domingo, abril 27, 2008

cantiga d'



Só quero o tom do real.
Não, já me chega de cores irreais.
Se ele existisse, era eu quem o oferecia.
Quero-o apenas.

Ele ainda lá brilha, e também brilha o olhar.
Com carinho se dança com os pés na areia.

Perfeito na imperfeição... para quê complicar?
Enviar um comentário