sexta-feira, setembro 12, 2008

um dia

O dia hoje foi particularmente chato (enfadonho, cinzento, desprovido de interesse e movimento).

O dia começou semelhante a tantos outros com os procedimentos matinais usuais, variando a sequência aqui e ali. O caminho para o trabalho, igualmente normal sem nada de relevante, mas também não sendo enfadonho (o percurso é satisfatório na quantidade de curvas). A boa disposição de com quem iria passar este dia (também não é comum fazermos equipa, logo, nada de rotina aqui também) estava como de costume presente. Tudo indicava um dia bem disposto e com algum movimento...
Já sentado no escritório, passei a manhã inteira no mesmo sítio, apenas olhando para um edifício semi-vandalizado e emparedado... toda a santa manhã no mesmo sítio! Ora falando de coisas mais sérias, ora dizendo disparates (ando particularmente "parvo") de rir à gargalhada... e movimento? Nada! Toda uma bela e perfeita manhã desperdiçada ali, sem movimento.

Hoje senti-me um verdadeiro funcionário público (a julgar pela fama, a meu ver erradamente, generalizada). Fui almoçar com a nítida noção de que não fiz "ponta de corno"... e isso, entristeceu-me. O dia prometia, e tive que o passar como um "típico" funcionário público que se esforça por não fazer a tal "ponta de corno", que empurra o trabalho para os outros, e, que ainda se queixa de ter muito trabalho...

Eu pela minha parte, aproveitei para gozar com a caricatura de trabalho (como é que se goza com uma caricatura?) que me deram... e até sei de quem adoraria ter um dia destes! Mas para mim, este dia, foi uma seca!
Enviar um comentário