terça-feira, maio 03, 2016

taxistas

Até aceitaria as queixas dos taxistas na novela Uber, afinal de contas, é um serviço que lhes faz concorrência directa (e, poder-se-á mesmo considerar "feroz", pois recorre a uma plataforma simples e mais barata, até para o cliente) mas, há que ver que não haverá, por parte do cliente final (e do público em geral) grande apetite de defender a causa dos taxistas.
Se formos a ver, estamos a falar de uma classe trabalhadora que, sempre que é apresentada uma alternativa à mobilidade, reclama sempre negativamente. Quando se falou em deixar os motociclistas circularem pelas vias destinadas aos transportes públicos (muitas vezes chamadas de faixas de Bus), eles foram contra, aquando do debate da "nova" 2ª circular, fAntral tem feito o que pode (e o que não deve fazer) para proteger os seus interesses prejudicando muitas grupos maiores ou menores de utilizadores da via pública, muitas vezes com comentários despropositados (a raiar o estúpido) por parte das caras que a representam, o que não lhes abona nada a favor em situações como esta da Uber. 
oram contra os ciclistas, até nesta situação da Uber, alguns conseguiram estar contra outros da mesma classe (houve táxis pontapeados por taxistas e pneus furados captados em vídeo)! A
Não é comum ver este nível de fanatismo por futebol ou política e, verdade seja dita, há que admirar a garra com que lutam... mas como no futebol e na política (defesa da cor), a incapacidade de olhar para os próprios erros e os excessos cometidos, acabam sempre por prejudicar a própria cor.

Nota: os taxistas têm, na sua maioria, uma conduta desadequada no convívio em via pública, são, na sua maioria, desrespeitadores do código da estrada e desprovidos de uma conduta ética básica e essencial para a função que desempenham (servir o público), no entanto, deixei de fora essas questões e muitas outras no texto principal, o que interessa é o facto de "serem do contra" em tudo o que possa melhorar/agilizar a mobilidade dentro das cidades.
Enviar um comentário