sábado, fevereiro 24, 2007

músicas pe(r)didas

Perdida porque já nem me lembrava dela! Mas soube-me bem ouvi-la a caminho de casa ao fim do dia. Fiquei, no entanto, com a sensação que seria a música ideal para uma viagem entre o crepúsculo e a escuridão... para ir rasgando o cair da noite como uma flecha de prata deixando o rasto vermelho dos farolins...
Pena as viagens não serem assim tão breves como certas músicas... breves, mas mantendo todo o encanto que de uma viagem longa.



Qualquer dia tenho que mudar o nome de "Tdi" para "Jdi"... "Jukebox de injecção directa"!

terça-feira, fevereiro 20, 2007

ilusionismo (ou mania nº3)

Nada de coisas muito complexas, que a única coisa que eu consigo fazer realmente desaparecer é o dinheiro! Não por ser um porco despezista, mas porque ele simplesmente... desaparece sem que quase lhe sinta o volume dentro da carteira! Forma de combater isto? Escolher a moeda mais pesada em circulação e colocar uma de parte por dia... pelo ritmo da coisa... lá para o ano 22540 tenho o equivalente a um primeiro prémio no euro milhões. Vou ficar rico!

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

obras e reparações

Caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho, caruncho e mais caruncho!
Nódoas, manchas, olho verde, homens mascarados bonitos, emails de homens bonitos, peitos bonitos, crimes exemplares, powerslave, iron maiden, cantigas e mais um pouco de caruncho!
Reparações, obras, capot, mecânica, oficina e faz tudo, e mais caruncho!!!

O que foi que me deu? É que o "Obras e Reparações" ainda está vivo!... e são estas as palavras usadas nos motores de busca que levam lá os visitantes... se por acaso está a ler isto... funcionou!

Eheheheh!

Deduz-se que...
este mundo está carunchoso,
não sou o único a apreciar música considerada "barulhenta",
anda meio mundo a querer reparar/obrar/fazer tudo,
há quem se interesse por artes,
andam assassinos à solta,
e...
há por aí muita gente desesperada!!!

sábado, fevereiro 10, 2007

queijo limiano

- Curte este anúncio!

"Acha que um motor a diesel pode ter o mesmo rendimento que um motor a gasolina?"

- Defina "rendimento"?
- Tinhas que estragar tudo?!

músicas pedidas

Finalmente! Robbie Williams no seu melhor!... Ou não é ele? É o João Braga?! Eu já estava a achar os arranjos musicais demasiado bons para serem do Robbie...



Sexed Up in the voice of João Braga.

Silêncio que se vai cantar o fado!

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

chave e fechadura

Chegava a casa depois do trabalho, e meio ensopado pela chuva que ainda caia, tirei a chave do bolso e... que diabo?! Na fechadura da porta de acesso às escadas do prédio estava ocupada... e o elevador arrancava nesse momento. Quem foi, há-de voltar para trás quando der por falta... - ensopadamente poisei a "bagagem" no chão e vi os números seguirem-se - livra que mora alto - sopunha que, quem quer que fosse, estaria naquele momento a percorrer todos os bolsos... repetidas vezes!... em busca de três ou quatro pedaços de metal dentados (ou furados) para entrar em sua casa. Daria pela falta da chaves, e viria por "aí a baixo" em busca delas. E assim fui! Alguns minutos volvidos e o elevador descia - que porta-chaves tão estranho... de quem será - o elevador parou, a porta abriu-se, e de lá de dentro surgiu o dono das chaves.
- Você está com cara de quem perdeu alguma coisa... - disse, enquanto segurava as chaves.
- Ah! Achou-as! Devem ter-me caído...
- Não. Estavam na porta mesmo.
- Obrigado... sabe o que você é?
- Hmm? - levantando à sobrancelha esquerda.
- Você é um anjo da guarda! Já da outra vez com o carro...
O homem lembrou-se sei lá do quê! De coisas que já nem eu me lembrava! Coincidências, digo eu... anjo da guarda chama-me ele... da guarda ainda escapa, agora... anjo?

terça-feira, fevereiro 06, 2007

mais do mesmo

Os assuntos da actualidade são recorrentes em todos os canais de informação. Jornais, televisão, "outdoors" e até a publicidade que chega pelo correio.
Lembram-se daqueles auto-colantes amarelos que havia para colocar nas caixas do correio há uns anos atrás? Pois, a de minha casa tem um desses. Já lá estava, e achei por bem não me entupirem a caixa do correio com papéis do professor Mutumbu, publicidades de operadores de telecomunicações, e outros tantos papéis fotocopiados ou impressos a impinguir a utilização de um serviço qualquer.
Supostamente apenas entram na minha caixa do correio (soa esquisito dizer "minha", questão de hábito, digo eu) contas... o que não é bom, mas é um mal necessário para que possa usufruir daqueles certos serviços indispensáveis ao mais básico dos confortos, ficam assim as contas catalogadas como "correspondência tolerável".
Mas hoje não! Acho que vou mesmo que ter que perder a cabeça com os tipos engraçadinhos (e que pelos vistos não sabem ler) da "conferência episcopal portuguesa" e com as associações suas apêndices com nomes sempre compostos com a palavra "católico"!
Um dos papéis, um cor-de-rosa adequado para transmitir uma proximidade com a maternidade, tinha o questionário seguinte (as respostas possíveis eram "sim" ou "não" em todas as questões, umas frases em letra normal outras em negrito tal como vou colocar):
  1. A uma mulher com dificuldades na vida é a morte do filho que a sociedade oferece?
  2. Liberalizar o aborto torna a sociedade solidária?
  3. A mulher é mais digna por poder abortar?
  4. Uma sociedade que nega o direito de nascer, respeita os Direitos Humanos?
  5. É maior o direito da mãe a abortar do que o direito da criança a nascer?
  6. Sem razão clínica, abortos são cuidados de saúde?
  7. Concorda que a saúde de outras mulheres fique à espera?
  8. Aborto "a pedido da mulher". Há filho sem pai?
  9. Quem engravida gera um filho. Mata-se um filho?
  10. É-se mais humano às 10 semanas e 1 dia do que às 10 semanas?
Questões e regras de Português à parte (porque, sinceramente esperava bem melhor de quem não faz ponta de corno, apregoa cultura, e tem tempo livre de sobra!), passo a responder da mesma forma... com perguntas!
  1. É culpando, e instigando o sentimento de culpa na mulher que a igreja ajuda as mulheres com dificuldades? (já alguém reparou que tudo é pecado?)
  2. Ameaçar de excomunhão quem votar sim no referendo torna a sociedade mais solidária? (prática comum no interior do país)
  3. Discriminar a mulher no ceio da igreja dando-lhe um papel secundário contribui para a mulher ser mais digna?
  4. Uma sociedade que dá a liberdade de escolha, pode ser acusada de não respeitar os Direitos Humanos? (se a igreja tivesse o poder para isso, ainda haveria inquisição, mas isso agora não vem ao caso!)
  5. Clinicamente já temos definido "morte", e "nascimento", está definido? (vamos ter que utilizar o mesmo ponto, actividade cerebral)
  6. Esperam que, sendo o aborto despenalizado, os abortos sejam realizados num vão de escada? (ou em analogia, sem produzirem nada acham bem terem benefícios fiscais?)
  7. Concorda com o sistema de saúde? E com as listas de espera? E com o tempo para uma consulta? E com... ?
  8. O filho cujo pai não o reconhece, não o cria, não o educa, não o ama, é Pai? (e não entro em mais pormenores, que a igreja já cheia de "pormenores" destes!)
  9. Uma mulher que é violada gera um filho é obrigada a viver com a recordação viva dessa violação? (exemplo extremo? ainda assim um exemplo real!)
  10. (finalmente uma pergunta decente!) Sendo o desenvolvimento do feto in-utero sequencial e sempre igual, conseguem-me demonstrar, com base em factos, que um dia no desenvolvimento não faz diferença?
Na minha opinião, nenhuma mulher vai fazer um aborto "só para saber como é que é"! A decisão de fazer um aborto já é bastante difícil para a mulher (e em casos, para o homem também) só por si, não é uma decisão tomada de ânimo leve!
Ora, e se os "meninos de coro" se deixassem estar na toca deles, onde vivem às custas da restante sociedade, e deixassem as Mulheres e os Homens, comuns mortais, sair da "idade das trevas" onde ainda estaríamos pela vontade da igreja, não fariam melhor figura?!

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

cinzento

Não sei o porquê, estávamos todos dentro da sala, uns sentados outros de pé, mas estávamos lá todos. Algo se passava... Eu estava sentado, e enquanto esperava, ouvi um barulho, mesmo junto ao ouvido direito, contrariei o acto reflexo de enxotar "aquilo" com uma palmada no ar, levei apenas a mão direita a junto da orelha... senti um peso muito ténue sobre a mão... mexendo-me devagar coloquei a outra mão por cima com jeito... era um pássaro! Abri as mãos, ao admirá-lo, tive a certeza que nunca havia visto nenhum como aquele... tinha pormenores particulares no bico e nas patas, conjugados com o próprio tamanho que tinha, que o tornavam diferente. Olhei-o espantado, tal como estavam espantados todos os presentes... agora, já não estava pousado na minha mão, antes saltava dela esvoaçando frenético em direcção aos meus olhos, às bochechas (ou onde elas deveriam estar), ao nariz... fazia-me cócegas com as asas e com o bico... e tão depressa começou com isto, assim saiu porta fora, e eu saí a seguir. Vi-o fugir para cima do telhado, perguntei a quem estava à porta se conhecia aquele pássaro (era alguém que percebia disso)... respondeu-me - Nunca tinha visto nenhum, mas anda aí um bando deles. - e ao olhar na direcção onde ele apontava, havia agora algumas dezenas deles... alegrou-me saber que não era único, só... mas entristeceu-me não o puder distinguir no meio de tantos.