segunda-feira, setembro 20, 2010

quarto

A adaptação a um veículo completamente novo, a descoberta da linha ideal e a competição sabendo que "de frente" não vêm ninguém... mas que gozo tremendo!

Uma manga de qualificação com direito a despiste, valeu o sétimo tempo, o ante-penúltimo da manga dos "rápidos".
No final da primeira volta era oitavo... aproximar... estudar... atacar... já está! E foi assim até chegar a quinto.
Terceiro e quarto iam colados a discutir a posição... estes são mais rápidos, mais eficientes, mais certos... aproximar é sempre bem mais fácil! Deixem passar! E as portas fechavam-se, uma e outra vez... estudar... aqui parece bom sítio... aqui não... aqui também posso aproveitar... mais uma volta, travagem, meter o nariz... já está! Vamos buscar o outro! Negou-me essa oportunidade não me deixando sossegar as restantes voltas... discutiam-se as travagens até à última, faziam-se rectas lado a lado... toque... não cabemos os dois, perder esta para ganhar a seguinte... chega para lá! Nada! Toque... e o terceiro a fugir... toque! Tipo virado ao contrário na pista?! Desviaaa! Agora passas tu, agora passo eu, para perder a posição a seguir, ... tenho vantagem na parte rápida, escorrego demasiado na parte lenta, atravessar para não deixar espaço livre na pista suficiente para ele passar, escorregar na curva seguinte, parte rápida, vantagem... Toque! Ressaltos, correctores, tudo! Tudo era pista! Tudo contava, truques e arte, tudo valia para, dentro do que era competição limpa, ficar à frente do outro.
Não apanhámos o terceiro perdidos no fulgor na nossa batalha de octanas, não pude deixar de cumprimentar tal adversário logo após a bandeirada ainda no veículo... e agradeci-lhe com um caloroso aperto de mão assim que tirei o capacete, era recíproco!
Quarto e quinto da manga dos "rápidos" tiveram "de certeza" a melhor batalha em pista... nas palavras do professor, "fantástico"!

Enviar um comentário