para quem gosta de rótulos...