sábado, setembro 13, 2008

desperdício de papel

Pois bem, como é sabido, aos fins-de-semana, as publicações de notícias diárias (ou até mesmo as semanais tipo "espesso") esmeram-se em acrescentar ao jornal um sem número de publicações sobre os mais diversos assuntos. A "Vidas" é uma dessas publicações. Uma revista a imitar a "Caras", a julgar pelas capas (isto se as capas da "Caras" forem iguais à publicidade que passa na rádio...). E do que fala a "Vidas" do "Correio da Manhã"? Basicamente... bom... eu nem queria dizer isto assim... pode parecer mal... mas a verdade é que a revista não fala de nada! Quer dizer, a revista tem ainda um número considerável de páginas que relatam as guerras entre actores e actrizes das novelas, opinão sobre a gravidez desta ou daquela, revelam os amores e desamores de uma meia dúzia de fulanas e fulanos com os gostos sexuais dos intervenientes à mistura, e, e isto é que eu acho fenomenal, colunas de pessoas tão influentes e importantes para a comunidade como (deixa cá ir buscar a revista desta semana) Eduardo Vinagre (deve ser um tipo azedo é o que consigo concluir pela escrita dele) e, espanto dos espantos, a Maya (sim, a tal das cartas). É tanta a quantidade de lixo (sim, LIXO) que creio que se tivesse que forrar a casota de um cão com tal papel... pobrezinho deveria ter problemas de pêlo bastante drásticos! A "Vidas" é, sem sombra de dúvida, um hino à pior merda que se pode meter em papel e "impingir" (digo impingir porque vem de "bónus" no jornal, qual presente que se recebe e oferece de volta) a qualquer pessoa que compre aquele jornal, que já de si só dá atenção a desgraças.

Mas!

E há sempre um mas. A "Vidas" tem algo de bom (não são talheres, nem pratos, nem chávenas de marcas "famosas")! Traz um cupão no canto superior direito da capa que no dia seguinte se pode trocar por um dvd! Com um "bocadinho" de sorte, dos oito, talvez consiga aproveitar três. Ou, quem sabe (e era a loucura), quatro.
Enviar um comentário