quinta-feira, abril 17, 2008

ervas daninhas

Considero-me familiar directo dessa tão nobre planta que é a "erva daninha" (nome científico: ervias chatus decaraix), visto que, tal como as ditas, posso estar muito tempo em latência, sem dar um único sinal de existência, para depois reaparecer em força sem razão aparente (sem razão alguma mesmo). Compreendo que isto deve ser irritante, pois as variações entre omnipresença e ausência conseguem ser destabilizadoras e induzir erros de julgamento nas pessoas que são alvo de tal comportamento.
No entanto, outras pessoas há, que tem um comportamento semelhante, mas são consideradas semelhantes à gripe. A definição é simples e lógica para o comum dos mortais, para além de "chata comó caralho", este tipo de pessoa é propícia a aparecer nas alturas mais inoportunas e sobre as mais variadas formas, causando, tal como o Influenza, um mal-estar capaz de contagiar uma pequena locadidade, um desejo de sangue e por vezes até de retaliação. A fórmula química do medicamento adequado a este tipo de maleita é no entanto simples - a indiferença - visto que as complicações geradas pelas pessoas "gripe" nada mais são do que um grito por atenção combinado com a conhecida "birra infantil".... coisa que, valha em abono da verdade, já não tenho paciência para aturar! Lamúrias e queixinhas e guerrinhas... cada qual atura as que entende... eu, pelo meu lado, assim rompo o contacto com quem me quer contagiar, com um ponto final.
Enviar um comentário