segunda-feira, outubro 25, 2010

octavia II

Ainda sobre a experiência de condução (pode chamar-se isso ao que eu estava a fazer?), vou ter que repetir mais testes destes nos próximos tempos... e a ideia não me agrada nada!
Agrada-me a melhoria significativa de desempenho da "alma", mas não me agrada mesmo nada que essa alma venha agarrada a tanta porcaria que em nada difere do que a microsoft faz... software com base em zeros e uns que faz funcionar hardware de uma determinada maneira... dão-me um sentimento de segurança, que instintivamente tomo como "falso". A experiência foi/é vazia de... sentimento? Pode-se falar de sentimento? De paixão, de arrepios e daquela presença no limiar "está quase... quase... quase... não fugiu!"? Os sentidos são quase que suprimidos, não se ouve, a visão é toldada, e...
Progredir e acompanhar os tempos... parece-me algo tão difícil. Resistência a mudança é uma característica do ser humano, e poucos são os que não a sentem (ou sentem, mas não o admitem), e avizinham-se ainda mais mudanças, mais do que já houve neste último ano, pelo andar da "evolução", vou acabar por ficar "imune" à mudança.

(mais rápido, mais eficiente, mais seguro, mais tudo, até mais "sem sal"!)
Enviar um comentário