segunda-feira, julho 09, 2007

voltinha

Era costume, quando estava com a neura, ou quando tinha algum assunto que me perturbava, sair e conduzir. Conduzia até ficar farto... o que geralmente coincidia, ou com uma solução encontrada para o que me preocupava, ou simplesmente com um chegar a casa a assobiar como se nada fosse... estava com o quê? Neura? Eu?! Não!
Bem, em abono da verdade devo admitir que este meu costume me custou, de certeza, alguns anos de vida dados os sustos que fui apanhando... muros que aparecem do nada, rajadas de vento capazes de desviar-me dois metros do caminho que levava, velocidades proporcionais à neura, passeios e valas capazes de me catapultar para órbita... já apanhei tantos sustos que não lhes tenho conta! Mas voltei sempre... agora isto? Isto nunca me tinha acontecido!... Chegar a casa com a perfeita noção que não há estrada longa o suficiente, nem velocímetro capaz de registar uma velocidade capaz de me aliviar... é a primeira vez!
Enviar um comentário