sexta-feira, dezembro 31, 2010

preocupação ambiental

Ouvir alguém numa conversa dizendo com um ar preocupado "desde que comprei o meu carro já emiti número-que -não-vem-ao-caso gramas de CO2..." parece-me completamente ridículo! Se está realmente preocupado com as emissões use os transportes públicos!

quinta-feira, dezembro 30, 2010

professores(as)

À Helena a professora que aparece na maioria das fotos da primária pela justeza com que sempre me tratou, à Hélia Correia que no seu imenso Português nunca me deu descanso insistindo que podia ser melhor, ao Roger Picken por fazer da matemática quebra-cabeças dos integrais e das primitivas uma coisa relativamente simples, ao João Dias por me apanhar a dormir na aula e depois de obter a resposta certa me permitiu continuar na sala naquele estado, ao Eurico Calado pela disponibilidade em qualquer altura para tirar dúvidas, ao Rui Simões pela sua imensa boa disposição mesmo na altura das picardias, ao Tiago de Azevedo por partilhar o seu dom da matemática em aulas bem dispostas e funcionais bem como a sua imensa cultura geral, e a todos os outros que os nomes não me ocorrem... obrigado!

quarta-feira, dezembro 29, 2010

crise? qual crise!

Engraçado comparar os valores registados pela SIBS no período do natal... este ano gastaram mais 149 milhões de euros entre 20 e 26 de Dezembro, explicação? Deixaram as compras para a última da hora? Começa a ser possível expor publicamente que a crise não passa de algo que não passa de conversa nas notícias que todos os dias nos obrigam a ouvir/ver. Sim, há desemprego, sim, há firmas a fechar, sim, os preços estão mais altos, mas as notícias da crise só servem para justificar o aumento do desemprego, o fecho das firmas e o aumento do custo de vida, porque no fundo, a crise, como crise na total acepção da palavra, NÃO EXISTE!

segunda-feira, dezembro 27, 2010

apple

A maravilha do multi-tarefa e sem os "bichos erráticos" do um hardware made in mingau!

sexta-feira, dezembro 10, 2010

publicidade duvidosa

Ah e tal vendemos telemóveis desbloqueados...
O problema é quando se quer comprar um equipamento que, não é permitido vender desbloqueado, depois culpam a ruptura de stock e impingem condições específicas para aquele aparelho bem diferentes das aplicadas aos restantes... só para meados de Janeiro? Eu espero!

sábado, dezembro 04, 2010

sábado de chuva gelada

- Ah tão bom... tracção traseira...
- Ainda bem que não trouxe o preto... ia demorar o dobro do tempo a chegar a casa com as rotundas que tenho a caminho...

quinta-feira, dezembro 02, 2010

serei só eu?

Que prefiro as "pantufas" invés das superfícies comerciais?

Para ser franco há uma coisa que é melhor e, para alguns, preferível, calor humano!

domingo, novembro 28, 2010

stress pré-natal

Pré-natal de "antes do natal"!
Centros comerciais cheios, mobilidade reduzida nas imediações de superfícies comerciais, e, melhor ainda, muita má disposição no escritório... um mimo!

sexta-feira, novembro 19, 2010

flash visit

Um viagem relâmpago a Coimbra, ao hospital universitário de Coimbra, tanque cheio e vai de seguir caminho a queimar octanas.
Condução económica é coisa que não me parece propriamente fácil de fazer com aquele motor, contava com cerca de 10 litros para cada 100 quilómetros, mas era um "mal necessário" para mexer os 129cv (se lá estiverem todos!)... o caminho fez-se bem, ainda tive oportunidade de apanhar boleia na traseira de alguns para tentar poupar qualquer coisa... o horário começa a tornar-se apertado, a visita era às 15h e ainda tinha que parar e no destino era suposto ter tempo para almoçar... faltavam 10 quilómetros para a estação de serviço mais próxima, e aquela gente que me rodeava com tanto tupperware já me começava a meter nervos com tanta variação de velocidade e ultrapassagem... como estás de saúde?



O pé foi progressivamente descendo, o ponteiro da velocidade foi descendo do lado direito do velocímetro, o da rotação fez o mesmo, o do combustível fazia o mesmo percurso mas na direcção contrária... os tupperwares ficaram pequenos no retrovisor até desaparecerem... demorei três minutos até entrar na estação de serviço para a tal paragem por necessidade. Os cavalos estavam suados, mas demonstraram saúde... bastante saúde!

quarta-feira, novembro 17, 2010

formação "virtuosos do volante"

Era de esperar que houvesse complicações a nível de conhecimentos entre formadores e formandos... ou talvez deva dizer entre formadores e este formando.
Da mesma maneira que ganhei um jantar há uns anos, numa aposta simbólica, quando teimaram comigo que "se baixares de mudança o carro trava sozinho" e que ganhei porque o automóvel que serviu de laboratório tinha um motor ainda a carburador de corpo duplo e "abria" o segundo corpo ao subir de rotação, deveria ter apostado desta vez um outro jantar sobre a discussão "um carro gasta menos numa mudança mais alta em baixa rotação", num carro que tenha o motor equipado com turbo, isso não é assim tão verdade na prática.
Não tinha galões para puxar pois falava com uma licenciada, valeu-lhe, para que eu não perder a calma, o facto de não ter dito o disparate que nas descidas em ponto-morto se poupa combustível.

quinta-feira, novembro 11, 2010

jornal

Um jornal, ainda na forma convencional (em papel), deve ser aberto sensivelmente a meio, e seguir para o final do jornal lendo apenas a primeira metade. Porquê? Porque as primeiras páginas são as desgraças, os assaltos, as facadas, os problemas conjugais e, como não podia deixar de ser, o futebol, na parte final do jornal, encontra-se a vida pública das personagens que não interessam a ninguém e os tipos do programa da tvi, a parte que interessa que faz referência ao estado do país, a económia (e a sua malfadada crise) encontram-se entre as páginas centrais e a previsão do tempo, que antecede a parte final de que já falei... haja desperdício de papel!

quarta-feira, novembro 10, 2010

quadrúpedes II

O cavalo dá tudo de si ao homem... dá tudo de si, mesmo que isso lhe custe a própria vida.

quadrúpedes I

O negócio que o homem faz com o cão é o melhor negócio alguma vez feito... em troca dos "tempos livres" do homem, o cão devota-lhe toda a sua vida.

sábado, novembro 06, 2010

auris

Round 2 da fase test-drive!
Fui testar um Auris... quer dizer, fui passear, porque aquilo não foi testar nada a nível dinâmico pelo menos. A carcaça é engraçada, apesar de tupperware, é-o mas disfarçadamente (pelo menos é menos descarado que alguns produtos "alemães"). O rolar é confortável mas, aparentemente, mais "oscilante" do que o meu gosto particular (o conforto a isso o obriga) o motor, Diesel, de baixa cilindrada é económico e simpático quando solicitado, a direcção é horrível fruto da assistência eléctrica, parece que não se tem nada nas mãos, a caixa de seis velocidades requer habituação para não meter a quarta em vez da sexta (nem nas aulas de condução me enganava a meter mudanças... onde há aqui um buraco para me esconder), os interiores pareceram-me melhores que os da octavia, e por último, o equipamento sport (apenas disponível nas versões a gasóleo, o que é perfeitamente estúpido) era composto por um painel de instrumentos convencional com ponteiros acompanhados de um painel digital ao centro...
A seguir foi a experiência com o motor Otto, igualmente económico, sem turbo, mas com resposta compensada pelo sistema dual vvt-i (abertura de válvulas variável, quer na admissão quer no escape), apenas se tornava anémico em mudanças mais altas, carros feitos para andar em cidade... pf! Os interiores eram os convencionais, o centro dos ponteiros dos manómetros eram ocupados com a indicação digital do consumo instantâneo, média de consumos, quilómetros percorridos e as mordomias já habituais... pacote sport não disponível, já disse que é estúpido considerar um Diesel desportivo e não o Otto?
O meu interesse neste pequenino motor 1.33L de cilindrada é o facto de ser pequeno, leve, e com uma potência declarada na casa da centena de cavalos e um binário máximo disponível "cedo" para um motor que queima gasolina. Agradou-me a mecânica, mas no geral, em ambos os carros, não há nada que me faça pensar "eu quero um carro destes porque...", parece que vou ter que continuar a experimentar... mas a escolher, escolhia a gasolina!

sábado, outubro 30, 2010

octavia III

"Para te dar uma comparação entre o octavia e o meu (velho) carro... tu jogas futebol, mas também o podes jogar numa consola, certo? Na consola, és mais rápido, mais eficaz e fazes coisas que, quando jogas futebol, não consegues fazer, e no jogo em campo, ainda corres o risco de levar umas caneladas, no entanto, a satisfação que tens no final do jogo é muito maior! Acho que é o melhor termo de comparação que te consigo arranjar."

sexta-feira, outubro 29, 2010

ironia

Deixa-me cá ver... tive dois acidentes de viação com viaturas do trabalho, em nenhum dos casos a culpa foi minha, em nenhum dos casos me encontrava a desrespeitar qualquer regra do código da estrada, e em nenhum dos casos poderia fazer o que fosse para evitar o acidente, e o que faz a minha "entidade patronal"? Manda-me ter formação sobre condução! Nem sei se deva rir ou chorar...

segunda-feira, outubro 25, 2010

octavia II

Ainda sobre a experiência de condução (pode chamar-se isso ao que eu estava a fazer?), vou ter que repetir mais testes destes nos próximos tempos... e a ideia não me agrada nada!
Agrada-me a melhoria significativa de desempenho da "alma", mas não me agrada mesmo nada que essa alma venha agarrada a tanta porcaria que em nada difere do que a microsoft faz... software com base em zeros e uns que faz funcionar hardware de uma determinada maneira... dão-me um sentimento de segurança, que instintivamente tomo como "falso". A experiência foi/é vazia de... sentimento? Pode-se falar de sentimento? De paixão, de arrepios e daquela presença no limiar "está quase... quase... quase... não fugiu!"? Os sentidos são quase que suprimidos, não se ouve, a visão é toldada, e...
Progredir e acompanhar os tempos... parece-me algo tão difícil. Resistência a mudança é uma característica do ser humano, e poucos são os que não a sentem (ou sentem, mas não o admitem), e avizinham-se ainda mais mudanças, mais do que já houve neste último ano, pelo andar da "evolução", vou acabar por ficar "imune" à mudança.

(mais rápido, mais eficiente, mais seguro, mais tudo, até mais "sem sal"!)

domingo, outubro 24, 2010

desencanto

Será falta de paixão pelas coisas do dia-a-dia?

quarta-feira, outubro 20, 2010

7 meses?!

Funcionários do instituto da mobilidade e dos transportes terrestre no primeiro dia do ano...
- Quem é que vamos atrasar desta vez?
- Tira à sorte uma letra!
- Deixa cá desembrulhar o papelinho... é o pê!
- Boa! Esses só lhes pegamos depois das férias do Verão!

... e assim fiquei eu, e mais alguém com o nome a começar pela mesma letra, pendurados sete meses à espera de receber a carta de condução alterada... mas ao menos não me mudaram o nome!

geocaching...

... é giro, traz desenvoltura cerebral, aprende-se um pouco de tudo, e faz-se exercício pela manhã... pela tarde... pela noite, em conjunto com os amigos. Isto promete longas caminhadas!

terça-feira, outubro 19, 2010

octavia I

Por cortesia de um dos patrocinadores da world bike tour, fui fazer um test-drive a um skoda, já não fazia um há uns anos, e se da última vez ia de espírito aberto (e não de bolsa aberta, que isso de carros novos não me fica nada bem), desta ia decidido a fazer o teste para... puder falar mal com conhecimento de causa!
Meia dúzia de palavras com o funcionário (colaborador! nunca mais me adapto) e lá estava eu, dentro de uma combi (?) dessa marca que é um parente barato da vw... 15 a 20 minutos por minha conta, seria fácil encontrar coisas para falar mal! Era uma carrinha, pesada e cheia de mordomias, que na maior parte dos casos nem sei para que servem, era a gasóleo (coisa que está na moda mas é um disparate a meu ver, tal como os carros híbridos, mas até esses são a gasolina) com um motor de "baixa" cilindrada... seria demasiado fácil...

Sentei-me, ajustei a profundidade, as costas e a altura do banco, regulei os espelhos, coloquei o cinto... a caixa parecia agradável, a direcção era demasiado assistida (ahã!), o pedal da embraiagem era esponjoso (ahãããã!), não se ouvia o motor, e os aparelhómetros tinham uma informação digital mesmo à frente do meu nariz que não parecia servir para nada (indicava se deveria mudar de mudança, e para qual... dah!).
Circular em mau piso não é "bom" (eu bem sabia que isto era um tupperware!), ao fim de alguns quilómetros em empedrado arriscava-me naquele instante a dizer que "deve ser uma bela merda", escolhi um percurso que conheço e onde passei dezenas de vez, faz parte do trajecto do trabalho, e lá fui eu avaliar o "comportamento" daquele "rabo gordo"... abusei um pouco, pois havia margem para isso, foi possivelmente, de todas, a vez que mais rápido ali passei (hm?!), e na curva mais apertada, encostei o acelerador ao fundo, sentia-se a electrónica a trabalhar, não ganhava velocidade, os pneus não chiavam, a trajectória não alargava, não era preciso corrigir nada na direcção, nem os ressaltos do pavimento fizeram a Octavia mudar de rota! Mais adiante repeti a dose! E em curvas onde, quem não acerta com os tempos, desafina a música toda... nada! Nem um centímetro! Nada de nada!

Voltei para casa triste... compreendo que, a bem da segurança rodoviária, haja todo um arsenal de electrónica que trabalha preventivamente para evitar o acidente, e isso, actualmente faz com que qualquer primata consiga conduzir um automóvel... o que mais triste me deixou, não foi o facto de todo o gozo e prazer que me dá a condução ter sido removido do acto de conduzir por um imenso polvo que se estende a toda a máquina e que se chama Electrónica, é ter noção da quantidade de acidentes, de feridos e de mortos que ainda há todos os dias nas estradas, quando os automóveis são assim, indistintos, neutros, perdoadores e seguros.

sexta-feira, outubro 15, 2010

preto vs laranja

Ainda não faz muito tempo que destruí, por incineração, um cartão de débito integralmente preto (acho que foi o primeiro que tive), coincidente com a fase "sempre de preto"... será coincidência receber um novo cartão integralmente laranja quando ando de laranja?
Se este post é fútil e estúpido? É, mas esta cor foi uma "cicatriz" que ficou.

haja paciência

Não bastava ser forçado a chegar atrasado ao trabalho (diabo do trânsito! se os tempos são de crise, de onde raio saíram tantos carros para entupir as artérias da cidade?) e tinha que começar a "bicha doida" espavorida a proferir impropérios logo de manhã por causa de um carro "mal estacionado" porque queria regar as plantas e a mangueira ficava presa nos pneus... felizmente voltei atrás para o fazer calar depois de já lhe ter dito duas verdades, já lhe estavam a tirar as medidas - pode tirar o carro?! - perguntou-me com maus modos e voz estridente - não tiro! está mal, pode ir à volta! - ah e tal ameaças de ir fazer queixinhas ao chefe, pode fazer ao chefe, ao papa, ou ao presidente, tanto me faz, o carro não sai dali!
(deverá ser o equivalente masculino-larilas do síndrome pré-menstrual que algumas mulheres por vezes padecem)

quinta-feira, outubro 14, 2010

leave forever

É uma das frases da música que tenho como toque de telemóvel... uma dessas músicas tirada de uma qualquer série de culto nipónica sobre um sujeito meio desligado do mundo que ajuda o pai fazendo entregas durante a noite com um charuto velho sobrevalorizado (dizem alguns) devido à performance nessa mesma série...
Leave forever, já foi coisa que me apeteceu mais fazer... e acabei por fazer, mas ainda me apetece às vezes... afinal de contas o meu equilíbrio, tal como se estuda em transmissão de calor e em termodinâmica, não é este, é algo isobárico, isotrópico, isocórico e mais uma quantidade de iso-qualquer-coisa!
O ritmo a que "queimo" é demasiado acelerado e parece que o mundo não me acompanha, o tempo sim (esse é até mais rápido), mas o mundo não. Os dias sucedem-se de tal maneira que lhes perco a conta (o único mais folgado é domingo, e folgado é nitidamente um abuso de linguagem), desde muito cedo até demasiado tarde, com algum esforço físico e concentração no início, e com demasiada necessidade de concentração na parte final... dormir apenas seis a sete horas não me é natural, dou tantas vezes comigo a fechar os olhos sucumbindo ao sono apenas porque me sento algures e paro durante uns minutos... ao menos no peso não se nota!
Mudei de cores, mudei de filosofia de encarar estas coisas, mudei de atitude, arranquei com o que tinha de bagagem de outra casa, e consegui resultados! Se fiquei satisfeito? Devo dizer que não... em duas "wildcards" despachei uma, inglês técnico, graças à literatura dedicada a um carro alemão (hm?!?) e apenas mais três em seis, nitidamente pouco e resultados tirados a ferros! Pareciam parelhas de números extraídos de uma linha de código binário!
Nas conversas típicas de "o que vais ter agora?" dizem-me, por vezes, que vou bem embalado... lamentavelmente não sinto isso. Queria mais, mais resultados positivos e melhores! Tenho-me socorrido das memórias "da outra casa", e essas não vão durar para sempre, diria mesmo que este semestre será suficiente para esgotar a bagagem que tinha e talvez até suplanta-la, e daí em diante tudo será novo... mas dá-me algum (ou talvez bastante) gozo quando numa disciplina "matematicodependente" pedem para efectuar o cálculo de um integral (cálculo de áreas de forma erudita, vá) e ficam à espera dos resultados pela parte da assistência, essas coisas do demónio acabam por sair de forma algo natural, algo como se fizessem parte do meu cérebro, guardadas num armário ferrugento e poeirento de fechaduras arrombadas numa sala que ninguém visita... dá-me gozo, admito.
No entanto, falta-me tempo, muito tempo, tempo para mim, para dormir, para não fazer ponta de corno, para passar um fim-de-semana (e já eram tão poucos) longe de casa, falta-me tempo para estar de volta do six... diabo! Falta-me tempo até para beber um café com os amigos! E queimo, queimo a uma taxa de variação demasiado elevada... ou despacho isto, ou isto vai dar cabo de mim!

domingo, outubro 10, 2010

estatística

A minha opinião sobre estatística, e as mais variadas formas de converter dados em números e números em outros números, sempre foi que apenas serviam para tapar os olhos a quem não quer ver... e cada vez mais me convenço disso mesmo...
Alguém que me diga, se fizer o favor, para que diabo serve tanta complicação com números!

sábado, outubro 02, 2010

i fell like...

... a superhero stalker :\

Thow, it fells nice to "know" that some people are still around in some way :)

terça-feira, setembro 28, 2010

dasss!

Mais uma vez nada de avisos de véspera para preparar o serviço, e se isso não fosse bastante... será que não há olhos para mais ninguém e tem que calhar a merda sempre ao mesmo? Fodase!

Para o ano por esta altura hei-de estar prestes a mandar todos para aquela que já foi pão!

soberba saudade...

segunda-feira, setembro 20, 2010

quarto

A adaptação a um veículo completamente novo, a descoberta da linha ideal e a competição sabendo que "de frente" não vêm ninguém... mas que gozo tremendo!

Uma manga de qualificação com direito a despiste, valeu o sétimo tempo, o ante-penúltimo da manga dos "rápidos".
No final da primeira volta era oitavo... aproximar... estudar... atacar... já está! E foi assim até chegar a quinto.
Terceiro e quarto iam colados a discutir a posição... estes são mais rápidos, mais eficientes, mais certos... aproximar é sempre bem mais fácil! Deixem passar! E as portas fechavam-se, uma e outra vez... estudar... aqui parece bom sítio... aqui não... aqui também posso aproveitar... mais uma volta, travagem, meter o nariz... já está! Vamos buscar o outro! Negou-me essa oportunidade não me deixando sossegar as restantes voltas... discutiam-se as travagens até à última, faziam-se rectas lado a lado... toque... não cabemos os dois, perder esta para ganhar a seguinte... chega para lá! Nada! Toque... e o terceiro a fugir... toque! Tipo virado ao contrário na pista?! Desviaaa! Agora passas tu, agora passo eu, para perder a posição a seguir, ... tenho vantagem na parte rápida, escorrego demasiado na parte lenta, atravessar para não deixar espaço livre na pista suficiente para ele passar, escorregar na curva seguinte, parte rápida, vantagem... Toque! Ressaltos, correctores, tudo! Tudo era pista! Tudo contava, truques e arte, tudo valia para, dentro do que era competição limpa, ficar à frente do outro.
Não apanhámos o terceiro perdidos no fulgor na nossa batalha de octanas, não pude deixar de cumprimentar tal adversário logo após a bandeirada ainda no veículo... e agradeci-lhe com um caloroso aperto de mão assim que tirei o capacete, era recíproco!
Quarto e quinto da manga dos "rápidos" tiveram "de certeza" a melhor batalha em pista... nas palavras do professor, "fantástico"!

quarta-feira, setembro 15, 2010

what was the best moment you had in your BMW so far?

Foi a pergunta feita aos membros de um grupo numa rede social... a resposta?

Sair de casa de manhã bem cedo para ir trabalhar, especialmente quando tenho o E30 à porta.
É usual haver alguém a perguntar-me no destino, porque diabo saio do carro a sorrir.

Típico doente por automóveis!...


domingo, setembro 12, 2010

energia do electrão

Era o slogan numa das publicidades dessas pulseiras que toda a gente tem, as aclamadas power balance... energia do electrão? A avaliar pelo tamanho dos hologramas que as pulseiras têm eu diria que deveriam ter alguns milhares de electrões, mas pelos vistos, só um é que trabalha!
Uma razão de proporção engraçada, que aprendi há uns anos em físico-química, dizia que um átomo estava para uma bola de ténis tal como esta estaria para o planeta Terra, sabendo que os electrões orbitam em torno do núcleo do electrão... filho da mãe do electrão deve ser bem pesado para conseguir equilibrar o corpo humano!
Centenas de anos de estudos deitados ao lixo... mas ao menos anda tudo bem equilibradinho!

Isto faz-me lembrar as camisolas interiores termotebe com características turbo-eléctricas... publicidade sem conhecimento.

sábado, setembro 11, 2010

mecaniquices!

A disciplina de Motores Alternativos parece ter um conteúdo interessante para qualquer pessoa que aprecie os tupperware's que andam por essas vias públicas diariamente, o que me divertiu na demonstração de interesse pelos restantes estudantes em conversa, foi o facto de todos eles dizerem que não faziam ideia do que eram a maioria das peças do interior de um motor... sabiam os nomes, mas não seriam capazes de identificar, por exemplo, segmentos, não saberiam distinguir uma cambota de uma árvore de cames... um sabia o que eram cames, e havia uma por cada cilindro... Uma por cada válvula, corrigi-lhe a frase, podes ter uma árvore de cames que acciona quer as válvulas de escape quer de admissão, tipo SOHC, single over head camshaft, ou quando são accionadas por árvores diferentes, tens uma para as válvulas de admissão e outra para as de escape tipo DOHC, double over head camshaft... Ya ya, é isso! Aprendi essa cena em inglês técnico!


Acho que exagerei na demonstração de conhecimentos...


Faz agora sentido a cara de espanto que um dos examinados fez quando disse que tinha ficado aprovado a inglês técnico com 15 minutos de estudo... e compreende-se também os problemas de dicção (e não só) do nosso primeiro-ministro no que toca à língua de Shakespeare.

4 cilindros em linha, a gasolina, multi-válvulas, injecção multi-ponto, DOHC e distribuição por corrente...

sexta-feira, setembro 10, 2010

devaneio

É engraçado como as coisas vão mudando consoante o tempo, não pela quantidade de tempo, mas pela mera passagem e enquadramento do mesmo no nosso ponto presente... acho cómico olhar para trás passados meses, ou mesmo anos, e dar com situações e pessoas de que, sem me esquecer delas, não me lembrava dos pormenores... parece que esqueço.
Esqueço de uma forma não definitiva, pessoas, lugares e vivências, memórias prontas a ganhar cor numa explosão despoletada pelo rastilho de palavras de alguém nesse lugar com a mesma vivência noutro corpo... noutra mente, com outra lição ou conclusão tirada do mesmo resultado. Memórias partilhadas, que "invenção" fabulosa!
Mais curioso é como o desenrolar dessa memória consegue arrastar tantas outras à superfície... isto devem ser efeitos da idade!

mais um setembro

Quatro em sete, e tudo notas que fazem lembrar código binário... venha a especial tentar rematar mais duas!

quarta-feira, setembro 08, 2010

suado

Não havia uma única folha daquele trabalho que não estivesse com anotações depreciativas a vermelho.
Ao fim de mais de 30 minutos de conversa e nos fazer ver um rol imenso de coisas que nos tinham passado ao lado e que, certamente, levariam a que a "nossa empresa" faria rapidamente parte das falidas, um oito era o que tinha para nos dar... bem... 10... e vão-se embora antes que mude de ideias!

segunda-feira, setembro 06, 2010

setembro

É definitivamente Setembro, e como tal, acabou-se o sossego no ambiente citadino... o mundo inteiro regressou de férias, e com eles trouxeram de volta o mau feitio, a tão característica forma de embirrar, e como não poderia deixar de ser nestes tempos modernos, estão em depressão pós-férias... depressão pós-férias, uma maneira pomposa de desculpar a falta de vontade de trabalhar, o mau génio, e a irritabilidade durante pelo menos um mês inteiro!

terça-feira, agosto 31, 2010

azeitismo

Será impossível circular na via pública a ritmo de turismo com um pré-clássico sem ser importunado? Sem ser alvo de olhares desagradados? Sem ser desafiado? Ainda vou acabar por vender o carro só para não ser alvo constante da necessidade alheia de medir comprimentos de pila!...

Enquanto a música adequada continuar a existir! E houver peças...

sexta-feira, agosto 27, 2010

mente minada

Perguntaram-me em tom casual sobre as tendências sexuais de uma pessoa conhecida... sei lá eu! Nunca havia pensado nisso, todo o comportamento, o modo de vida e o relacionamento com as outras pessoas que havia visto sempre foram registados na minha mente como "normal", tirando um ou outro pormenor, mas todos temos as nossas "coisas" estranhas... e alguém ao fim de cinco minutos larga-me uma bomba destas ao ouvido...
A pergunta levou-me a, sem querer, enquadrar todos os pormenores até aí "normais", como revelações de "tendências" homossexuais, o comportamento, o modo de vida e o relacionamento com as outras pessoas que havia visto, adquiriram um outro registo que a minha mente agora teima em não despegar da pessoa em questão...
Há poucos dias vi um filme sobre algo do género, uma ideia era colocada na mente de um sujeito, com o intuito de essa ideia crescer de forma a obter um resultado comportamental desejado.
Esta pergunta acabou por ter o mesmo o efeito, uma ideia base, capaz de alterar o comportamento final do portador da ideia... daqui por uns tempos, ao ritmo a que as ideias crescem e amadurecem, o mais certo é sofrer uma alteração comportamental para com a pessoa em questão, discriminando-a, e muito certamente evitando-a, devido a uma pergunta que levou a toda uma alteração da minha forma de observação... porque a pessoa é, agora, diferente do que era.
Faz sentido?
Óbvio que não! Apesar de a ideia cá estar e ser quase impossível remover uma ideia (tal como era narrado no filme), uma ideia pode ser sempre "posta de parte", porque no fundo, a pessoa é exactamente a mesma, e igual a si própria.

terça-feira, agosto 24, 2010

ontem (sem qualquer ordem)

L. Lucas
J. Neves
J. Pereira
E. Neves
L. Alves
V. Ferreira
J. Malha
J. Robalo
J. Banco
E. Ângelo
B. Rodrigues
M. Rodrigues
B. Rafael
C. Cavaco
A. Cleto
M. Pratas
C. Sobrinho
T. Lucas
S. Teles
M. Moura
R. Lucas
R. Marta
N. Pina
M. Portela
P. Cotovio
V. Martins
F. Budha
A. Garcia
D. Loureiro
J. Vieira
H. Rodrigues
A. Pires
T. Brum
J. Azedo
J. Cotovio
J. Eduardo
I. Lemos
L. Batista
P. Belo
P. Cardoso
E. Gaspar
J. P. Loureiro
A. Cardoso
A. Lourenço
P. Lavrador
R. Quelhas
B. Brito
J. Lucas
S. Lucas
B. Figueiredo
J. Loureiro
... fora os fóruns... a vida começa aos 30!

quinta-feira, agosto 12, 2010

redes sociais

Servem para tudo, até para identificar criminosos!

terça-feira, agosto 10, 2010

três por um - a nova novela da sic

O gordo... escreve papéis que deliberam a vida das outras pessoas toda a semana.

O gato das botas... que em tudo desdiz as deliberações do big boss.

O troll... mais preocupado em deixar passar o tempo do que em verificar seja o que for.

A mona lisa... o elemento!


Reza a estória que faltava a mona lisa ao gordo! Incapaz de pegar no telefone, falou com o gato das botas que vinha acompanhado do seu feroz canito (deve ser moda levar os cães para o trabalho). E logo uma ordem foi proferida na direcção do elemento mais baixo (adivinhai quem...) para saber do paradeiro da mona lisa. Mona lisa não atendeu o telefone, novas deliberações para o dia foram dadas, e o recado da ausência da mona lisa passou para o troll... este, sem demoras preparou texto bonito em formato electrónico para apresentar ao chefe...

... continua num próximo episódio!

sexta-feira, agosto 06, 2010

providências

A palavra que fica sempre bem quando não apetece escrever todos os passos necessários para resolver uma situação. Poupança de papel e tinta de caneta!

forma de motivação

A parte inicial baseou-se na componente educativa (aprender com os erros é, e será, uma forma de aprender) do exemplo que se seguiu, a parte relevante, quer a nível de curiosidade, quer a nível funcional para a unidade em questão, é a seguinte:


No início dos anos 90 durante a guerra do Golfo foi usado um sistema de defesa das tropas americanas denominado de sistema de defesa com misseis aéreos Patriot. Na noite de 25 de Fevereiro de 1991 este sistema de defesa e detecção de ataques inimigos falhou, não conseguindo intersectar um míssil Scud lançado pela Arábia Saudita. O míssil iraquiano matou 28 militares americanos e feriu outros 98.
Esta falha grave no sistema de defesa deveu-se a erro no radar do sistema Patriot e no software que o suportava, reduzindo-se no fim, a um erro de arredondamento no cálculo e na medição do tempo.
O algoritmo usado pelo radar necessitava de representar a velocidade do míssil atacante e do tempo que vai passando por números reais. O valor da velocidade era guardado num número com uma parte inteira e uma parte decimal e a variável tempo, instantes sucessivos de funcionamento do sistema de defesa, como um outro número real com as mesmas características. No entanto o computador do míssil Patriot, na sua representação interna, usava um conjunto de 24 bits. Como a unidade de tempo usada para incrementar o relógio era de 1/10 segundos, número que não tem uma representação em base 2 finita, o sistema usava uma aproximação ao número 1/10 dada por
 latex2png equation
 truncando a expansão em base 2 de 1/10 ao vigésimo quarto dígito.
Claro que para tempos pequenos de funcionamento o erro acumulado na variável tempo é pequeno mas ao fim de 100 horas de funcionamento o erro final acumulado é da ordem de
 latex2png equation
 que corresponde a um deslocamento na posição da região de procura do radar da ordem de 687 metros o que conduziu à não detecção do míssil Scud iraquiano.
texto por Tiago Charters de Azevedo

E assim se aprende matemática vista pelos "olhos" de uma máquina.

quarta-feira, junho 16, 2010

Portugal e os Portugueses

Na "Carta aos Participantes da World Bike Tour Lisboa" pode ler-se...

  • Acção de Apoio a Portugal:
A partida do “World Bike Tour Lisboa 2010” será dada às 10h30, com transmissão directa na RTP1;
Antes da partida, e  no momento de entoarmos o Hino Nacional, solicitaremos a todos os participantes que enverguem de braços estendidos, o cachecol com as cores de apoio a Portugal que disponibilizamos nas mochilas entretanto entregues a todos!
Vamos assim, criar um colorido de imagens que “pedalarão” mundo, numa clara demonstração de orgulho pelo País, pelos nossos futebolistas…e por todos aqueles que, tal como a SPORTIS, levam o nome de Portugal além fronteiras!

Pelos que levam o nome de Portugal além fronteiras pelas suas incontornáveis capacidades intelectuais nos mais diversos sectores, envergaria orgulhosamente o cachecol...
Pela Pátria onde nasci, apesar de todas as dores e convulsões que causa e sofre, orgulhosamente ergueria cachecol...
Por uma cambada de fedelhos mimados que ganham, e nos fazem gastar, fortunas, pelos quais nem sequer me interesso, e que conseguem ter um mísero palmarés quando comparado com outras modalidades desportivas "invisív€is" aos olhos de todos? NUNCA!

Um evento com boas bases, onde se quer que reine o espírito de convívio, da solidariedade e da inclusão, onde se luta contra as dependências e onde se defende o meio ambiente (não vou discutir estes temas, ficava a escrever até amanhã e mais 15 dias), conseguiram simplesmente arruinar o espírito da coisa na minha pessoa... a minha vontade é somente, não ir.

segunda-feira, maio 31, 2010

the old E30...

... making jealous heads turn since 1988!

quarta-feira, maio 05, 2010

admiração

Admito publicamente, ou particularmente dado o volume de visitas e o pagerank desta página, que admiro aquela personagem.
Mas... porquê modelos cosmológicos? Isso é que me baralha astronomicamente... isso e o facto de não perceber nada do que escreve no seu blogue pessoal... melhor que isso já não esperava.

terça-feira, maio 04, 2010

danos cerebrais

Professor nos estados unidos (só podia) foi processado por um aluno devido aos seus testes serem demasiado difíceis. Nas palavras do aluno, a dificuldade dos testes deste professor era tal que causava danos ao cérebro... hmm?
Depois de ter partilhado esta história com a assembleia, o meu astrólogo professor de matemática, voltou ao trabalho, cometeu um erro (porque afinal de contas, o homem tem uma cabeça que é uma máquina incrível, mas é humano, e às vezes, também erra), e à pergunta sobre se o i não teria que ter uma relação com k... o seu cérebro ainda não está danificado, deve ser do ar puro!

sexta-feira, abril 09, 2010

recalcamentos

Acho divino o ódio de estimação de um dos meus professores, que por sua vez, o transmitiu ao seu discípulo dizendo: Tomai e fazei crescer nos aprendizes este ódio que nutro por essa instituição da concorrência que tanto me atormenta!

Nunca vi ninguém falar tão mal da tal instituição, nem eu tanto a maldisse quando arrumei as minhas malas e saí sem bater com a porta. Mas esta alminha e o seu discípulo, nutrem um real ódio, tão aguçado e forte que quase é palpável pelos alunos... eu, para mal dos meus pecados (aos olhos dele), vim transferido de lá, devo ser a própria personificação do demónio!

Como é óbvio, prefiro ficar calado, pois ele, e o discípulo, é que têm o poder de toda a decisão final sobre qual poderá ser o resultado de seis meses mal dormidos, mas, e como sempre há um mas, já estive tão perto de lhe chamar mentiroso... pelo menos um vez em cada aula uma vez por semana... talvez mais tarde lhe pergunte "Afinal você queria era ir para o técnico, não era?" e consiga com tal pergunta fazer o restante puzzle daquela cabeça cheia de recalcamentos!

terça-feira, março 16, 2010

projecto de vingança

Não dizem que a vingança se serve fria? Até vai ser em azul!

sábado, fevereiro 13, 2010

afinal

Depois de tanto me questionar pelo facto de não me destacar em nada, eis que hoje descubro qual a minha verdadeira e maior vocação, e não é descobrir os erros encobertos em serviços ou produtos, afinal tenho o condão de irritar e provocar o próximo.
Para tal, não preciso de fazer seja o que for, à semelhança da minha aptidão para encontrar erros, apenas me basta existir, ser, para que alguém decida que sou o meta a superar e para que comece a querer medir comprimentos de pila.
Em abono da verdade, a natureza não me deu essa necessidade ter que me mostrar para que me dêem atenção. Não preciso, nunca precisei, nunca precisei de dar graxa,nunca necessitei de ser mais do que sou, nem de me fazer passar pelo que não sou... mas ainda assim, consigo perturbar.

terça-feira, fevereiro 09, 2010

sósia

Bastou olhar um breve instante para aquela pessoa presente no debate televisivo que fazia uso da palavra para que me lembrasse alguém.
Tirando os brincos, os anéis, os colares e o penteado, era ela sem tirar nem pôr! O nariz, a fisionomia e até a cor indefinida do cabelo eram iguais. Possivelmente até a idade seria semelhante. Tive saudades... gostava de saber como está, como lhe corre a vida, o trabalho, como está a família...
Abdiquei de parte importante de mim, talvez para um bem maior, talvez para nada...

sábado, janeiro 30, 2010

correio da manhã

Não há grande volta a dar. A leitura de um jornal que, tal como o próprio publicita, está no topo, continua apenas a ser "aceitável" quando nos limitamos a ler apenas as gordas, pois quando nos debruçamos no conteúdo do artigo... erros de Português, erros de escrita em nomes e marcas, e até brilhantes deduções sobre o comportamento eléctrico/mecânico de painéis de instrumentos... há de tudo, em forma de disparate.

segunda-feira, janeiro 25, 2010

que tal um chá?

Não é a primeira vez que tenho direito a uma situação caricata por causa do automóvel, mas desta vez, passou realmente das marcas! Quem é que aquele anormal pensava que eu era?! Pela primeira vez mostrei o escudo cromado para meter alguém no seu devido lugar... não julgue as pessoas pelo automóvel que elas conduzem... e ao menos faça por ser discreto na observação! Saudinha.

terça-feira, janeiro 19, 2010

dar a volta

Nuno Markl com o seu último programa, caderneta de cromos na rádio comercial, volta a personificar o adulto resultante da criança caixa de óculos, gorda, gozada e impopular que viveu, e sobreviveu, a essa tão estranha década, a de 80.
A serem verdadeiras todas as memórias que ao longo da sua carreira Nuno Markl tem partilhado com o público, gostava de saber qual dos colegas de escola populares que ele teve na escola em Benfica teria a lata de gozar com ele agora...

quinta-feira, janeiro 14, 2010

nem sei que diga!

Ao fim de duas semanas e mais qualquer coisa de chuva, era de esperar que houvesse alguma vontade de "fazer alguma coisa"... enganei-me redondamente (ou não) quando achei que hoje seria um dia diferente.
O dia meteu água à mesma, mas esta, era da companhia, e serviu para lavar o autocarro daquele cujo nome não deve ser dito pois não está presente para se defender... em vez de cumprir as obrigações para com a entidade patronal e cumprir as ordens impostas pelo homem sentado na cadeira do poder, não, decidiu unilateralmente nada fazer... isto torna ridícula a avaliação que me fizeram... deram-me um "bom", que não é bom, nem é mau, mas certamente será o mesmo que lhe foi dado... e eu que estava ansioso por ir dar um passeio...

terça-feira, janeiro 12, 2010

aniversário

Veio-me a memória um aniversário há mais de dez anos em que atabalhoadamente conseguimos congeminar um plano para tirar o rapaz de casa, em que a irmã andou a fazer piscinas de minha casa a casa dela para que fosse possível ter tudo pronto.
Quando entrámos em casa deles estava lá o guitarrista, a jornalista, o informático, o segurança e... a boneca insuflável devidamente vestida! Todos, excepto a boneca, cantámos os parabéns acompanhados à guitarra... conseguimos apanhar o aniversariante de surpresa!

onde e como

A morar no mesmo sítio... mas com planos para mudar.
A trabalhar no mesmo sítio... mas num posto acima.
A estudar... mas noutra universidade.
A conduzir o mesmo carro... mas com mais um na "garagem".

Com mais amigos, com os velhos amigos mais próximos, com perdas irreparáveis e com bons momentos... este ano até que não foi mau, mas há que ter mais e mais mudanças.

quarta-feira, janeiro 06, 2010

fogo!

fogo (ô)
s. m.
1. Resultado ou manifestação da combustão.
2. Lume.
3. Incêndio.
4. Denotações, tiros (de armas de fogo).
5. Casa, família.
6. Calórico, calor de lume.
7. Suplício da fogueira.
8. Fig. Imaginação ardente.
9. Ardor, veemência, paixão, entusiasmo.
10. Brilho.
interj.
11. Voz de comando para que a tropa dispare.

fogos
s. m. pl.
12. Doença nos cascos das cavalgaduras.
13. Aberturas no alto da chaminé para sair o fumo.
a fogo lento: a pouco e pouco.
arma de fogo: a que dispara projécteis por meio de explosão.
brincar com o fogo: tratar descuidadamente das coisas perigosas.
caro como fogo: muito caro.
fogo posto: incêndio criminoso, incêndio provocado.
fogo vivo: tiroteio renhido. interrogatório rígido.
pôr as mãos no fogo por alguém: responsabilizar-se por essa pessoa.
Pl.: fogos (ó).

Ou... interjeição de desânimo demonstrado por um indivíduo pelo desagrado demonstrado pelos restantes indivíduos do meio para com o sujeito... qualquer dia ninguém lhe fala... coitadinho!