sábado, novembro 06, 2010

auris

Round 2 da fase test-drive!
Fui testar um Auris... quer dizer, fui passear, porque aquilo não foi testar nada a nível dinâmico pelo menos. A carcaça é engraçada, apesar de tupperware, é-o mas disfarçadamente (pelo menos é menos descarado que alguns produtos "alemães"). O rolar é confortável mas, aparentemente, mais "oscilante" do que o meu gosto particular (o conforto a isso o obriga) o motor, Diesel, de baixa cilindrada é económico e simpático quando solicitado, a direcção é horrível fruto da assistência eléctrica, parece que não se tem nada nas mãos, a caixa de seis velocidades requer habituação para não meter a quarta em vez da sexta (nem nas aulas de condução me enganava a meter mudanças... onde há aqui um buraco para me esconder), os interiores pareceram-me melhores que os da octavia, e por último, o equipamento sport (apenas disponível nas versões a gasóleo, o que é perfeitamente estúpido) era composto por um painel de instrumentos convencional com ponteiros acompanhados de um painel digital ao centro...
A seguir foi a experiência com o motor Otto, igualmente económico, sem turbo, mas com resposta compensada pelo sistema dual vvt-i (abertura de válvulas variável, quer na admissão quer no escape), apenas se tornava anémico em mudanças mais altas, carros feitos para andar em cidade... pf! Os interiores eram os convencionais, o centro dos ponteiros dos manómetros eram ocupados com a indicação digital do consumo instantâneo, média de consumos, quilómetros percorridos e as mordomias já habituais... pacote sport não disponível, já disse que é estúpido considerar um Diesel desportivo e não o Otto?
O meu interesse neste pequenino motor 1.33L de cilindrada é o facto de ser pequeno, leve, e com uma potência declarada na casa da centena de cavalos e um binário máximo disponível "cedo" para um motor que queima gasolina. Agradou-me a mecânica, mas no geral, em ambos os carros, não há nada que me faça pensar "eu quero um carro destes porque...", parece que vou ter que continuar a experimentar... mas a escolher, escolhia a gasolina!
Enviar um comentário