terça-feira, dezembro 29, 2009

dia de férias número dois

Bebia um café quando um dos clientes habituais reclamava de forma indignada e audível até a um surdo que, o aumento da reforma previsto para 2010 era de 1%... se em vez de falar mal por haver um aumento tão pequeno o cliente habitual tivesse lido o resto do jornal para além das gordas, saberia que devido à deflação as reformas deveriam baixar, e aí talvez dissesse algo digno de não ser catalogado como, digamos, parvinho, vá!

sexta-feira, dezembro 25, 2009

prendinhas

Algo se passou de estranho com este Natal... começou por não ter a típica discussão à mesa da consoada nem houve as também usuais festas de aniversário devido a distâncias e desentendimentos. Houve as típicas sms de natal, emails e as chamadas telefónicas... mas estas últimas foram algo surpreendentes com anúncios de "vou ser papá"... será possível sincronizar algo como isto? Uma gravidez colectiva?

segunda-feira, dezembro 21, 2009

mais uma que já aderiu ao e-escola

Pessoalmente não acho mal a valorização pessoal de todos os que pelas mais diversas razões se viram forçados a deixar de estudar, começo é a achar muito mal a desvalorização dos que estudaram com tanto facilitismo que estão a instaurar... ficam favorecidas as estatísticas a nível europeu. Viva as aparências!
Em breve até os felinos de Portugal terão o 12º ano!

sexta-feira, dezembro 18, 2009

domingo, dezembro 13, 2009

e neve?

Desde o frio extremo até ao calor abrasador passando pela corrente de ar, mas... e neve?

E 7.49.37 N 40.13.44

quarta-feira, dezembro 09, 2009

vou ser tio!

Só não pode ser benfiquista, mas pode gostar de automóveis, pode ser que o "tio" lhe ofereça um galinheiro da bmw um dia mais tarde... agora é esperar que tudo corra bem... Pfininho, fico a fazer figas!


quarta-feira, dezembro 02, 2009

dia de visita


Vou chegar ao fim tonto para variar... quem é o primeiro a montar a Estrela?

terça-feira, dezembro 01, 2009

vou entrar em depressão!

Não é o que dizem que acontece quando se volta ao trabalho? Pois eu vou entrar em depressão, vou trabalhar e a um feriado... que tristeza!

domingo, novembro 22, 2009

dgv


Devidamente homologado pela DGV para circular na via pública... carta de pesados com semi-reboque anyone?

sábado, novembro 21, 2009

sexta-feira, novembro 20, 2009

chuva = obras

E ainda me dizem que não é propositado... pois claro que não!

quinta-feira, novembro 19, 2009

crepúsculo

Em todos os seus episódios é uma história fofinha, impossível e irreal... encher chouriços!

quarta-feira, novembro 18, 2009

como disse?

Comparar cagalhões de burro com pastéis de bacalhau nunca deu bom resultado... quando me apresentam comparações entre pessoas da mesma faixa etária que não têm a mínima razão de ser faz-me perder as estribeiras!
Numa analogia adequada a um blogue com um nome destes, diria que é o mesmo que comparar isto...
... com isto!
Não desfazendo no segundo pois também tem o seu lugar e a sua importância, mas os dois são completamente díspares! Quer no visível quer no que está oculto... que comparação tão descabida!

amor?

É meter as unhas de fora e bufar a mostrar os dentes quando falam mal de alguém... mesmo que faça parte do passado!

desfasamento

É uma das necessidades no que toca a motores eléctricos, tem que haver desfasamento para que o motor rode como se por magia fosse... agora... quando o desfasamento é registado numa foto tirada com uma compacta e um comentário técnico-elaborado (ou elaborado-técnico)... só mesmo para rir! Haja bons motivos para uma gargalhada.

terça-feira, novembro 17, 2009

e sai mais uma...

Estou cada vez mais convencido que a estupidez deveria pagar um imposto. Qualquer coisa que tivesse uma tabela semelhante à do IRS de forma a variar o pagamento consoante a imbecilidade comprovada de cada um.
Certamente eu também iria pagar qualquer coisa, pois todos cometem erros e não sou especial a ponto de não errar, mas felizmente não seria dos que mais pagaria... isto comparativamente com alguns casos que conheço de humanóides capazes de largar bujardas da boca para fora tão descabidas que me chego secretamente a questionar se terão algum tipo de má formação física congénita que lhes liga o cérebro directamente ao intestino grosso tornando a verborreia inevitável...

sábado, novembro 14, 2009

confusão



Mas é dormir ou é "dormir"? Estou baralhado...

quinta-feira, novembro 12, 2009

pulgas, o gato

Por três vezes encontrei o Pulgas a seguir ao jantar enquanto esperava a hora de saída do trabalho.
A primeira vez não se aproximou apesar da minha insistência em o chamar...
Da segunda sentei-me na soleira da porta, ele aproximou-se mas nunca o suficiente para que lhe pudesse tocar...
No terceiro dia, ao vê-lo, sentei-me novamente na soleira sem o chamar, veio até perto de mim e permitiu que lhe fizesse festas...
Hoje, o quarto dia que o vi após a hora do jantar, sentei-me no banco de jardim, suponho que me tenha reconhecido, pois saltou para o banco e aninhou-se a mim. Coloquei o meu braço esquerdo por cima dele e acaricie-lhe o pêlo preto da cabeça com uma mão destreinada e habituada a um cão branco imensamente peludo... quase poderia jurar que o ouvi ronronar, antes de me ter dado uma patada de unhas salientes arranhado-me a mão, mas não se afastou ofendido com a minha falta de jeito para lhe satisfazer os caprichos, antes pelo contrário, recompôs-se no banco e deixou-me continuar...
Eu até não gosto de gatos, e isto é um sentimento mútuo pela parte deles, mas pontualmente, aparece um assim, cativante e capaz de me dar a volta... coisas de gato!

quarta-feira, novembro 11, 2009

super fm

Por entre as minhas neuras com o meu auto-rádio que constantemente se desliga, teima em bloquear, perde as estações memorizadas e já não lê cd's, dei com uma emissora de rádio que durante a noite não passa música para dormir. Finalmente!
Tem no entanto um defeito... poderia lá ser de outra forma... o emissor está em Alcochete, e por essa razão, nem sempre a recepção é a melhor pelas bandas da capital, em particular se houver linhas eléctricas aéreas, mas ainda assim compensa largamente a falta de "balanço" das rádios mais ouvidas!
Porque é que falo desta rádio? Porque em conversa com um casal amigo comentei que havia encontrado música para ficar acordado a horas tardias, e quando disse o nome da rádio, ela diz-me que, quem está a tomar conta da rádio é um antigo colega de universidade... o mundo-penico volta a atacar!


E 9.11.58 N 38.43.8

sexta-feira, novembro 06, 2009

não havia!

A gravidade, essa força imensa e incompreendida, lembrou-se de fazer das suas, e puxou-me o telemóvel para baixo causando uma desaceleração brusca ao embater num pavimento não flutuante (desta vez não foi uma desaceleração brusca contra uma parede, juro!). O plástico, policarbonato (PC) e o acrilonitrilo-butadieno-estireno (ABS), e em particular este último, não esteve à altura das suas características no que toca a resistência mecânica, e decidiu "escavacar-se" todo. Resultado, vi-me forçado a começar a olhar para dispositivos eléctricos como comprador e não como delator da relação preço/utilidade... cometi um disparate! A designação é GT505... bem procurei um que fosse tdi para manter a linha e o aspecto tupperware, mas só havia gt's...

quinta-feira, outubro 29, 2009

dia da mãe gata

Acabado o passeio com um bom resultado, encontrei a gata e os seus três meninos tigrados à porta do "gabinete" e disse-lhe "tenho aqui um miminho para ti" segurando a pequena ave imóvel frente ao seu nariz... cheirou-o avaliando o estado de conservação, devia estar "aceitável", pois num gesto rápido ferrou-lhe uma dentada e levou-o para o refúgio junto da descendência. Neste trabalho nada se perde, tudo se aproveita!

dia da caça

Mais um dia de passeio, mas desta vez o passeio tinha propósito, procurar armadilhas. Com uma boa dose de sorte dei com a primeira, nela estava preso um gaio que se debatia para libertar a cabeça que a mortífera armadilha teimava em prender. Agarrei-o com o máximo de cuidado possível, abri a armadilha lentamente com a mão livre, quem estava comigo avaliou a integridade do pescoço do gaio... o diagnóstico que inicialmente parecia ser desfavorável revelou-se errado quando o gaio tentou bicar, as mãos abriram-se e ele voou sem agradecer.
Para além desta encontrámos mais seis armadilhas das quais uma delas tinha cumprido o objectivo...

quarta-feira, outubro 28, 2009

dia do caçador

Um dia de passeio despreocupado acabou com o encontrar de sete costelas armadas para apanhar pássaros... como acto de retaliação do colocador das armadilhas, uma paragem de autocarro foi apedrejada... os responsáveis não foram apanhados.

terça-feira, outubro 27, 2009

lindo!

"Bem-vindo á BP"... sinceramente foi por muito pouco que não coloquei o cotovelo (in)delicadamente em cima daquele terminal de multibanco... só não o fiz porque entretanto me ocorreu que talvez o "programador" fosse apenas mais um leitor da imprensa diária e/ou dos rodapés dos noticiários... vai daí talvez fosse apenas fã de algum escritor conceituado e premiado...

sábado, outubro 24, 2009

paint a new world

maité proença

Ok, ela veio a Portugal fazer uma caricatura de mau gosto do povo Português, até compreendo a indignação, mas será necessário continuar, passada uma semana, a gastar papel de jornal e espaço em servidores na rede por causa de uma mulher que apenas conseguiu demonstrar publicamente que não tem cultura, que é mal formada e que é mal criada?

cronómetro

De bestial a besta em 3.5 segundos... mais rápido que um Porsche!

E tudo por causa de uma conversa sobre religião...

domingo, outubro 18, 2009

erro de impressão

Já não bastavam os erros banais na imprensa escrita, os erros na sinalética, os erros até nos carros de "policia", agora tive contacto com um erro de impressão deveras peculiar...
Fui a uma superfície comercial especializada em electrónica para comprar um desses cartões de memória minúsculos, e como a capacidade máxima admissível do aparelho onde o iria aplicar era 8 giga (são só 19 vezes mais que a capacidade de disco do primeiro computador que tive!), lá escolhi o que achei mais adequado (ok, admito, trouxe o mais barato), paguei e segui para casa. O passo seguinte seria colocar com a ajuda de uma pinça o dito minúsculo cartão numa não menos minúscula ranhura para o formatar. Formatado que estava, no relatório da operação... 2 giga de capacidade?! Onde raio se meteu o resto?!? E lá voltei eu à superfície comercial...
O empregado das trocas, primeiro tentou sorrir, depois percebeu que eu estava mesmo a falar a sério, aquele cartão que tinha um "8" impresso tinha apenas um quarto da capacidade que anunciava - É a primeira vez que vejo algo do género! - eu e a mania de ser o primeiro...

quarta-feira, outubro 14, 2009

puta da vaidade

Neste caso não falo da vaidade pura, daquela que advêm de momentos bons, de situações agradáveis entre amigos, não falo daquela que nos faz corar quando alguém repara e comenta num qualquer pormenor nosso, um dos pormenores em que fazemos "gala", não falo daquela vaidade adjacente às nossas coisas boas da vida, não, neste caso falo de uma outra vaidade, daquela que anda de mão dada com a estupidez pura de quem ostenta algo porque é um objecto da moda!
Contra mim falo que já tive diversos e que tantas vezes usei, e uso, objectos semelhantes por (quase) banalidades, mas nunca sem um propósito, nunca sem um princípio básico e uma razão de ser, sempre fiz por contrariar a banalização e o desvirtuar de algo com uma função muito própria e que pessoalmente considero bastante importante, no entanto, inúmeras foram as vezes que usaram esse mesmo objecto para comigo de forma estúpida e banal, de tal forma que me limitei ao silêncio tantas vezes quantas as que me importunaram com esse objecto que de forma tão estúpida insistiam em usar! Pois a noite passada, quis o destino que, algo acontecesse e, como seria de esperar, tivessem pegado no diabo do telemóvel e me dissessem que o velho tinha ido para o hospital a meio da noite com "uma forte dor no peito", mas não, o telemóvel serve para mandar mensagens de formigas, de corações, de abelhas e de mais uma infindável panóplia de merdas que não servem para nada, mas para, pelo menos, me avisarem que havia algo errado na família, não, isso é coisa demasiado séria e fora do real propósito de um telemóvel... que puta de estupidez!

segunda-feira, outubro 12, 2009

all i heard





And your voice was all i heard that i'd get what i deserve

sábado, outubro 10, 2009

comparação

Enquanto a minha anterior "casa" tinha um aspecto, diria, apresentável a nível de manutenção, uma boa dose de luz natural e um ar mais "leve" no geral, a minha "nova casa" é mais antiga, os edifícios aparentam não ter a manutenção devida, o aspecto é negrume, e o local onde passo a maioria do tempo praticamente não tem sol (para mim, o melhor que me podem dar é um dia de Sol no inverno...), resta agora saber como funcionam os serviços e como me desenvencilho (ou desenrasco, como vem na wikipedia) na minha estadia por ali...

sexta-feira, outubro 09, 2009

conselho

Não conduzir sexta-feira à noite qualquer veículo motorizado com cromados devidamente polidos... grande probabilidade de ser abordado pelos elementos de uma acção de fiscalização de uma força policial mais do que uma vez... em 15 minutos! Carros velhos... pois sim!

quinta-feira, outubro 08, 2009

teorema de Tales

Se duas rectas concorrentes interceptam duas rectas paralelas há proporcionalidade nos segmentos de recta delimitados pelos pontos de intercepção.

frase...

"Os falhados lá são os cromos aqui"

A ver vamos...

coincidência iii: e30

Engraçadinho... comigo nunca se nega a pegar...

quarta-feira, outubro 07, 2009

coincidência ii: o sujeito do blazer

Tive a sorte de ter alguém conhecido no local para onde pedi transferência... sempre evitei andar à procura das setas indicativas que, por sinal, não existem.
Indicou-me onde ficam os locais, incluindo onde se come e bebe até mais tarde, e aconselhou-me sobre que medidas tomar para que o resultado seja "o melhor possível"... vêm lá despesas!
18h30 entro numa sala bastante cheia... eu conheço-te! Deve ser moda mudar de ares na mesma direcção que o fiz.
Sou capaz de me dar bem por aqui...

coincidência i: pedido de transferência

A espera... como sempre foi até ali, esperar, e esperar, a porta da secretaria abriu e de forma ordeira foram entrando e tirando o ticket de vez. Tirei um sem sequer olhar para o dispensador, olhei para o quadro electrónico, sentei-me e olhei para o ticket que havia tirado... a minha vez é...

segunda-feira, outubro 05, 2009

se...

Se a fé fizesse alguma diferença, o acto de acreditar e desejar algo ou alguém com muita força, com toda a vontade que um ser humano possa eventualmente ter, ou até mais, se isso, se a fé, se a crença, se o desejo, se a simples "vontade de" fosse suficiente para que algo se concretizasse da forma à priori considerada correcta, certa, normal, ou até, porque não, simplesmente feliz, neste momento estaria de bem com alguém que amo (isto num sentido abrangente da palavra, não a limitando apenas ao sentimento adjacente a uma relação amorosa), se a fé, a crença, se o desejo, se a simples "vontade de" fosse suficiente, não estaria a escrever, não estaria a sentir que perco alguém importante, não estaria realmente a perder a atenção, o cuidado, o carinho, a sentimento de alguém que por diversas, e em tantas, situações foi capaz de me dirigir a palavra certa e certeira, alguém que na sua experiência, na sua sabedoria, no seu bem querer, me fez sempre sentir melhor, me fez sempre crescer, me tornou sempre melhor do que era antes, se a fé, se a crença, se o desejo, se a simples "vontade de" fosse suficiente... seria maior que o mundo!... só porque gosto de ti... puta que pariu as etiquetas e os rótulos!

domingo, outubro 04, 2009

Crença, ou o acto de acreditar em algo ou alguém.

sábado, outubro 03, 2009

disparate

Considerar todas as coincidências como sinais de alguma coisa que antecipam o resultado final.

sexta-feira, outubro 02, 2009

coincidência

Obra do acaso, uma conjugação aleatória de acontecimentos, muitas vezes confundido com o "sinal", e demasiadas vezes aceite pela humanidade como um "sinal" do que traz o futuro... balelas!

quinta-feira, outubro 01, 2009

sinal

Um sinal é uma informação gráfica ou simbólica. Essa informação pode ser apenas isso mesmo, apenas uma informação, ou pode ser uma informação limitativa do comportamento, isto é o caso em que a informação seja de proibição ou obrigação.

quarta-feira, setembro 30, 2009

for the greater good of god?



Please tell me what life is
Please tell me what love is
Well tell me now what war is
Again tell me what life is

sábado, setembro 26, 2009

tremor de terra

Há sempre um espalha brasas... sempre! Não adianta que todos se conheçam numa "comunidade", impreterivelmente vai acabar por surgir um desses espalha brasas.
O ambiente era de algum desnorte, o criador não estava presente, e dos que se sentam à direita do criador um deles andava desaparecido... momento de fraqueza, e entra o espalha brasas em cena! E em menos de dois meses armou reboliço e confusão, semeou tempestades e... conseguiu tornar o que até era um "sítio" pacífico, num imenso caos de palavras atiradas em diversas direcções... pretensões a administrador... será?

contraste

Sujeito de fato e gravata, senta-se a meu lado após terminar uma conversa telefónica feita a partir de um telemóvel topo de gama, materializa à sua frente um computador portátil (um daqueles de colo, um netbook), uma pen de armazenamento de elevada capacidade e uma outra pen para efectuar a ligação à net...
Tudo bem! Estamos na era da tecnologia, é perfeitamente banal este tipo de episódios, mas, em contraste estava a transporte... o intercidades em económica?! É o chamado low budget travelling!

Quem vê fatos (sem cê) e gadgets não vê extractos bancários...

quarta-feira, setembro 23, 2009

ao anónimo do "post" anterior

O acto que considero "um bocadinho ridículo" no post anterior não tem nada a ver com a capacidade de se fazer qualquer coisa por Lisboa, porque aí, bem ou mal (e sem entrar nas questões financeiras, o que daria pano para mangas no que toca ao executivo do PSL, e a alguns que estão actualmente me funções, pois brincar com o dinheiro dos outros é demasiado fácil) o Santana Lopes ainda fez qualquer coisa visível (que é, infelizmente, o factor mais importante em Portugal, visto a necessidade de "zelar pelas aparências", as tais que iludem, uma expressão popular seguida à risca pelos "altos cargos").
No entanto, e parece que o anónimo não reparou nisso pois ficou visivelmente desconcertado por encontrar "ridículo" e "Pedro Santana Lopes" na mesma frase, eu não estou a falar da obra, estou a falar da ironia perfeitamente imbecil de entupir de viaturas um local onde o trânsito é proibido durante uma acção de pré-campanha, e, tendo eu presenciado inúmeras situações em que agentes da autoridade tiveram "chatices", e algumas bem sérias, devido à circulação não permitida naquele local de automóveis, não posso deixar de considerar o acto, no mínimo, "estúpido", mas como em tudo em Portugal, as leis apenas se aplicam a alguns, é a democracia social no seu melhor.

terça-feira, setembro 22, 2009

santana lopes e a ante-pré-campanha eleitoral

Não será só um bocadinho ridículo Pedro Santana Lopes aparecer na televisão a falar da necessidade das ciclovias em Lisboa, enquanto faz um passeio pelo Parque Florestal de Monsanto numa zona vedada, há anos, ao trânsito automóvel, e acabar por encher esse local tão sereno e pacato com dezenas de automóveis da sua comitiva e dos jornalistas que o seguiam?

quarta-feira, setembro 16, 2009

plágio? nã! inspiração!

Qualquer semelhança entre a publicidade ao SAPO Fibra...


... e o "The Hire - Star" é pura coincidência.



Deve ser a única coisa em que a Madonna entrou e que eu achei "bom"... e não estou a falar do carro!

sábado, setembro 12, 2009

boémices às 4 da manhã!



É isto a vida real
É isto apenas fantasia
Apanhado num deslizamento de terras
Sem fuga da realidade
Abre os teus olhos
Olha para os céus e vêêêêê
Eu sou apenas um rapaz pobre, eu preciso de nenhuma simpatia
Porque sou fácil vem, fácil vai
Um pouco alto, pouco baixo
Em qualquer direcção que o vem sopre
Não interessa realmente a mim, a mim
Mamã, acabei de matar um homem
Coloquei um arma contra a cabeça dele
Puxei o meu gatilho e agora ele está morto
Mamã, a vida acabou de começar
Mas agora fui e dei-te toda fora
Mamããããã oooooooooooh
Não queria fazer-te chorareeeeee
Se eu não estiver de volta a esta hora amanhã
Continuuuuuua, continuuuuua
Como se nada tivesse realmente importância
Tarde de mais, a minha hora chegou
Manda-me arrepios pela espinha abaixo
O corpo a doer a todo o tempo
Adeus a toda
Vou ter que ir
Tenho que deixar-vos a todos para trás e enfrentar a verdade
Mamããããã oooooooooooh
(em qualquer direcção que sopre o vento)
Eu não quero morrer
As vezes desejo nunca ter nascido de todo
Eu vejo uma pequena silhueta de um homem
Scaramouche Scaramouche
Vais fazer o fandango
Trovão e relâmpago, muito muito assustador para mim
Galileu Galileu
Galileu Galileu
Galileu Figaro
Magnífico
Sou apenas um rapaz pobre ninguém gosta de mim
Ele é apenas um rapaz pobre de uma pobre família
Poupem a vida dele a esta monstruosidade
Fácil vem fácil vai, vais deixar-me ir
Bismillah! Não, nós não vamos deixar-te ir
(deixa-o ir)
Bismillah! Não, nós não vamos deixar-te ir
(deixa-o ir)
Bismillah! Não, nós não vamos deixar-te ir
(deixa-o ir)
Não vamos deixar-te ir
Oooooooooo
Não não não não não não
Oh mamã minha, mamã minha
Mamã minha, deixa-me ir
Belzebu tem um demónio posto de parte para mim
Para mim
Para miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim
Então pensas que me podes pedrar-me e cuspir-me no meu olho
Então tu pensas que podes amar-me e deixar para morrer
Ooooooh bebé
Não podes fazer-me isto bebé
Apenas tenho que sair
Apenas tenho que sair certo daqui
Oh sim oh sim
Nada realmente importa
Qualquer um pode ver
Nada realmente importa
Nada realmente importa para miiiiiiiiiiiiim
Em qualquer direcção que o vento sopra

quinta-feira, setembro 10, 2009

palavra de ordem

O Chefe manda, é feito!
Outro manda... e manda-se falar com o Chefe.

quarta-feira, setembro 09, 2009

trovoada

Hoje o dia amanheceu aos soluços, havia pontuais clarões de luz que tentavam incessantemente substituir o astro principal.
Enquanto eu ia alegremente (e "arrepiadamente" a cada clarão) para o trabalho admirando o espectáculo de luz e cor, a grande maioria das pessoas com quem me cruzei confidenciava que (como será possível?) têm medo da trovoada.
Depois de já ter perdido a conta as pessoas que me chamaram, esquisito, estranho, doido e outros sinónimos que indicavam um qualquer estado de problema mental, decidi responder!
Tinha três pessoas presentes, duas delas mulheres (ambas empregadas do café onde tomei o pequeno-almoço), sendo que a terceira era um colega de trabalho (ou como pomposamente se diz hoje em dia, um "colaborador"). A resposta consistiu na apresentação de dois argumentos simples...

- As pessoas têm medo da trovoada quando a probabilidade de morrer num acidente de automóvel é muito mais elevada, e não se vê ninguém na rua aos gritos histéricos quando passa um automóvel.
- As pessoas têm medo do estrondoso som do trovão, quando realmente a descarga eléctrica está no relâmpago.

Continuaram a afirmar que eu era diferente por racionalizar e raciocinar... enfim!
Toda esta conversa levou-me a concluir que milénios de evolução para que a espécie humana tivesse a capacidade para descobrir o que eram as estrelas, para conseguir perscrutar a língua em que se escreve as características dos seres vivos, e no entanto, a humanidade continua a comportar-se como o meu cão... tem medo do barulho de um jornal, independentemente do facto de lhe causar dor física ou não.

terça-feira, setembro 08, 2009

gesto

Um dos gestos mais perturbantes, e no entanto mais agradáveis, de uma relação é o de ter uma cabeça encostada ao ombro.
Certo, até pode ser uma coisa meio pateta da minha parte, mas realmente sempre me soube bem esse gesto, em particular quando vou a conduzir... é como se o mundo fosse perfeito naquele instante...

Estás a precisar de terapia! Dizem que há uma casinha cor de rosa na Av. do Brasil que tem solução para isso, qualquer coisa a ver com choques eléctricos. Coisa peganhenta!

... um arrago entre o terno e perigoso, usualmente correspondido com um sorriso e uma ou outra palavra, de olhar atento ao caminho e em velocidade decrescente... que esse instante, quer-se longo...

mais um envelope

O banco deve certamente considerar-me um tipo à maneira... tanta é a correspondência que me envia, aliás, são os únicos que me escrevem sem ser necessariamente para pagar! Claro que "os tipos do banco" nunca me dão nada, mas eu gosto de me sentir, ainda que de uma forma pateticamente insignificante, importante. Afinal de contas é com o meu dinheiro que eles ficam ricos, é com o meu dinheiro que os funcionários do banco fazem vida...
Mas esta carta não trazia apelos à compra, também não trazia nenhum apelo ao crédito, nem sequer trazia ofertas a um qualquer serviço por eles posto à disposição, nada disso, e isso é o que é belo nesta carta, é a carta onde vem a actualização da prestação da casa, que é como quem diz, vai sobrar um pouquinho menos de mês no final do ordenado! Estou contente... satisfeito, vá, tivesse o almoço não sido favas e até poderia dizer que estava feliz.

segunda-feira, setembro 07, 2009

grande lata

[mode voz de coitadinho on]
- Tu é que me podias desenrascar... emprestavas-me o teu burro (ler "carro") para não ter que passar aqui a noite...
[mode voz de coitadinho off]
[mode politicamente correcto on]
- O carro não tem suspensão nem pneus em condições, não quero que te mates.
[mode politicamente correcto off]

Resposta correcta: Onde foi que deduziste que tinhas confiança comigo, e eu contigo, para me pedires emprestado um automóvel? Ainda por cima quando nem carta válida tens?

domingo, setembro 06, 2009

foi-se!

Tinha uma ideia para um texto fenomenal... mas com o desenrolar do dia, perdeu-se a ideia... acho que vou começar a andar com um bloco de notas (de 500 de preferência!).

não gosto de "bófias"!

Engraçado, os "bófias" também não gostam de fedelhos mal-educados que tem a mania que são "durões", não gostas, deixa na borda do prato... e já agora TIRA AS PATAS DE CIMA DO CAPOT!

sexta-feira, setembro 04, 2009

esférico na praia

Nunca tive aptidão para jogar à bola, não tinha em terreno adequado, e muito menos tenho em areia!
A praia, por sua vez, é um local onde... espantem-se... há areia! Muita! Correr é virtualmente impossível e trincar areia é quase uma obrigação, mas ainda assim acedi.
Enquanto fazia uma demonstração de como joga uma pessoa com dois pés esquerdos e ambos destros, as fífias e falhas contribuíram para a animação... e a bola foi parar à terra de ninguém quando um casal passava naquela zona... o homem, que vinha lado a lado com a mulher, começou a andar mais ligeiro deixando a mulher para trás, só para puder dar um chuto numa bola.

Concluí o meu raciocínio, quando já cansado (cinco minutos mais tarde), e já junto dos restantes jogadores, comentei com eles o sucedido. Podes tirar o homem à bola, mas não consegues tirar a bola do homem!
Enquanto são fedelhos pensam que vão ser o maior jogador do mundo (um qualquer, que as modas passam depressa), mais tarde jogam para manter a forma (redonda, a da barriga), mais tarde ainda, quando vêem uma bola, são incapazes de resistir a dar-lhe um pontapé como se de um íman se tratasse, um íman que os atrai de volta ao tempo de criança deixando-os de sorriso nos lábios que levam areia fora quando voltam ao lado da mulher que os acompanha.

Posso perceber por observação, mas não me parece que alguma vez vá sentir essa atracção "esferiforme".

domingo, agosto 30, 2009

bateram-lhe?

Estava eu a cumprir as obrigações "canídeas nocturnas" e comecei a ouvir um berreiro. Alguém deveria estar a ser agredido violentamente pois a berraria continuava! Liguei para a esquadra e nos instantes em que o telefone do lado de lá tocava, apercebi-me que as palavras formavam frases... ahhhhh! O polícia atendeu e eu tive que explicar a razão da chamada telefónica... o que originalmente parecia uma violenta agressão era alguém que estava a tentar fazer qualquer coisa que remotamente se assemelharia a cantar... até o cão gania e uivava de dor nos tímpanos... pobres dos vizinhos mais próximos... era uma noite de karaoke!

não foi mau dia, foi só um dia complicadinho!

Quando tudo parece cair-me das mãos pela manhã (e não, não há uma razão clínica para tal, e mesmo uma questão gravitacional) é o aviso da "mãe natureza" que informa HOJE VAIS TER UM DIA... DAQUELES!
Hoje, foi um desses. Começou com coisas a serem atraídas para o chão, tais como o lençol, os pés, as meias, a seguir os sapatos, seguiram-se as moedas, estas, para além de irem para o chão decidiram brincar às escondidas comigo fugindo alegremente nas mais variadas direcções para se ocultarem nos mais variados lugares recônditos do meu quarto.
Não deixei cair o café, nem o pão, nem a pasta de dentes, não deixei cair as chaves de casa, nem do carro, nem sequer havia trânsito... se calhar foi só um pequeno "lembrete"... pffffffffffffffffffffff! Merd...!

E isto foi só o princípio...

sindrome

"A minha pilinha é maior que a tua!"

Compilar um vídeo de quase oito minutos para disponibilizar no youtube em que a acção é a do percurso que liga o trabalho à habitação nos subúrbios de Lisboa ao volante de um carro grande, em que se conduz com gestos "abichanados" para dar estilo, em que se anda pelo meio do trânsito a mudar de faixa para a esquerda e para a direita sem sinalizar a manobra, em que não se respeita traços contínuos no pavimento, em que, até nas auto-estradas, se ultrapassa pela direita, em que se faz rotundas com os pneus a chiar, é mesmo coisa de quem tem necessidade de salientar com alguma coisa!

sábado, agosto 29, 2009

ciúmes

Conheço alguém, um homem, que tem uma casa linda e três mulheres em casa, a mulher com quem casou e duas filhas lindas e simpáticas, para além disso tem uma garagem recheada de máquinas mais ou menos antigas... dado o actual estado de "o sexo faz o mundo girar" a única razão para esta mulher ter ciúmes serão as máquinas na garagem! Pois certamente aquele homem não terá tempo para andar a olhar seja para quem for... menos uma dor de cabeça para ela.

quarta-feira, agosto 26, 2009

aniversário

50 anos de latas de sardinha inglesas com produção de baixo custo e sem luxos... nada mau! Eis o antepassado directo dos tupperwares, a lancheira! Perdão! O Mini! Sir Mini! :-P

Página interessante sobre o Mini aqui.

domingo, agosto 23, 2009

cavalgadura!

São rápidos, talentosos e trabalhadores. Por causa da sua natureza independente, recusam escutar o conselho dos outros.

O cavalo nasce sob o signo da elegância e do zelo. Todos os nativos deste signo tendem a ter muito charme na sua forma de aproximação o que os torna muito populares. O cavalo é também um individuo muito social, tirando prazer em participar em festas e outros recolhimentos sociais. Têm qualidades fortes de liderança e gostam de estar na ribalta. Tendem também a ser eloquentes e persuasivos e a ter um grande amor para discussões ou debates.

Eles também gostam de ter um determinado grau de liberdade escolhendo não serem limitado por regras da sociedade e regulamentos. Gostam de sentir que não são criados de ninguém a não ser deles próprios. Mas apesar deste sentido de liberdade, o cavalo gosta de se sentir apoiado e incentivado pelos outros.

Devido aos seus muitos talentos e natureza amistosa, o cavalo irá longe na vida. Apreciam desafios e são trabalhadores incansáveis e metódicos. O sucesso significa tudo para o cavalo. Assim se não conseguir atingir os seus objectivos, o cavalo leva um longo tempo para recuperar das sua falhas e fica terrivelmente humilhado.

O cavalo presta muita atenção à sua aparência por isso são muito atractivos para o sexo oposto. Tendem a ter muitos romances antes de assentarem com um compromisso mais sério, mas uma vez que encontram a sua alma gémea, são muito protectores e leais.

Por um lado, o cavalo pode ser um tanto teimoso e egocêntrico, no entanto tem também uma natureza disposta frequentemente a ajudar os outros. Exibem um grande sentido de humor e causam geralmente boa impressão onde quer que vão. Contudo têm uma temperamento impetuoso e embora não se exaltem com frequência, dizem geralmente coisas que lamentam mais tarde. Um cavalo não é particularmente bom em manter segredos.

O homem cavalo é distintivamente masculino - não há nenhuma possibilidade de o confundir com uma outra pessoa, mesmo quando está de cabelo longo e de túnica indiana estilo os hippies. É proeminentemente muscular e cabeludo, em especial nos braços. Poucos homens apresentam este tipo: Tem uma barba forte e pelos densos na maior parte do seu corpo.

As mulheres, ou pelo menos as mais femininas, acham-no frequentemente atractivo e com uma aparência física impressionante. O seu andar tem alguma elegância associada com o desporto. De maneira franca e aberta, de movimentos rápidos, gestos decididos e vigorosos. Indica muita auto-confiança e sente-se como em casa a todo o lado que vá. Tem um ar inegável de saúde e robustez.

Este signo é comandado pela estatura, com um perfil bem constituído, alto, e atlético. De ombros largos, de peito forte, pernas poderosas e raramente longas. Alguns cavalos pertencem à categoria dos baixos; neste caso começam quase sempre a beber cerveja de malte e por volta dos cinquenta anos aparece a barriguinha saliente , como era o caso de Nikita Khrushchev. O homem do cavalo tem uma cara um tanto quadrada devido às suas maxilas estarem projectadas. As suas características, não são muito regulares, fazem um contraste impressionante com o nariz fino, recto e aristocrático. A testa é visível para sua largura e é limitada por alguns cabelos que testemunham o seu temperamento diferente. Os olhos são muito brilhantes e vivos com um certo ar malicioso. A boca, já grande, parece ser um grande destilador devido aos seus bordos cheios e carnudos. As pessoas em torno dele não poderiam deixar de notar a sua presença por causa da sua voz de comando e das suas estrondosas gargalhadas.


Não acredites em tudo o que lês!

sexta-feira, agosto 21, 2009

verdades

Em geral uma história tem duas verdades, a verdade do sujeito A e a verdade do sujeito B, ambos intervenientes na história, e que por sua vez, pelas mais variadas razões, acabam por distorcer a verdadeira verdade para o seu lado.
Isto é verdade quando a situação se passa entre duas pessoas, quando os sujeitos envolvidos são entidades, as verdades são mais! Pelo menos tantas verdades quantos os documentos que tenha que entregar para avaliação, e nenhum desses documentos terá os dados verdadeiros!
Digamos que, a público vem um valor, o valor para estatística será cerca do dobro e mais uns trocos, o valor real... bem! O valor real será qualquer coisa como 5 vezes o valor público... numa razão inversamente proporcional aos gastos para uma obra pública, valor total cinco vezes superior ao necessário para a realização da obra.

terça-feira, agosto 18, 2009

dia

Acordar tarde, sair de manhã apenas para ajustar um fato, almoçar uma especialidade de outro país, conduzir um veículo de alta cilindrada por capricho a seguir ao almoço para de seguida ir dar uma volta a cavalo de algumas horas, jantar com companhia ao ar livre, fazer um pouco de todo o terreno, servirem-me um café no ponto mais alto de uma serra, devolver o jipe ao proprietário para regressar para casa pois tinha o carro à espera... um dia perfeito! Se não fosse tudo trabalho...

segunda-feira, agosto 10, 2009

ministério público

Já fazia uma semana que não comunicava ao Ministério Público, achei, possivelmente fui imbecil neste meu pensamento, que deveria querer um pouco de sossego, tal era o volume de escrita que diariamente lhe enviava para leitura, apreciação e despacho, o tal comentário à margem que se recebe, lê e apre(e)nde de forma a que as coisas corram sobre carris... pois percebi mal! :\
Afinal no mais recente "Grande Despacho Tributário" consta que "também" há margem de manobra... texto adequado para cardíacos, sem dúvida!

sábado, agosto 08, 2009

não são muitos

Por uma conjugação de factores aleatórios, uma grande parte das pessoas que conheço faz anos nos meses de Verão, e como é de esperar há jantares e serões em que grupos se juntam e... começam a falar de episódios caricatos que se passaram.
Dessas conversas, posso concluir que, ter 30 anos, faz com que se perda a noção de tempo, tudo parece ter-se passado recentemente, mas quando se faz contas, é fácil de conseguir encaixar as situações há dez anos atrás. E quando se comenta sobre amigos e conhecidos que há muito não encontramos, que alguém viu recentemente, estão todos a começar a engordar!
Ter 30 anos, apesar do número ter uma dimensão "preocupante", dá uma sensação de "experiência", já não se é obrigado a ouvir constantemente comentários sobre ter vinte anos, e ainda não se é olhado como estando a "meio caminho" de "velho". Não se é, nem carne, nem peixe... é-se marisco!

quarta-feira, julho 29, 2009

aftermath

Guiei. Conduzi para lá do limite do aceitável, para lá do limite físico, o que viesse primeiro, o meu ou o da máquina. Conduzi para lá do rabo dormente, do formigueiro na perna direita, para lá das dores de costas, para além de não conseguir encontrar qualquer posição confortável ao volante. Guiei até estar farto, até não ter réstia de paciência para com quem circulava, até o cd do leitor se ter repetido não sei quantas vezes, passei a fase da fome, passei a fase da sede, e continuei sempre em frente abandonando Lisboa... Samora Correia, Benavente, Santarém, Rio Maior, Gaeiras, Óbidos, Serra d'El Rei, Lourinhã, Torres Vedras, Ericeira, Terrugem, Queluz de Baixo, e já de noite Santo Amaro, daí segui para casa... não há petróleo que chegue, não há estrada longa o suficiente que me tire esta neura, porque o que realmente me fode é a falta de consideração!


segunda-feira, julho 27, 2009

sexta-feira, julho 17, 2009

psicoiso

Nunca fui a um psicólogo. Verdade! Já me disseram que deveria ir pelas mais diversas razões, basicamente, por tudo e por nada, e particularizando, pelo desaparecimento de um amigo.
Nunca fui! Sempre achei que essa coisa de me deitar num sofá (ou lá como chamam àquela peça de mobiliário) e falar era o equivalente médico ao acto religioso da confissão, e como tal, igualmente desprovido de sentido.
Na minha opinião, tanto a confissão como uma consulta no psicólogo, servem para "falar" de coisas que sabemos à priori que estão mal, falamos dos pecados, ou dos problemas que nos "afligem". Se se identifica um pecado (digno de confissão) como sendo "algo errado que foi feito" pois o ser humano comum tem noção do "certo ou errado", no foro psicológico, também se sabe instintivamente que tipo de comportamentos são positivos ou negativos para o indivíduo (não me venham com as "causas" porque a causa é sempre a mesma: os "progenitores").
Não quero com isto dizer que os psicólogos merecem a forca por estarem a aproveitar uma sociedade que é incapaz de resolver os seus próprios problemas, transpor as dificuldades do seu dia-a-dia, de parar uns minutos para pensar numa solução, ou até incapaz de olhar para o lado e ver que situações piores acontecem e que essas pessoas que as passam resistem, eu até acho que os psicólogos são indivíduos muito inteligentes... sabem muito bem aproveitar as fraquezas dos restantes elementos da sociedade (e também sabem muita coisa capaz de influenciar o comportamento humano).
E não, eu nunca tive uma consulta de psicologia, e se deus quiser nunca hei-de ir a um psicólogo, mas admito que fiquei na dúvida se o café foi com uma mulher ou com uma psicóloga.

incompetência

- Olhe preciso de umas molas de fixação para uns plásticos.
- Eh pá, mas aqui não aparece quantas molas são necessárias...
Email para a Alemanha, para o tipo que me vendeu "os plásticos" que atenciosamente se dignou a contabilizar todas as molas, grampos, rebites e casquilhos de borracha necessários para a fixação dos ditos "plásticos", no dia seguinte, voltei à loja "das peças".
- Preciso de 14 destas, dez destas, duas destas, uma mão cheia daquelas e do parafuso da polia da bomba do óleo.
- Certo, vou fazer a encomenda e assim que chegar, eu telefono-lhe.
Quase duas semanas depois voltei ao mesmo local...
- Ficaram de me telefonar por causa de uma encomenda, estava aqui perto e decidi passar por cá a saber se já têm cá alguma coisa.
Papéis para a frente, papéis para trás, visita ao armazém e... nada!
- Há quanto tempo foi isso?
- Uma semana a 15 dias.
- Não tenho cá nada...

E voltamos ao início... os números para encomendar... "parece-me" que acabaram de perder um cliente.
Será que o meu dinheiro vale menos do que o dos tipos que tem automóveis mais recentes?

sábado, julho 11, 2009

já enjoa

Já está para ali um ser-vivente-de-condição-duvidosa a manhã inteira a ouvir Michael Jackson... provavelmente um daqueles cd's de tributo ao artista morto que vem de oferta numa qualquer revista com festas de pseudo-famosos. Ok, o tipo teve uma década de relevo, a de 80, mas lá porque decidiu fazer uma última operação, esticar o pernil, e porque foi reciclado pela lego para que possa continuar a brincar com criancinhas, não quer dizer que seja obrigado a ouvi-lo!
Como paga por esta constante intrusão nos meus tímpanos, nada melhor que fazer concorrência desleal em decibéis!


sexta-feira, julho 10, 2009

fichinhas

Será que existem fichinhas que ajudam a conceber/criar uma criança?

domingo, julho 05, 2009

dúvida

O facto de colocarem frases ditas por mim no perfil do msn, lado a lado com frases de figuras importantes da história e da cultura geral, faz de mim um pessoa mais importante?

sábado, julho 04, 2009

1º esquerdo

É aí que vive a dona Celeste. Uma velhota de 80 e qualquer coisa anos, simpática e com ar terno de avó.
Devido à idade, e a um percalço que teve numa perna, a "vizinha do 1º" (como a tratava quando era mais novo por nunca me lembrar do nome), anda devagar e sempre acompanhada por uma bengala. Muitas já foram as vezes que esperei por ela à porta do prédio quando a vejo a regressar a casa, quase sempre vindo do supermercado, e por isso, por um gesto tão simples como é "esperar" (digo-lhe sempre que "não tenho pressa", mesmo que a tenha), já ganhei um lugar especial no coração da dona Celeste, que ela faz constantemente questão de demonstrar quando me deseja sentida "saúde" e quando me diz que sou um "simpático".

a composição de uma orquestra...

quarta-feira, julho 01, 2009

sindicatos

A palavra sindicato lembra-me sempre máfia. E basicamente, reduzindo à ínfima parte, um sindicato é uma máfia. Uma máfia que explora o trabalhador ao retirar-lhe ao seu salário uma percentagem, uma máfia que partilha dos interesses dos patrões, e uma máfia pelos calendários das greves sempre coincidentes com "sexta-feira", que dá um jeitão para ir ao Algarve passar o fim-de-semana.
Não gosto de sindicatos! Não sou sindicalizado, nem tenciono alguma vez resolver seja que problema for com a ajuda de tal organismo que se movimenta nas sombras e que em vez de zelar pelos interesses dos trabalhadores, essa tão grande e nobre frase usada pelos comunistas, prefere arranjar subterfúgios legais para os penalizar. O nome mais simpático que lhes consigo atribuir é corja!

quinta-feira, junho 25, 2009

mais publicidade...

Para que diabo serve um desbloqueador de conversa numa casa-de-banho pública para com um desconhecido?
Devem ser efeitos secundários do artigo da "Visão" sobre a sexualidade dos portugueses...

montepio e o mealheiro

A primeira vez que ouvi o anúncio na rádio, comecei por pensar "mais uns engraçadinhos a querer fazer o pessoal passar por novos-velhos"... devo dizer que consoante o anúncio ia decorrendo ia sorrindo com alguns pormenores como o load aspas aspas e o mealheiro montepio... a primeira fechadura que "arrombei".

sexta-feira, junho 19, 2009

Havia encontrado pessoas que há muito não via. Falando dos disparates cometidos nesses tempos idos, as histórias em que diziam ter participado não coincidia com as que me lembrava (curioso era enquanto contavam ia vivendo as histórias que não tinham acontecido).
Algo farto daquele deturpar da realidade, despedi-me dos presentes com mau génio! Alguém que passava perguntou-me se precisava se precisava de ajuda para meter as coisas no lugar, o tipo tinha aspecto de segurança, e eu lá queria saber das memórias erradas de um punhado de patetas!
Larguei algo junto a um muro, aparentemente seriam dois varões de madeira, e caminhei em direcção à areia, estava junto à praia e o clima era perfeito, pessoas passavam em diversas direcções, mas uma consegui reconhecer, caminhava de mão dada com um homem que não conhecia, uma simpática senhora que não vejo há anos e que me agradou saber que estava bem. Sorri satisfeito olhando as ondas, pensei em alguém que me apertou o peito, uma imensa saudade, um imenso sentimento que me queria noutro local junto a alguém.
Anoitecia devagar... vou! E a correr!

É a primeira vez que me recordo de correr sem fazer esforço...

terça-feira, junho 09, 2009

noite

O dia tinha começado bem. Cumpri as minhas obrigações eleitorais, encontrei-me com o pessoal dos domingos de manhã, desta vez não para um pequeno almoço, mas para um almoço junto da natureza.
O dia continuou a correr bem. No trabalho houve uma pequena surpresa, mas nada que pudesse estragar o cômputo geral, combinei passar um "fim-de-semana" fora... perfeito! E ainda tive a oportunidade de comer caracóis!
Nada, nada mesmo poderia alterar um dia assim, tão agradavelmente bom!
Saí do prédio para uma rua mergulhada numa noite fresca, não havia nada em que tivesse necessidade de resolver, nada que me fosse um peso, naquele momento nada me preocupava... tirei do bolso a fita azul, e completamente desligado do mundo, levanto a cabeça...
Naquela rua não havia movimento para além da fita que baloiçava, nem mesmo meu, pois eu quedei-me olhando... olhavam-me de volta dois pares de círculos desafiadores como que dizendo-me "Hoje vamos passear aonde?"... fiquei admirando-a, pensando na idade, na minha e na dela, de como nos encontramos, de como nunca pensei ter a sua companhia... sentia um misto de satisfação e orgulho.
Entrei, sentei-me, animei a máquina e fui para casa... isto lá é uma história de amor com a Meg Ryan!

sábado, junho 06, 2009

campanha eleitoral

"Tenho 20 anos, e este ano voto na candidata X para o parlamento europeu porque... " - este ano? Este ano?! Nunca votaste na tua vida! Mais uma apoiante que pensa saber o que diz... quando o que sabe na realidade é ler.

terça-feira, maio 26, 2009

viagens ambientais

Fiz uma viagem de 300 quilómetros (isto é uma frase feita tirada de um pacote de açúcar) e, como cidadão preocupado com o ambiente, optei por um transporte eléctrico, mais dispendioso que a versão "petroleodependente", mas também imensamente mais confortável (desde que possa mexer as pernas quando bem me apetecer, já vale bem a diferença que é pedida)... no entanto, e não há bela sem senão, é uma pena, porque não há outra palavra que se aplique, é uma pena que os horários não sejam cumpridos.
É que o meu Alfa Pendular de design italiano, que vai tão bem comigo, teima em atrasar-se sempre que sai da estação inicial 30 minutos após a saída de um intercidades! Na sua superior engenharia o pendular acaba por apanhar a composição anterior e depois... sujeita-se a ficar retido nas estações até que a lesma que o precede se despache.

Nota aos senhores da CP: ou arranjam forma de o Pendular conseguir ultrapassar aquele insulto à performance e à pontualidade, ou então, corrijam os horários de forma a não acontecer a mesma situação sistematicamente.

sábado, maio 23, 2009

discussões

Geralmente originadas por diferentes pontos de vista o resultado pode ser mais ou menos harmonioso... no meu caso, quando discuto é porque acredito, ou sei, que as coisas são realmente assim. Se ateimo e afirmo e insisto é porque acredito no que estou a dizer! E fico pior que fodido quando me dizem que estou errado quando o que dizem é uma ilegalidade, para além de uma imensa estupidez!

segunda-feira, maio 11, 2009

preço em dinheiro

É comum dizerem que o dinheiro não traz felicidade (mas ajuda bastante) e que o dinheiro não compra tudo...
Para esta segunda afirmação há um outro dizer popular que diz: Todo o homem tem um preço.

Não creio que se refiram a "preço", como noutros tempos em que seres humanos eram usados como mercadoria por outros seres humanos, mas numa vertente igualmente sombria que implica a quebra regras e o cumprimento de penas acentuadas.
Não houve conversa sobre valores, mas nada que eles pudessem pagar, ali naquele momento, teria qualquer efeito... ou eles eram demasiado pobres, ou o meu preço não é assim tão baixo.

suborno

A prática de prometer, oferecer ou pagar a uma autoridade, governante, funcionário público ou profissional da iniciativa privada qualquer quantidade de dinheiro ou quaisquer outros favores para que a pessoa em questão deixe de se portar eticamente com seus deveres profissionais.

sábado, maio 09, 2009

descubra os erros

O preço das viagens não é 0€ (zero) como anuncia o placard impresso na lona, e, pior que isso, estando isto junto de uma estação de comboios (é uma estação "multi-modal") como é que raio não deram conta do símbolo da CP virado ao contrário?!
E pensar que nos rodapés dos emails vem escrito "poupe no papel e na impressora, não imprima sem necessidade"... o erro era uma necessidade?

quinta-feira, maio 07, 2009

chocolate

Misto de desconhecimento e dúvida, o chocolate é... algo. Não é feito com isto ou com aquilo, simplesmente é! O chocolate tem apenas uma obrigação, a de ser comido, caso contrário perderia o toda a razão da existência, ser, ser e ser comido!
As partidas são como o chocolate, feitas com uma finalidade, mas compostas de coisa alguma. Parte-se pelo sim da obrigação, deixa-se para trás o que não se deve... faz-se o que não se devia, e deixa-se por materializar em palavras uma pergunta.
Rai's parta o chocolate, a cafeína e a bolacha maria! Vou-me destas férias! Nem mal, nem bem, apenas com a sensação de que poderia ter sido (muito) melhor.

quarta-feira, maio 06, 2009

desalento

Às vezes os motivos numa justificação não são os que gostava de ouvir... por vezes as palavras certas para mim não eram aquelas...

segunda-feira, maio 04, 2009

curvas

A grande maioria das pessoas estaria de acordo comigo quando digo que "as curvas são atraentes"... neste caso, falo de curvas femininas, mas certamente que as mulheres também tem "curvas masculinas" para apreciar (nomeadamente a barriga).
Gostaria realmente de saber qual a razão pela qual as curvas de que falo terem tanto impacto, cativarem tanto a atenção... são atraentes, são carregadas de uma carga sensual imensa! E ninguém sabe explorar melhor essa atracção que os estilistas quando desenham (ou devo dizer projectam?) roupa para acompanhar, e até, potenciar esse efeito cativante intrínseco... esses tipos que fazem roupa nunca na vida passaram a ferro uma camisa de mulher, pois não? É coisa complicadinha!

domingo, maio 03, 2009

memória

Lembraste da conversa dos tectos? Da tia nórdica bem disposta que fazia a sobrinha rir e lhe oferecia tectos no seguimento de uma piada com cavalos... lembraste?
Agora ofereço-te eu uma janela no tecto, na tua cidade, que agora é o centro do mundo (agora quase que ficava bem dizer "do meu mundo", mas isso é piroso).
Bah! Que interessa! É importante saber a história, mas mais importante ainda é saber viver e construir a própria história!

sábado, maio 02, 2009

bimby

A adorada da dona de casa emancipada do século XXI... faz desde as caipirinhas até aos bolinhos. Já não há desculpas para não saber cozinhar! :P

sexta-feira, maio 01, 2009

15 anos




A memória do homem que levava no bolso a bandeira austríaca para dedicar a vitória naquela corrida de dia 1 de Maio a um piloto que no dia antes havia falecido pode até estar a perder a cor... pode até, 15 anos volvidos, estar quase só lembrada e escrita num livro onde o seu nome figura 3 vezes, nos anos de 1988, 1990 e 1991.
Rápido, implacável e calculista... tal como ele, o tempo esfuma a memória tirando-lhe a cor e a nitidez. Ao fim de 15 anos, é assim que o lembro...


À chuva em Portugal... que dia!

ponto final

O meu tempo aqui chegou ao fim. Não aqui no tdi, mas antes aqui onde estou sentado a colocar este texto. Sou da opinião que todas as coisas tem a sua razão de ser, e os seus tempos, e de igual forma, há um tempo e uma razão para acabar.
Já havia colocado uma data para este fim, Agosto de 2010, porque me parecia uma boa altura, já bem dentro da minha década dos 30, dava-me todo o tempo de preparação que necessitaria para arrumar a trouxa e... partir!
Lamentavelmente a situação foi-se, e vai-se, degradando, as opiniões divergem, os comportamentos de pessoas que deveriam ser mais que conhecidas tornam-se desconhecidos, a liberdade de uns começa a tropeçar na liberdade dos outros, a discórdia vai-se instalando, o ambiente vai-se tornando cinzento, e as palavras começam a rarear... a altura, do fim anunciado, é agora... temo que o espaço temporal compreendido entre o instante em que escrevo estas linhas e a data que havia marcado, se torne numa morte lenta e agonizante de algo que até há três semanas tinha toda a razão de ser... uma vida em comum... sem razão, perdeu a razão de ser...
Resta-me tão só, minimizar a bagagem, arrumar tudo, preparar as necessidades e, na data marcada...

terça-feira, abril 28, 2009

galinheiro

Chamaram-lhe galinheiro... porque não andava, porque é velho, e porque estava com mau aspecto... galinheiro... eu já nem respondo!


Alguém respondeu por mim - Os vossos com a idade daquele já foram para a reciclagem!

Reciclagem... é mesmo coisa de tupperware!

sábado, abril 25, 2009

liberdade

O 25 de Abril trouxe-nos a liberdade, e com ela um séquito de vampiros chupistas gordos sentados numa sala dizendo defenderem os interesses do povo, trouxe também regras e regulamentos e formas polidas para a polícia enfrentar a criminalidade de rua, trouxe tentativas de fazer esquecer a história com manifestações contra nomes de rua e museus e trouxe-nos ainda o jornalismo porco da tvi e do correio da manhã... liberdade a quanto obrigas!

sexta-feira, abril 24, 2009

32

Livra! T-r-i-n-t-a-e-d-o-i-s-a-n-o-s de casados? É obra!

quinta-feira, abril 09, 2009

divisão de fiscalização e polícia municipal...

... da Câmara Municipal de Odivelas.
Mais uma divisão de imbecis que se julgam idiotas capazes de inventar alguma coisa... oh triste sina!
Começo por uma questão de português, será que não há ninguém que saiba que "polícia" é uma palavra esdrúxula e, como tal, tem que ter acentuação gráfica?!
Segunda imbecilidade, e esta é daquelas que está contemplada na lei, é só ir procurar por "excesso de zelo", o pessoal da divisão de fiscalização, depois de ter sido publicado o decreto-lei nº124/2006 de 28 de Junho, referente à gestão de material combustível nos terrenos florestais, decidiu, no ano seguinte, ansiosos por apresentar trabalho (corre-me um nome para lhes chamar, mas estaria a insultar a progenitora dos "fiscais") sair do seu covil de máquina fotográfica em punho, e vai de percorrer as ruas municipais (ainda por alcatroar faz anos!) a tirar fotografias de todas as situações que lhes faziam cócegas (aos olhos da lei, claro), e vai daí, tudo o que era terreno teve direito ao seu expediente "contra-ordenacional"... identificam-se os proprietários pelas parcelas de terreno inscritas na matriz, o processo corre durante dois anos, os proprietários recebem as notificações e... asneira (para não dizer "cagada", ou pior)! Não é que o terreno nas fotos era o do lado? Tststststststs... cambada de imbecis incompetentes! Será possível que todas as vezes que aquela "inserir nome insultuoso que não me ocorre nenhum à altura" divisão (anteriormente era departamento, mas divisão é muito mais estiloso, dá ares de "corpo operacional") me aparece à frente é para fazer "cagada"? É que não acertam uma!!! Bando de "meninos mimados" que fazem birra quando contrariados... meus caros, os gráficos "bonitos" que vocês têm no vosso sítio na internet, os valores mais altos devem-nos ao meu sacrifício! Saiu-me do corpo! Vangloriem-se com eles, porque, depois da acusação que me fizeram... cada vez que vierem para o meu lado, só não vos humilho se não me deixarem!

A propósito, tanto quanto sei, está no mesmo decreto-lei, a câmara de odivelas é responsável pela gestão de combustível numa faixa não inferior a 10 metros para ambos os lados da rede viária dentro da sua área de jurisdição... ora, se é a própria câmara que não cumpre, que moral pode ter para vir desassossegar um cidadão?

sexta-feira, abril 03, 2009

mudanças

Em vez de mudar de blogue fechando o tdi, porque não mudar o blogue?
Nova casa do tdi! Desculpem a desarrumação, mas ainda estou a desempacotar as tralhas...

Que iria perder os links para cá eu já sabia... não sabia era que iria perder os links dos blogues que eu visitava :(

quinta-feira, abril 02, 2009

pelos vistos parece que não



... You're getting me hot, Cherie

I want what you've got all over me.
Isn't my love, strong enough...

terça-feira, março 24, 2009

valha-me!

Pior do que continuar a ouvir discussões sobre um jogo de futebol do passado sábado, é ouvir uma discussão sobre futebol em crioulo... é que se eu já percebo pouco de futebol, assim nem as palavras percebo!

sábado, março 21, 2009

segurex

Numa feira deste tipo, onde as forças de segurança e de emergência enchem o peito e mostram as penas de pavão ao "povo", posso imaginar uma situação... a do assaltante mais desafortunado do mundo!
Entrar de cara tapada disparando um tiro para o ar com a caçadeira... pum!... e, psp, goe, gnr, gips, sepna, bt, cinotécnicos, pf, sef, e os outros de que não me lembro, cair-lhe-iam em cima mortinhos por fazer a detenção, no meio da confusão, o pessoal da ana (os dos aeroportos) teria de usar os jactos de água para afastar a multidão de cima do pobre assantante, que por esta altura, estaria, no mínimo amarrotado (e mordido dos cães), bombeiros e inem acorreriam ao local (mesmo ali ao lado) e tratavam de imobilizar o pobre desgraçado com coletes, colares, fitas, planos rígidos e afins, e para arrumar o trabalho, os serviços prisionais, tratariam de o arrecadar logo de seguida (também estavam mesmo ao lado do pessoal da emergência médica)... havia de ser bonito!
De quem seria a detenção?... Pessoalmente acho que deveria ser atribuida aos representantes do stand mais próximo à entrada do assaltante em cena... era justo, sempre teriam sido esses os primeiros a dar-lhe umas palm... errr... uns mimos! Eu queria dizer "uns mimos"... assobia!

sexta-feira, março 13, 2009

gran torino

Tudo gira à volta dele...
Simples, limpo, sem artimanhas nem subterfúgios, nem perdas de tempo, gostei bastante do filme. Não lhe deram Óscares... nunca dão aos filmes que eu acho realmente bons!
Gran Torino, é um filme com história e com sentido, coisa que há muito se perdeu para as bandas de hollywood.

quinta-feira, março 12, 2009

fóruns

Participo activamente num fórum que tem como temática um assunto (muito) do meu agrado.
Foi por mero acaso que o descobri, encontrava-me numa situação nova, e decidi procurar... Ena! Um fórum exclusivamente dedicado... Olha! E com gente conhecida de outras paragens! Bem... conhecida de nome, de comentário, de boa disposição à distância, porque na realidade, poderia passar por essas pessoas na rua que não as conheceria.
Agora, volvidos quase dois anos após a minha apresentação (que faz parte das regras da casa), conheço a espinha dorsal daquele grupo, combinam-se saídas para breakfasts, saídas para concentrações, e até saídas para recolha e avaliação de dados para resolução de problemas, ou até para compra e transporte de peças... quase uma família. Mas como em todas as (boas) famílias, há desencontros e histórias paralelas à parte da questão central, vão-se conhecendo as pessoas, observando reacções, estudando carácteres... no fundo, são todos bons rapazes (e raparigas) à sua maneira, com sentido de humor, com uma gargalhada sempre pronta, com preocupação e com problemas, humanos atrás de ecrãs de computador que orbitam em torno de uma temática... só enquanto não têm oportunidade de sair e "beber umas mines".

segunda-feira, março 09, 2009

in prós e contras

Citação:
Isto não é uma crise. Crise era uma segunda guerra mundial, ou aliás, uma terceira. Se não pode comprar um bmw anda a pé, isso não é crise!

Finalmente alguém que vê esta "crise" como ela é, uma crise que só existe por tanto nela se falar e pelo oportunismo de alguns.

sábado, março 07, 2009

notícias

Tive a infelicidade de ouvir no telejornal duas notícias que me deixaram bastante agastado (diria mesmo "mal disposto visceralmente").
A primeira era sobre um padre, no mínimo estúpido (ou, muito possivelmente, em morte cerebral), que decidiu vir a público tomar uma posição, excomungou uma mulher que fez um aborto de gémeos e a equipa médica que o realizou... só se esqueceu de excomungar e repudiar o acto do pai, que era o padrasto da mesma! Pior quando a futura mãe tinha apenas 9 anos!!! Um padre destes, merece, na minha humilde opinião, ser ele próprio excomungado, para não dizer coisas piores (esta corja mete-me realmente nojo com as suas diareias cerebrais!).
A segunda, não foi melhor, falava de raptos de crianças na Guiné-Bissau... chocou-me... chocou-me muito mesmo, saber que existem crianças que são levadas das suas famílias, abusadas, violentadas, porque "apenas" querem aprender a ler e a escrever... ler e escrever, é algo de adquirido por estas bandas (mesmo se pessimamente), mas andamos nós "aqui" em greves, em guerras, em crises, em manifestações, embrulhados numa imensidão de coisas que me parecem agora tão infimamente pequenas... insignificantes...
Fico triste por saber que a humanidade é capaz de tais actos... sinto-me mal, como ser humano, por "ver" a maldade que é real... e cada vez mais valorizo a minha "vidinha" cheia de "problemazinhos de merda" que tenho. Sou um afortunado!

novo hóspede

Carinhosamente chamado "Rodas", ou "Rodinhas", porque meia leca ou três quinas eram nomes já em utilização.

sábado, fevereiro 28, 2009

teoria da escova de dentes

Objecto indispensável de todos os dias é também uma compania insubstituível nas viagens. Pessoal e intransmissível, qual título de transporte, está sempre presente nos fins-de-semana longe de casa.
Há já algum tempo que tenho, no local de destino mais usual, uma à minha espera para evitar esquecimentos e aquisições de emergência, coisa que nunca me aconteceu... até agora!
Afastei-me da rotina por dois dias e no regresso... a dita ficou lá... esquecida, dentro de um tão típico copo de pástico, junta, agarradinha, a uma outra escova de dentes verde...
Por agora já não posso propor "Queres juntar as escovas de dentes comigo?", pois a escova antecipou-se ao dono... talvez ela, a minha escova, queira juntar proprietários com a tal escova verde.

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

farmácias

Vi-me obrigado a visitar uma farmácia... não me lembro de alguma vez ter entrado num supermercado tipo farmácia, ou numa farmácia tipo supermercado... seja como for, não me agradou aquela mistura de conceitos.
Uma farmácia ainda tem aquele ar de comércio tradicional, em que, quem está atrás do balcão acaba por ser um ouvinte, quase um confidente, das necessidades que nos vão na alma, alguém que nos apresenta uma solução para o nosso problema e/ou é capaz de dar uma opinião sobre este produto em comparação com outro qualquer para o mesmo fim... deve ser por este ambiente de proximidade que era tão mais difícil comprar preservativos do que alka-seltzer's... mas agora até as farmácias se converteram! É entrar, escolher na prateleira, ir à caixa e pagar...se precisar de alguma coisa estamos abertos até à meia-noite... disseram-me com um sorriso de atendimento ao público enquanto arrumavam "as compras" num saquinho de papel (gente preocupada com a ecologia)...pensei, parece mesmo uma loja de conveniência!

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

pois...


Tinha que haver uma razão para serem dois!

terça-feira, fevereiro 17, 2009

josé luís esteves

É o nome de um formado em engenharia mecânica pela faculdade de engenharia da universidade do Porto que apareceu ontem no telejornal da rádio televisão portuguesa a ensinar métodos de economia de combustível ao volante de um toyota carina E...
Gostei de o ouvir falar na questão da aerodinâmica, em que disse que se deveria circular de vidros fechados, uma verdade, gostei de o ouvir dizer que se deve abastecer as viaturas quando a temperatura ambiente é mais baixa o que faz com que o combustível ocupe menos volume, outra verdade, mas admito que este senhor (não lhe chamo "engenheiro" pois não sei se estará inscrito na ordem dos engenheiros) licenciado em engenharia mecânica, conseguiu com uma frase destruir anos de evolução da indústia automóvel no que toca a injecção de combustível!
No meio de tanta coisa inteligente que disse, José Luís Esteves, teve a (falta de) inteligência de dizer que "nas descidas poupa-se combustível circulando em ponto-morto, pois não se perde velocidade"... pois, senhor licenciado em engenharia mecânica pela faculdade de engenharia da universidade do porto, eu, como mau aluno do instituto superior técnico, recomendo-lhe que se dedique a um pouco de história, e de seguida, a um pouco de estudo (sim, de estudo) no que toca aos sistemas de injecção actuais. Na eventualidade de alguma vez ler este texto, visto que não consegui encontrar o seu e-mail para lhe dar umas dicas sobre "quando ficar calado para não dizer disparates", aqui ficam as noções que lhe faltam:
Os últimos automóveis a carburador (uma peça complexa que deverá conhecer) foram vendidos, na Europa, em 1993, deste ano em diante os automóveis que apareciam no mercado eram todos eles equipados com injecção electrónica, recorrendo a um único injector para todos os cilindros (caso da ford) ou, com um injector por cilindro (caso da bmw).
A grande vantagem da injecção electrónica (para além de uma maior precisão no instante da entrada de combustível na câmara de combustão) é a economia de combustível... e esta é a parte que desconhece, se estiver a circular numa descida e NÃO DESENGATAR o automóvel, circulando com uma relação de caixa mais alta, o seu consumo instantâneo será ZERO!!!!!, pois a injecção "corta" a admissão de combustível. Se puser o automóvel em ponto-morto, o motor para continuar a trabalhar, vai necessitar de combustível, é ou não é assim senhor licenciado em engenharia mecânica José Luís Esteves?

sábado, fevereiro 14, 2009

sensações

Li uma discussão acesa sobre "sensações" ao volante... uma batalha de opiniões em que um defendia a pureza dos mais antigos, e outro a supremacia da tecnologia actual.
Estive para responder. Cheguei mesmo a redigir um texto algo extenso em forma de resposta, pois não me é indiferente. Entre ter, ou não, algum prazer nas minhas deslocações ou viagens ao volante, prefiro tê-lo pois, de certa forma, a vida sorri um pouco mais (isto deve ser efeitos da idade, ando a querer tirar prazer das mais pequenas coisas, ou talvez seja algum vírus que anda no ar), tenho um pouco mais de boa disposição, um pouco mais de paciência, uma pequena margem mais que sempre me ajuda a aturar/ignorar ou desligar das argoladas do "Carlos".
E o debate estava quente, a raiar o ofensivo, mas eu não respondi... a minha opinião é minha, e é esta:
É quase ridículo comparar um automóvel com 20, 15 ou até 10 anos, com um actual acabado de sair da fábrica. Toda a filosofia do produto final é diferente, as necessidades de espaço, as exigências de conforto, as normas ambientais, as obrigações no campo da segurança, e até as regras da economia, ditão resultados finais completamente dispares.
O que torna o clássico/antigo belo é inversamente proporcional ao que torna apetecível um reluzente saído do stand, ou seja, o seu recheio de nada. O facto de não ter mordomias, não ter botões com funções que não se sabe bem o que fazem, não ter um sentimento de segurança intrínseco, ter um conforto sofrível, ter um motor que gasta (e polui) demasiado para o que anda, não ter um manómetro de temperatura do óleo ou outra merda qualquer que só serve para "encher" (e de utilidade quase nula no dia-a-dia)... escolheria para todos os dias um automóvel(/tupperware) que fosse um meio de transporte com todas as paneleirices de conforto e de assistência à condução que considero adequadas a percursos de 7 a 20 quilómetros, porque mais não preciso, e tudo o que viesse a mais era puro desperdício... sei que um tupperware supera facilmente um automóvel com 20 anos, e daí? Carros com essa idade tem estatuto próprio, existem e "vivem" de e para fãs (ler "fanáticos").
Eu aprecio essa simplicidade, sem fanatismos, gosto pelo prazer que me dão e (até) pelo medo que me incutem... mas não necessariamente todos os dias.
E adorei conduzi-lo em pista!

sexta-feira, janeiro 23, 2009

tiques e jeitos

Já todos devem saber, com tanta caricatura, e dado a atenção que dão a certas personalidades, que certos e determinados valores desportivos são limitados no vocabulário. Não quero com isto dizer que sejam piores que a restante pandilha, nada disso! Aliás, posso afirmar com algum grau de certeza que, a grande maioria das pessoas é completamente imbecil na forma de falar (estou na minoria que é apenas imbecil, a "minoria étnica" no que toca à expressão oral são pouco mais que um punhado de seres realmente sapientes).
Um dos pontos em que a caricatura é obrigatória no último premiado nacional (a nível internacional) no desporto é o "penso que" (proferido penske).
O que a grande maioria das pessoas não sabe, é que o tal desportista derreteu o seu ferrari 599 gtb Fiorano (de 254.700€!) como forma de agradar ao seu patrocinador de longa data e presente a todos os momentos no seu vocabulário, a Penske... desta forma tão, digamos, "original", o referido desportista conseguiu amealhar mais uns cobres ao seu, já de si, avultado património. E tudo isto a bem das boas relações entre patrocinador e patrocinado.

254,7 mil... vou ter que trabalhar pelo menos 17 anos para lá chegar.

quinta-feira, janeiro 22, 2009

euromilhões

Ganhar o euromilhões actualmente é, ter um emprego que pague ao fim do mês o trabalho realizado... bem bom!

quarta-feira, janeiro 21, 2009

30,2

Parte da "educação ambiental" é composta pelo contacto directo com a natureza, contacto com fauna e flora, se a flora é mais fácil de "contactar", já a fauna é mais fugidia de visibilidade ocasional, ou mesmo acidental.
Há um tipo de fauna, que atrai muito as crianças dos 6 aos 12 anos, os cavalos, e um destes dias (no sábado passado) um grupo de 15 crianças que celebrava o aniversário de uma rapariga, foi visitar os cavalos, com direito a "uma voltinha" em cima da Estrela.
Decidi democraticamente fugir à palestra inicial e dedicar-me ao rodopiar acompanhando a Estrela (e o seu mau feitio, devido a um incidente que tivemos em comum), e no meio do grupo, uma rapariga já montando a égua diz-me que não percebia como os cavalos aguentavam com tanto peso (o dela)... apesar de ser uma pergunta que não se faz a uma mulher, a par de perguntar a idade, perguntei-lhe quanto pesava. A sua resposta foi directa e precisa. 30,2 quilos! Sorri-lhe dizendo para não se preocupar com o peso, eu pesava o dobro dela e a égua sentia-se bem à vontade com o meu peso. A rapariga, de olhos esbugalhados de espanto com a coincidência, perguntou-me "Você pesa 60,4?".
Será que esta nova geração está tão habituada a instrumentos de precisão e alta-tecnologia que não consegue abstrair-se das décimas e arredondar um valor numérico?