sexta-feira, outubro 13, 2006

uma suposição

Digamos que quem lança os dados, sobre certos assuntos pessoais da humanidade, uma criança, rolava um 11... e por isso tinha direito a escolher duas pessoas. Duas pessoas perfeitamente ao acaso... um outro jogador, um velhote carregado de ampulhetas, acha piada à escolha, de forma a tornar o desafio mais interessante, aparta-os uma mão cheia de anos um do outro... um terceiro jogador, o que destina, não satisfeito com o trajecto que a brincadeira da criança levava, afasta-os geograficamente milhares de quilómetros... enquanto isto uma senhora de vestes longas, uma que se afasta ao seu nome, observa esta estranha diversão... e interpõe – Posso participar? – ... contrariados (todos excepto a criança), aceitam-na com desconfiança... ela escolhe o meio, um algures entre a realidade e o imaterial... eles aplaudem a escolha! Ela sorri serena e subtilmente dizendo - Os humanos conseguem sempre surpreender-me – ... os aplausos cessam, o tal que destina diz – Tu não... Eles não vão... Vão? – ela, mantendo o sorriso, afasta-se dizendo apenas – Os dados foram lançados... eu só faço a minha parte.

Enviar um comentário