sábado, maio 12, 2007

parede

Há uma capacidade intrínseca para não conseguir ver para além do cor-de-rosa. Pessoalmente, sei bem que o mundo não é "cor-de-rosa", vejo isso todos os dias... um dos meus melhores momentos não tem nada de "cor-de-rosa"... e mesmo assim, com todos os pontos cinzentos que lhe possam ser apontados, não deixa de ser o que tenho de melhor! Preocupa-me o "cor-de-rosismo" que vejo à minha volta... algo semelhante a "cuidado com essa parede!", algo que por teimosia, por vício, ou por forma de ser, se insiste em não ver.
- Cuidado com a parede!
- Qual parede? - Bong!
Já está!... Para além do hematoma frontal, e após a aterragem, fica também um outro algures escondido "lá dentro", invisível. E se bem que o primeiro desaparece rapidamente, o segundo demora uma eternidade e mais quinze dias a cicatrizar...
Enviar um comentário