segunda-feira, março 18, 2013

a onda das duas rodas

"a" 125 azul
Os veículos de as duas rodas são sem dúvida responsáveis por uma parte considerável da queda no consumo dos combustíveis, basta reparar na abundante proliferação destes veículos pelas cidades (à porta de um centro comercial no centro de Lisboa vi cerca de 20 estacionadas das quais metade eram scooters como a da foto). Este crescimento dá origem a alguns ódios de estimação por nem sempre o convívio entre duas e quatro rodas ser o mais "educado" mas, passando para o outro lado da barricada, é um descanso arranjar lugar para estacionar e de facto pouco ou nada se pára no trânsito (e sim, eu agradeço as atenções dos automobilistas quando me facilitam a vida).
Sim, eu automobilista, apaixonado por automóveis desde que tenho memória, que estava em pulgas para ter idade para tirar a carta e poder conduzir, desloco-me em duas rodas quando preciso de ir a Lisboa em hora de ponta. Pior que a minha conversão a uma necessidade é... apreciar "isto" de andar em duas rodas.
Tudo bem, tudo bem! Eu vou arder no inferno por isto, mas há dias voltava para casa já de noite e num ponto menos iluminado da via que seguia deparei-me com o céu, e tinha estrelas! Onde diabo se esconde ele quando ali passo de automóvel?! Agradou-me... talvez agora perceba todos aqueles argumentos nas inúmeras discussões com os verdadeiros "motards" e a saudade com que alguns falam dos dias algures no passados em que andavam em duas rodas... querem lá ver que ainda me converto por gosto?
Enviar um comentário