terça-feira, junho 03, 2014

7 factos sobre uma viagem planeada de automóvel em grupo

Depois do destino, das horas de saída (contando com os atrasos), dos locais de alimentação e dos pontos para esticar as pernas (depende do veículo) devidamente combinados de véspera, chega o momento de nos metermos à estrada... eis os sete factos que acontecem que em todas as viagens/passeios com destino acabam por acontecer mais cedo ou mais tarde no percurso:

lavagem e abastecimento são feitos de véspera!
- Há sempre alguém do grupo que tem um GPS e que traça a rota, com a qual obtém um "tempo estimado de viagem"... escusado será dizer que há uma necessidade intrínseca do automobilista provar que a máquina está enganada e que "conseguimos fazer menos que isto!".
- Assim que se entra numa qualquer via rápida ou auto-estrada, a primeira coisa que se vê quando se olha para o retrovisor é um Audi colado na traseira... há quem diga que é o padrão da cortina do óculo traseiro, ou mesmo que faz parte do um sistema de screensaver disponibilizado pelas concessionárias das AEs a fim de evitar que se ande demasiado devagar.
- O acontecimento anterior é seguido por um Mercedes que nunca sabe se os travões irão funcionar quando forem necessários, pelo que constantemente os experimenta... "agora funcionou, será que na próxima também vai funcionar?".
- Apesar de tudo, os limites de velocidade são respeitados pelo grupo... contando com o desconto dos radares... a excepção a isto é feita se alguém precisar de parar para ir ao WC, afinal de contas, quem vai parar tem que ganhar tempo antes e recuperar o perdido depois de parar. 
- Mesmo em situações de "recuperação de tempo" há sempre alguém mais rápido a passar ao "dobro" da nossa velocidade.
- O condutor não cede a pressões dos restantes ocupantes... excepto para irem ao WC... porque é a desculpa para "ganhar tempo".
- Não adianta quanto tempo estivemos agarrados ao volante, exactamente na mesma posição, sempre à mesma velocidade, com um cenário cíclico a passar, quando se chega ao destino e se sai da viatura para o "bitaite" e o comentário da viagem, nada disso importa, é como se ainda se estivesse para começar o "passeio".
Enviar um comentário