quinta-feira, abril 17, 2008

desigualdades

A natureza encarregou-se de dar ao ser humano a capacidade de comparar. O acto da "comparação" pode revelar-se muito frutífero requerendo alguma capacidade de reflexão, de antecipação e, porque não dizê-lo, adivinhação, quando a comparação é entre objectos basicamente iguais, mas com bastantes pormenores que os distinguem... já a conversa é bem diferente quando se comparam... pessoas.
Pessoalmente, detesto ser comparado ou fazer lembrar "alguém". Perturba-me, despersonaliza-me, faz-me sentir "um cromo repetido" incapaz de trazer algo de novo... faz-me sentir... igual... indiferenciável!
Enviar um comentário